Trabalho de desobstrução retirou 50 toneladas de lixo da rede de drenagem na sexta-feira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O prefeito Edvaldo Nogueira durante reunião do Gabinete de crise: avaliação dos estragos provocados pelas chuvas
O prefeito Edvaldo Nogueira durante reunião do Gabinete de crise: avaliação dos estragos provocados pelas chuvas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/06/2019 às 14:49:00

 

A Prefeitura de Aracaju atua durante todo o ano, de maneira regular, para manter a cidade limpa, sobretudo, com o intuito de evitar maiores transtornos durante períodos de chuva. Nas últimas 24h, quando choveu um volume de mais de 142 milímetros na capital sergipana, as equipes da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb) aumentaram o número de agentes, justamente para atender as demandas da cidade. A atenção especial foi dada à desobstrução da rede de drenagem da cidade e, assim, fazer com a que a água da chuva pudesse escoar com maior facilidade. 
Somente nesta sexta-feira (7), as equipes retiraram 50 toneladas de lixo dos bueiros da cidade e da rede de drenagem, um trabalho que evitou que alagamentos mais intensos ocorressem e afetassem ainda mais a população.
Reunindo as equipes da Emsurb e Emurb, foram mais de 600 pessoas envolvidas no trabalho ostensivo por toda a cidade. "O trabalho de limpeza de canais, bueiros e toda a rede de drenagem da cidade ocorre diariamente em Aracaju, seguindo uma programação. Em épocas em que, costumeiramente, as chuvas são mais intensas, intensificamos o serviço para evitar transtornos, no entanto, além dos agentes, é necessário que a população ajude nesse trabalho, de forma que não jogue lixo nas ruas, canais, terrenos baldios. Em dias de chuva é que sentimos os efeitos", destacou o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas.
 
As equipes começaram a intensificar as ações já nesta quinta-feira, 6, quando a chuva teve início. Em diversas regiões da cidade, os agentes executaram a limpeza da microdrenagem e, se fosse necessário, até a substituição da tubulação. O trabalho é sempre divido por etapas, começando pela retirada dos materiais que obstruem a rede. Em seguida, caso haja fissuras na estrutura, a tubulação é trocada. Pontos críticos como os canais das avenidas Anísio Azevedo e Airton Teles, por exemplo, não transbordaram, justamente por causa do trabalho anteriormente feito.
De acordo com o presidente da Emurb, Sergio Ferrari, orienta a população a ficar atenta e ressalta que Aracaju não suporta grandes quantidade de chuvas. "Não há trabalho preventivo que suporte índices pluviométrico que triplique a média esperada para um dia, como o que ocorreu hoje. Mas, ainda assim, reforçamos o trabalho, elevamos o número de trabalhadores e temos buscado atender os casos surgidos ao longo do dia. O que pedimos é a compreensão e a colaboração dos aracajuanos neste momento e a qualquer anormalidade acione a Emurb e só demais órgão da Prefeitura que estão mobilizados neste momento", pondera.
Gabinete de crise - O prefeito Edvaldo Nogueira voltou a reunir na noite de sexta-feira o Gabinete de Crise para fazer um balanço das ações de enfrentamento às chuvas em Aracaju. Em 24 horas, choveu 150 mm, mais da metade do volume previsto para todo o mês de junho. Edvaldo orientou os secretários a manterem as equipes de plantão para atuação ao longo do final de semana.
"O volume de chuvas foi muito alto, o que gerou muitos transtornos. Choveu em 24 horas mais da metade do que era previsto para junho. Mas a Prefeitura trabalhou desde o início para minimizar os efeitos dos alagamentos e intensificou as ações ao longo do dia. Um dado importante é que os canais não alagaram, o que mostrou que nosso trabalho preventivo de limpeza, foi eficiente. Equipes da Emsurb, Emurb, Defesa Civil, Assistência Social e SMTT atuaram de maneira coordenada para que a cidade pudesse lidar com este momento. Foram 800 pessoas trabalhando para enfrentar os efeitos das chuvas, aos quais agradeço muito. Mas a gente continuará em alerta durante o final de semana, uma vez que há previsão de mais chuvas", afirmou o prefeito.
A Defesa Civil reforçou os trabalhos desde a noite de quinta-feira (6) atuou com 14 agentes nos pontos onde foram registradas as ocorrências mais urgentes. Entre os chamados registrados pelo órgão, os agentes estiveram em locais como Palestina, Jabotiana, 13 de Julho, Suíssa, Santa Maria, Cidade Nova, Porto Dantas,com foco na avenida Euclides Figueiredo, Bairro Industrial e Farolândia. Foram atendidos casos de deslizamento de terra, estrutura com risco de desabamento, risco de queda de árvore, e o desabamento da cobertura de garagens de um condomínio. 

