Adema realiza coleta de água no local onde avião em que o cantor Gabriel Diniz caiu

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ENQUANTO POLÍCIA FEDERAL E TÉCNICOS DO SERIPA II RECOLHEM PEÇAS DO AVIÃO, TÉCNICOS DA ADEMA INICIAM INSPEÇÃO PARA CALCULAR O IMPACTO AMBIENTAL PROVOCADO PELA QUEDA NA REGIÃO DO PORTO DO MATO
ENQUANTO POLÍCIA FEDERAL E TÉCNICOS DO SERIPA II RECOLHEM PEÇAS DO AVIÃO, TÉCNICOS DA ADEMA INICIAM INSPEÇÃO PARA CALCULAR O IMPACTO AMBIENTAL PROVOCADO PELA QUEDA NA REGIÃO DO PORTO DO MATO

Técnicos da Adema inspecionam trecho de mangue em Porto do Mato (Estância), onde o avião caiu
Técnicos da Adema inspecionam trecho de mangue em Porto do Mato (Estância), onde o avião caiu

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/05/2019 às 22:58:00

 

Na manhã desta quarta-feira (29), uma equipe de profissionais da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), composta por biólogo e engenheiros químico e ambiental, colheram amostras da água do Rio Piauí, no povoado Porto do Mato, em Estância, local onde parte da aeronave PT-KLO caiu no início da tarde da segunda-feira (27), vitimando o cantor Gabriel Diniz e os pilotos Abraão Farias e Linaldo Xavier.
O trabalho da Adema serve para verificar o nível de contaminação da água e dos animais que fazem parte do bioma atingido por combustível depois do acidente. De acordo com o Diretor-Presidente da Adema, Gilvan Dias, o impacto ambiental causado no local vai ser constatado por relatório feito pelos técnicos. "Como a aeronave ficou destroçada, houve derramamento de querosene no polígono onde ela caiu, daí a necessidade de sabermos o nível da concentração do combustível no lugar onde foi encontrada a maioria dos destroços, na área ao redor, e ainda da contaminação na água e no bioma em volta do local", detalha.
Gilvan Dias acrescenta que os trabalhos prosseguirão até a sexta-feira, 31. "A água coletada hoje será encaminhada para análise, no entanto, os profissionais continuarão fazendo a coleta amanhã e sexta-feira, em horários de maré baixa, a fim de que possam identificar outros possíveis focos de contaminação. Daqui a uma semana teremos o laudo da avaliação que subsidiará o relatório final do ocorrido", revela.
Concentração - O órgão ambiental do estado vai tomar ainda ações preventivas para evitar que o combustível se espalhe para outros trechos do manguezal e do rio. A Adema pode instalar boias de absorção a fim de evitar a propagação de querosene. De acordo com Gilvan Dias, esse trabalho dependerá do resultado das análises feitas pelos técnicos esta semana. "Segundo informações de profissionais do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA II), que estão acompanhando os trabalhos, a probabilidade é que a quantidade de combustível derramado tenha sido de aproximadamente 150 litros, sendo que a concentração maior está no solo do mangue, porém, se constatarmos o seu espalhamento em outro trecho, faremos o trabalho de contenção para evitar a propagação", explica.
 O Governo do Estado está empenhado na colaboração para as investigações do acidente e no serviço de redução de danos ao meio ambiente. Desde a constatação do ocorrido, o Governo disponibilizou profissionais do Grupamento Tático Aéreo (GTA), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Pelotão Ambiental, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Instituto Médico Legal (IML), a fim de garantir a celeridade na condução dos serviços. Além disso a Adema intensifica o trabalho de análise do material coletado para que o resultado seja apresentado com maior brevidade.

Na manhã desta quarta-feira (29), uma equipe de profissionais da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), composta por biólogo e engenheiros químico e ambiental, colheram amostras da água do Rio Piauí, no povoado Porto do Mato, em Estância, local onde parte da aeronave PT-KLO caiu no início da tarde da segunda-feira (27), vitimando o cantor Gabriel Diniz e os pilotos Abraão Farias e Linaldo Xavier.
O trabalho da Adema serve para verificar o nível de contaminação da água e dos animais que fazem parte do bioma atingido por combustível depois do acidente. De acordo com o Diretor-Presidente da Adema, Gilvan Dias, o impacto ambiental causado no local vai ser constatado por relatório feito pelos técnicos. "Como a aeronave ficou destroçada, houve derramamento de querosene no polígono onde ela caiu, daí a necessidade de sabermos o nível da concentração do combustível no lugar onde foi encontrada a maioria dos destroços, na área ao redor, e ainda da contaminação na água e no bioma em volta do local", detalha.
Gilvan Dias acrescenta que os trabalhos prosseguirão até a sexta-feira, 31. "A água coletada hoje será encaminhada para análise, no entanto, os profissionais continuarão fazendo a coleta amanhã e sexta-feira, em horários de maré baixa, a fim de que possam identificar outros possíveis focos de contaminação. Daqui a uma semana teremos o laudo da avaliação que subsidiará o relatório final do ocorrido", revela.

Concentração - O órgão ambiental do estado vai tomar ainda ações preventivas para evitar que o combustível se espalhe para outros trechos do manguezal e do rio. A Adema pode instalar boias de absorção a fim de evitar a propagação de querosene. De acordo com Gilvan Dias, esse trabalho dependerá do resultado das análises feitas pelos técnicos esta semana. "Segundo informações de profissionais do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA II), que estão acompanhando os trabalhos, a probabilidade é que a quantidade de combustível derramado tenha sido de aproximadamente 150 litros, sendo que a concentração maior está no solo do mangue, porém, se constatarmos o seu espalhamento em outro trecho, faremos o trabalho de contenção para evitar a propagação", explica.
 O Governo do Estado está empenhado na colaboração para as investigações do acidente e no serviço de redução de danos ao meio ambiente. Desde a constatação do ocorrido, o Governo disponibilizou profissionais do Grupamento Tático Aéreo (GTA), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Pelotão Ambiental, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Instituto Médico Legal (IML), a fim de garantir a celeridade na condução dos serviços. Além disso a Adema intensifica o trabalho de análise do material coletado para que o resultado seja apresentado com maior brevidade.