Mais de mil criadouros de Aedes aegypti foram eliminados em bairros que apresentaram alto risco no LIRAa

Geral


  • Agente da prefeitura fiscaliza lavandeira no bairro Santo Antonio

 

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), intensificou as ações nos bairros Industrial e Santo Antônio para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e febre chikungunya. No último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), estes dois bairros foram os únicos classificados como alto risco na capital.
"Juntamos os nossos agentes e visitamos todos os imóveis destes bairros, fazendo, inclusive, mutirões aos sábados. Também aplicamos o fumacê costal durante dois dias em cada bairro. Onde encontramos mais focos do mosquito, determinamos um raio de 300 metros quadrados de área da casa infestada e mantivemos um monitoramento", explicou o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti (PMCA), Jeferson Santana.
No bairro Santo Antônio, o PMCA disponibilizou 148 agentes de combate às endemias, que visitaram 3.187 imóveis e encontraram 115 com focos do mosquito. Foram eliminados 530 criadouros, recolhidos 24 pneus e tratados 199 depósitos móveis que aparecem neste período de chuva.
Já no bairro Industrial, foram disponibilizados para a ação 151 agentes de combate de endemias, que visitaram 3.602 imóveis, sendo 97 com focos. "A maioria dos focos estava nas lavanderias ou em recipientes com água. Nossos técnicos orientaram e eliminaram 573 criadouros, recolheram 122 pneus e trataram 121 depósitos móveis. Atacamos as áreas prioritárias dos dois bairros com estas ações e com o apoio da população. Com isso, é bem provável que os números do próximo LIRAa, que será realizado em julho, sejam satisfatórios", destacou o coordenador.
Importância do LIRAa - O LIRAa é realizado a cada dois meses e serve como instrumento para nortear as ações de controle desenvolvidas pelo Programa Municipal. O último foi feito em maio e os bairros Industrial e Santo Antônio tiveram o índice acima de 4,0, considerado de alto risco. O levantamento apontou que dos 43 bairros da capital sergipana, 14 foram classificados em baixo risco (satisfatório), 27 bairros em médio risco (alerta) e dois com a classificação de alto de risco.
"A avaliação do LIRAa é fundamental. Através dele, e dos casos notificados, damos o direcionamento das intensificações das ações. Nossas atividades continuam nos bairros, conforme programação anual, mas ainda vamos intensificar no bairro Porto Dantas, que faz divisa com o Industrial, e no próximo sábado, 8, faremos um mutirão no Getúlio Vargas. Mas é importante dizer que mesmo atuando com mais intensidade, é preciso que a população que nos ajude, pois somente com a parceria e a colaboração das pessoas poderemos vencer o Aedes", enfatizou Jeferson.

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), intensificou as ações nos bairros Industrial e Santo Antônio para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e febre chikungunya. No último Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa), estes dois bairros foram os únicos classificados como alto risco na capital.
"Juntamos os nossos agentes e visitamos todos os imóveis destes bairros, fazendo, inclusive, mutirões aos sábados. Também aplicamos o fumacê costal durante dois dias em cada bairro. Onde encontramos mais focos do mosquito, determinamos um raio de 300 metros quadrados de área da casa infestada e mantivemos um monitoramento", explicou o coordenador do Programa Municipal de Controle do Aedes aegypti (PMCA), Jeferson Santana.
No bairro Santo Antônio, o PMCA disponibilizou 148 agentes de combate às endemias, que visitaram 3.187 imóveis e encontraram 115 com focos do mosquito. Foram eliminados 530 criadouros, recolhidos 24 pneus e tratados 199 depósitos móveis que aparecem neste período de chuva.
Já no bairro Industrial, foram disponibilizados para a ação 151 agentes de combate de endemias, que visitaram 3.602 imóveis, sendo 97 com focos. "A maioria dos focos estava nas lavanderias ou em recipientes com água. Nossos técnicos orientaram e eliminaram 573 criadouros, recolheram 122 pneus e trataram 121 depósitos móveis. Atacamos as áreas prioritárias dos dois bairros com estas ações e com o apoio da população. Com isso, é bem provável que os números do próximo LIRAa, que será realizado em julho, sejam satisfatórios", destacou o coordenador.

Importância do LIRAa - O LIRAa é realizado a cada dois meses e serve como instrumento para nortear as ações de controle desenvolvidas pelo Programa Municipal. O último foi feito em maio e os bairros Industrial e Santo Antônio tiveram o índice acima de 4,0, considerado de alto risco. O levantamento apontou que dos 43 bairros da capital sergipana, 14 foram classificados em baixo risco (satisfatório), 27 bairros em médio risco (alerta) e dois com a classificação de alto de risco.
"A avaliação do LIRAa é fundamental. Através dele, e dos casos notificados, damos o direcionamento das intensificações das ações. Nossas atividades continuam nos bairros, conforme programação anual, mas ainda vamos intensificar no bairro Porto Dantas, que faz divisa com o Industrial, e no próximo sábado, 8, faremos um mutirão no Getúlio Vargas. Mas é importante dizer que mesmo atuando com mais intensidade, é preciso que a população que nos ajude, pois somente com a parceria e a colaboração das pessoas poderemos vencer o Aedes", enfatizou Jeferson.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS