Luedji Luna em turnê internacional

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/06/2019 às 22:57:00

 

Nos meses de junho e julho a cantora baiana Luedji Luna levará, pela primeira vez, seu álbum "Um Corpo no Mundo" para outras partes do mundo. 
Com versão em CD e LP sendo lançada por toda a Europa pelo selo Stern Music no dia 21 de junho, a viagem começa no dia 28 de junho por Montréal, cidade na província de Québec, no Canadá, onde Luedji irá se apresentar no famoso Montréal Jazz Festival, que chega à sua 40ª edição em 2019 e receberá grandes nomes da música mundial como Melody Gardot, Norah Jones, Bebel Gilberto e Mr Eazy.
No dia 30, a baiana estará em Toronto, também no Canadá, onde comandará o palco do Lula Lounge no ato de abertura do show da vocalista e guitarrista Luanda Jones, dona de uma voz suave que mistura bossa nova, jazz, samba, funk e que vem encantando e conquistando os canadenses.
Em julho, Luedji cruza o oceano para sua "Europe Summer Tour". A leg europeia começa em Amsterdã, onde Luedji participará do Amsterdam Roots Festival no dia 4 de julho. Em seguida, ela embarca para Berlin para se apresentar no Haus der Kulturen der Welt (HKW) durante o projeto Wassermusik: Black Atlantic Revisited que acontece no dia 5 de julho e terá, também em seu palco, Milton Nascimento apresentando Clube da Esquina.
No dia 5, Luedji participa da edição 2019 do Rudolstadt Festival, em Frankfurt, onde novos nomes da música mundial se unem a grandes estrelas em programações que inclui shows, workshops, palestras e exposições.
Seguindo a turnê, Luedji Luna leva seu "Um Corpo no Mundo" para Portugal, com shows em Lisboa (11/7); Porto (13/7); Madeira (17/7) e Sines (19/7).
Tendo a diáspora africana como tema principal, o show "Um Corpo no Mundo" fala dos orixás e da ancestralidade africana, mas também toca em temas como política, violência e caos urbano.
O show conta com a produção do sueco Sebastian Notini; a guitarra do queniano Kato Change; o violão do paulistano descendente de congolês François Muleka; a percussão do baiano Rudson Daniel; e o cubano Aniel Someillan fica com o baixo.

Nos meses de junho e julho a cantora baiana Luedji Luna levará, pela primeira vez, seu álbum "Um Corpo no Mundo" para outras partes do mundo. 
Com versão em CD e LP sendo lançada por toda a Europa pelo selo Stern Music no dia 21 de junho, a viagem começa no dia 28 de junho por Montréal, cidade na província de Québec, no Canadá, onde Luedji irá se apresentar no famoso Montréal Jazz Festival, que chega à sua 40ª edição em 2019 e receberá grandes nomes da música mundial como Melody Gardot, Norah Jones, Bebel Gilberto e Mr Eazy.
No dia 30, a baiana estará em Toronto, também no Canadá, onde comandará o palco do Lula Lounge no ato de abertura do show da vocalista e guitarrista Luanda Jones, dona de uma voz suave que mistura bossa nova, jazz, samba, funk e que vem encantando e conquistando os canadenses.
Em julho, Luedji cruza o oceano para sua "Europe Summer Tour". A leg europeia começa em Amsterdã, onde Luedji participará do Amsterdam Roots Festival no dia 4 de julho. Em seguida, ela embarca para Berlin para se apresentar no Haus der Kulturen der Welt (HKW) durante o projeto Wassermusik: Black Atlantic Revisited que acontece no dia 5 de julho e terá, também em seu palco, Milton Nascimento apresentando Clube da Esquina.
No dia 5, Luedji participa da edição 2019 do Rudolstadt Festival, em Frankfurt, onde novos nomes da música mundial se unem a grandes estrelas em programações que inclui shows, workshops, palestras e exposições.
Seguindo a turnê, Luedji Luna leva seu "Um Corpo no Mundo" para Portugal, com shows em Lisboa (11/7); Porto (13/7); Madeira (17/7) e Sines (19/7).
Tendo a diáspora africana como tema principal, o show "Um Corpo no Mundo" fala dos orixás e da ancestralidade africana, mas também toca em temas como política, violência e caos urbano.
O show conta com a produção do sueco Sebastian Notini; a guitarra do queniano Kato Change; o violão do paulistano descendente de congolês François Muleka; a percussão do baiano Rudson Daniel; e o cubano Aniel Someillan fica com o baixo.