Quadrilha Século XX é a primeira a lançar um CD de músicas autorais

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/05/2019 às 22:46:00

 

Pela primeira vez na história dos festejos juninos de Sergipe uma quadrilha junina lança um CD com músicas autorais e temáticas. No próximo dia 7 de junho, sexta-feira, a partir das 19 horas, a quadrilha Século XX estará fazendo o lançamento do CD "O amor de um cangaceiro por uma rendeira". O evento acontecerá na sede do Cotinguiba Esporte Clube, avenida Augusto Maynard, nº 13, bairro São José, em Aracaju. Haverá shows com Mimi do Acordeon e o Trio Século XX, Os Três Moleques do Forró, e participação especial do cantor Silvio Rocha.
O CD, que representa um marco para a cultura junina no Estado, é composto por 10 músicas, envolvendo os ritmos do xote, xaxado e baião, tradicionais nas coreografias da quadrilha junina. As composições, todas abordando o tema do amor de um cangaceiro por uma mulher rendeira, são de autoria de Gilson Sousa, Silvio Rocha, Álvaro Müller, além de Simone Andrade e Bruno Fonseca, que são cantores oficiais da Século XX este ano. O disco está sendo vendido por R$ 10, já incluindo o ingresso para a festa de lançamento no Cotinguiba.
"Ficamos muito satisfeitos com o resultado do CD. É uma ideia original que só fortalece a nossa cultura junina. A quadrilha Século XX luta para manter a tradição dos festejos de junho, e lançar um disco com músicas autorais só nos engrandece. Tenho certeza que os amantes do forró e da boa música irão aprovar nosso trabalho feito com tanto amor e dedicação", disse o presidente e marcador da Século XX, Joel Reis.
A quadrilha junina é a mais antiga de Sergipe em atividade. Este ano completa 55 anos ininterruptos atuando nas festas juninas de Sergipe. Já conquistou vários prêmios em concursos locais e regionais. Em 2016, foi também a primeira quadrilha junina a lançar um livro contando sua trajetória desde 1964. Escrito pelo jornalista Gilson Sousa, o livro "Quadrilha junina Século XX, 52 anos de vitórias" fez grande sucesso no meio cultural e já foi até citado em trabalhos acadêmicos nas universidades sergipanas.

Pela primeira vez na história dos festejos juninos de Sergipe uma quadrilha junina lança um CD com músicas autorais e temáticas. No próximo dia 7 de junho, sexta-feira, a partir das 19 horas, a quadrilha Século XX estará fazendo o lançamento do CD "O amor de um cangaceiro por uma rendeira". O evento acontecerá na sede do Cotinguiba Esporte Clube, avenida Augusto Maynard, nº 13, bairro São José, em Aracaju. Haverá shows com Mimi do Acordeon e o Trio Século XX, Os Três Moleques do Forró, e participação especial do cantor Silvio Rocha.
O CD, que representa um marco para a cultura junina no Estado, é composto por 10 músicas, envolvendo os ritmos do xote, xaxado e baião, tradicionais nas coreografias da quadrilha junina. As composições, todas abordando o tema do amor de um cangaceiro por uma mulher rendeira, são de autoria de Gilson Sousa, Silvio Rocha, Álvaro Müller, além de Simone Andrade e Bruno Fonseca, que são cantores oficiais da Século XX este ano. O disco está sendo vendido por R$ 10, já incluindo o ingresso para a festa de lançamento no Cotinguiba.
"Ficamos muito satisfeitos com o resultado do CD. É uma ideia original que só fortalece a nossa cultura junina. A quadrilha Século XX luta para manter a tradição dos festejos de junho, e lançar um disco com músicas autorais só nos engrandece. Tenho certeza que os amantes do forró e da boa música irão aprovar nosso trabalho feito com tanto amor e dedicação", disse o presidente e marcador da Século XX, Joel Reis.
A quadrilha junina é a mais antiga de Sergipe em atividade. Este ano completa 55 anos ininterruptos atuando nas festas juninas de Sergipe. Já conquistou vários prêmios em concursos locais e regionais. Em 2016, foi também a primeira quadrilha junina a lançar um livro contando sua trajetória desde 1964. Escrito pelo jornalista Gilson Sousa, o livro "Quadrilha junina Século XX, 52 anos de vitórias" fez grande sucesso no meio cultural e já foi até citado em trabalhos acadêmicos nas universidades sergipanas.