Mobilização fortalece a Greve Geral do dia 14 de junho

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
SINDICALISTAS CONVOCAM POPULAÇÃO PARA PROTESTOS
SINDICALISTAS CONVOCAM POPULAÇÃO PARA PROTESTOS

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2019 às 09:10:00

 

Construindo a Greve 
Geral do Dia 14 de 
junho, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), professor Dudu e vários militantes e sindicalistas têm conversado diariamente com a população nos terminais rodoviários de Aracaju. "Para aprovar a Reforma Trabalhista, disseram que iria melhorar a vida dos pobres, iria gerar emprego, não melhorou nada, piorou, hoje são 14 milhões de desempregados no Brasil. Quem ganhou com isso? Só os ricos. Então nesse dia 14 de junho não vai ter ônibus, não vai ter comércio, não vai ter banco, vai tá tudo fechado, é greve geral em defesa da aposentadoria do povo brasileiro. Vamos todos juntos barrar esta Reforma da Previdência", convidou o professor Dudu.
Da mesma maneira, trabalhadores de Sergipe indignados com a Reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional concordaram em participar da construção da Greve Geral Nacional no dia 14 de junho, próxima sexta-feira, por emprego, educação e aposentadoria. Em Assembleia Geral, Sindisan (Urbanitários), Sindiserve Poço Verde (Servidores Públicos), Sintese (Professores), Sintect (Correios), Sindiprev (Previdenciários), Sinasefe (IFS), Seeb (Bancários), Sindifrei (Servidores Públicos), Sindacsei (Agentes Comunitários), Sintra (Rodoviários), entre vários outros sindicatos de Sergipe aprovaram a Greve Geral.
Em Sergipe, os sindicatos filiados à CUT, à UGT, CTB, CSP/Conlutas e movimentos sociais reunidos da Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo participam da construção da Greve Geral. Em todo o Brasil, a Greve Geral do dia 14 de junho vai fazer história. Em Aracaju, vários protestos serão realizados desde a madrugada e também no turno da manhã. À tarde, a partir das 15h, a concentração será na Praça General Valadão.
Petroleiros - A categoria petroleira, organizada pela FNP (Federação Nacional dos Petroleiros) e FUP (Federação Única dos Petroleiros), também vão participar em peso da data. Em Sergipe e Alagoas fo Sindipetro AL/SE realizou assembleia em todas as áreas da Petrobras, onde os trabalhadores e trabalhadoras deciciram aderir a Greve Geral e vão parar nesta sexta-feira.
Nacionalmente, trabalhadoras e trabalhadores de diversos setores se somarão à Greve Geral contra a Reforma da Previdência, em defesa da Educação e por empregos. Segmentos do setor dos transportes, servidores públicos, profissionais da Educação, metalúrgicos, bancários, operários da construção civil, petroleiros, comerciários irão integrar esse dia de luta contra os ataques do governo Jair Bolsonaro aos direitos previdenciários, ao emprego e aos cortes na Educação.

Construindo a Greve  Geral do Dia 14 de  junho, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), professor Dudu e vários militantes e sindicalistas têm conversado diariamente com a população nos terminais rodoviários de Aracaju. "Para aprovar a Reforma Trabalhista, disseram que iria melhorar a vida dos pobres, iria gerar emprego, não melhorou nada, piorou, hoje são 14 milhões de desempregados no Brasil. Quem ganhou com isso? Só os ricos. Então nesse dia 14 de junho não vai ter ônibus, não vai ter comércio, não vai ter banco, vai tá tudo fechado, é greve geral em defesa da aposentadoria do povo brasileiro. Vamos todos juntos barrar esta Reforma da Previdência", convidou o professor Dudu.
Da mesma maneira, trabalhadores de Sergipe indignados com a Reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional concordaram em participar da construção da Greve Geral Nacional no dia 14 de junho, próxima sexta-feira, por emprego, educação e aposentadoria. Em Assembleia Geral, Sindisan (Urbanitários), Sindiserve Poço Verde (Servidores Públicos), Sintese (Professores), Sintect (Correios), Sindiprev (Previdenciários), Sinasefe (IFS), Seeb (Bancários), Sindifrei (Servidores Públicos), Sindacsei (Agentes Comunitários), Sintra (Rodoviários), entre vários outros sindicatos de Sergipe aprovaram a Greve Geral.
Em Sergipe, os sindicatos filiados à CUT, à UGT, CTB, CSP/Conlutas e movimentos sociais reunidos da Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo participam da construção da Greve Geral. Em todo o Brasil, a Greve Geral do dia 14 de junho vai fazer história. Em Aracaju, vários protestos serão realizados desde a madrugada e também no turno da manhã. À tarde, a partir das 15h, a concentração será na Praça General Valadão.

Petroleiros - A categoria petroleira, organizada pela FNP (Federação Nacional dos Petroleiros) e FUP (Federação Única dos Petroleiros), também vão participar em peso da data. Em Sergipe e Alagoas fo Sindipetro AL/SE realizou assembleia em todas as áreas da Petrobras, onde os trabalhadores e trabalhadoras deciciram aderir a Greve Geral e vão parar nesta sexta-feira.
Nacionalmente, trabalhadoras e trabalhadores de diversos setores se somarão à Greve Geral contra a Reforma da Previdência, em defesa da Educação e por empregos. Segmentos do setor dos transportes, servidores públicos, profissionais da Educação, metalúrgicos, bancários, operários da construção civil, petroleiros, comerciários irão integrar esse dia de luta contra os ataques do governo Jair Bolsonaro aos direitos previdenciários, ao emprego e aos cortes na Educação.