Idoso e PM baiano trocam tiros na Rodoviária Nova

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/06/2019 às 22:47:00

 

Gabriel Damásio
Um tiroteio surpreen
deu os frequenta
dores do Terminal de Integração Leonel Brizola, ao lado da Rodoviária Nova, no Capucho (zona oeste). Um idoso de 60 anos, identificado como Cícero Luiz, se envolveu em uma troca de tiros com Mateus Ribeiro Veiga, 42 anos, soldado da Polícia Militar da Bahia. Segundo testemunhas, os dois teriam discutido por volta das 13h30, em meio aos pontos de parada dos passageiros, e, depois de uma troca de ofensas, Cícero sacou um revólver e abriu fogo contra o policial baiano, que se armou com uma pistola e reagiu. Pelo menos cinco disparos foram ouvidos, causando medo e muita correria entre os passageiros que tentavam se proteger.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o idoso estava armado com um revólver calibre 32 e acabou ferido em estado grave. Já o soldado foi atingido nas costas, mas os ferimentos foram considerados mais leves. Ambos foram internados no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). De acordo com o hospital, Mateus passou pela Ala Verde e se recupera bem, sem gravidade nos ferimentos. Cícero, por sua vez, foi levado para a Ala Vermelha e passou por uma cirurgia no final da tarde de ontem. 
Os primeiros socorros no terminal foram prestados por uma equipe de agentes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), cuja sede fica a poucos metros do terminal. Eles foram ao local por causa da informação inicial de que um dos baleados seria supostamente um policial civil, o que não se confirmou. Os agentes ficaram no local até a chegada de equipes da Polícia Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que assumiram a ocorrência e atenderam aos feridos. 
Equipes da PM estiveram no local e ouviram de testemunhas o relato que o idoso já estava visivelmente alterado antes do tiroteio e, no final da manhã, discutiu com outras pessoas e brigou com um fiscal de uma empresa de transportes. Segundo estes passageiros, Cícero teria saído do local fazendo ameaças ao  fiscal, dizendo que iria voltar ao terminal trazendo "uma coisa boa". Na volta, o idoso apareceu armado e procurando pelo fiscal, o que motivou a intervenção do policial militar e o confronto que se seguiu. O caso deve ser investigado a partir de amanhã pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

Gabriel Damásio

Um tiroteio surpreen deu os frequenta dores do Terminal de Integração Leonel Brizola, ao lado da Rodoviária Nova, no Capucho (zona oeste). Um idoso de 60 anos, identificado como Cícero Luiz, se envolveu em uma troca de tiros com Mateus Ribeiro Veiga, 42 anos, soldado da Polícia Militar da Bahia. Segundo testemunhas, os dois teriam discutido por volta das 13h30, em meio aos pontos de parada dos passageiros, e, depois de uma troca de ofensas, Cícero sacou um revólver e abriu fogo contra o policial baiano, que se armou com uma pistola e reagiu. Pelo menos cinco disparos foram ouvidos, causando medo e muita correria entre os passageiros que tentavam se proteger.
Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o idoso estava armado com um revólver calibre 32 e acabou ferido em estado grave. Já o soldado foi atingido nas costas, mas os ferimentos foram considerados mais leves. Ambos foram internados no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). De acordo com o hospital, Mateus passou pela Ala Verde e se recupera bem, sem gravidade nos ferimentos. Cícero, por sua vez, foi levado para a Ala Vermelha e passou por uma cirurgia no final da tarde de ontem. Os primeiros socorros no terminal foram prestados por uma equipe de agentes do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), cuja sede fica a poucos metros do terminal. Eles foram ao local por causa da informação inicial de que um dos baleados seria supostamente um policial civil, o que não se confirmou. Os agentes ficaram no local até a chegada de equipes da Polícia Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que assumiram a ocorrência e atenderam aos feridos. 
Equipes da PM estiveram no local e ouviram de testemunhas o relato que o idoso já estava visivelmente alterado antes do tiroteio e, no final da manhã, discutiu com outras pessoas e brigou com um fiscal de uma empresa de transportes. Segundo estes passageiros, Cícero teria saído do local fazendo ameaças ao  fiscal, dizendo que iria voltar ao terminal trazendo "uma coisa boa". Na volta, o idoso apareceu armado e procurando pelo fiscal, o que motivou a intervenção do policial militar e o confronto que se seguiu. O caso deve ser investigado a partir de amanhã pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).