A Prefeitura de Aracaju atua durante todo o ano, de maneira regular, para manter a cidade limpa, sobretudo, com o intuito de evitar maiores transtornos durante períodos de chuva. Nas últimas 24h, quando choveu um volume de mais de 142 milímetros na capital sergipana, as equipes da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb) aumentaram o número de agentes, justamente para atender as demandas da cidade. A atenção especial foi dada à desobstrução da rede de drenagem da cidade e, assim, fazer com a que a água da chuva pudesse escoar com maior facilidade. 
Somente nesta sexta-feira (7), as equipes retiraram 50 toneladas de lixo dos bueiros da cidade e da rede de drenagem, um trabalho que evitou que alagamentos mais intensos ocorressem e afetassem ainda mais a população.
Reunindo as equipes da Emsurb e Emurb, foram mais de 600 pessoas envolvidas no trabalho ostensivo por toda a cidade. "O trabalho de limpeza de canais, bueiros e toda a rede de drenagem da cidade ocorre diariamente em Aracaju, seguindo uma programação. Em épocas em que, costumeiramente, as chuvas são mais intensas, intensificamos o serviço para evitar transtornos, no entanto, além dos agentes, é necessário que a população ajude nesse trabalho, de forma que não jogue lixo nas ruas, canais, terrenos baldios. Em dias de chuva é que sentimos os efeitos", destacou o presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas. As equipes começaram a intensificar as ações já nesta quinta-feira, 6, quando a chuva teve início. Em diversas regiões da cidade, os agentes executaram a limpeza da microdrenagem e, se fosse necessário, até a substituição da tubulação. O trabalho é sempre divido por etapas, começando pela retirada dos materiais que obstruem a rede. Em seguida, caso haja fissuras na estrutura, a tubulação é trocada. Pontos críticos como os canais das avenidas Anísio Azevedo e Airton Teles, por exemplo, não transbordaram, justamente por causa do trabalho anteriormente feito.
De acordo com o presidente da Emurb, Sergio Ferrari, orienta a população a ficar atenta e ressalta que Aracaju não suporta grandes quantidade de chuvas. "Não há trabalho preventivo que suporte índices pluviométrico que triplique a média esperada para um dia, como o que ocorreu hoje. Mas, ainda assim, reforçamos o trabalho, elevamos o número de trabalhadores e temos buscado atender os casos surgidos ao longo do dia. O que pedimos é a compreensão e a colaboração dos aracajuanos neste momento e a qualquer anormalidade acione a Emurb e só demais órgão da Prefeitura que estão mobilizados neste momento", pondera.

Gabinete de crise - O prefeito Edvaldo Nogueira voltou a reunir na noite de sexta-feira o Gabinete de Crise para fazer um balanço das ações de enfrentamento às chuvas em Aracaju. Em 24 horas, choveu 150 mm, mais da metade do volume previsto para todo o mês de junho. Edvaldo orientou os secretários a manterem as equipes de plantão para atuação ao longo do final de semana.
"O volume de chuvas foi muito alto, o que gerou muitos transtornos. Choveu em 24 horas mais da metade do que era previsto para junho. Mas a Prefeitura trabalhou desde o início para minimizar os efeitos dos alagamentos e intensificou as ações ao longo do dia. Um dado importante é que os canais não alagaram, o que mostrou que nosso trabalho preventivo de limpeza, foi eficiente. Equipes da Emsurb, Emurb, Defesa Civil, Assistência Social e SMTT atuaram de maneira coordenada para que a cidade pudesse lidar com este momento. Foram 800 pessoas trabalhando para enfrentar os efeitos das chuvas, aos quais agradeço muito. Mas a gente continuará em alerta durante o final de semana, uma vez que há previsão de mais chuvas", afirmou o prefeito.
A Defesa Civil reforçou os trabalhos desde a noite de quinta-feira (6) atuou com 14 agentes nos pontos onde foram registradas as ocorrências mais urgentes. Entre os chamados registrados pelo órgão, os agentes estiveram em locais como Palestina, Jabotiana, 13 de Julho, Suíssa, Santa Maria, Cidade Nova, Porto Dantas,com foco na avenida Euclides Figueiredo, Bairro Industrial e Farolândia. Foram atendidos casos de deslizamento de terra, estrutura com risco de desabamento, risco de queda de árvore, e o desabamento da cobertura de garagens de um condomínio.