Vereador Camilo denuncia a política de preços dos combustíveis no Brasil

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/06/2019 às 09:16:00

 

Nesta quinta-feira, em seu pronunciamento no expediente da Câmara de Vereadores de Aracaju (CMA), o vereador Camilo Lula falou sobre a política nacional de preço dos combustíveis. Na ocasião o parlamentar explicou que os ajuste na política do preço de combustíveis no Brasil está subindo de acordo com o mercado internacional. Isso significa que a gasolina, o gás e o óleo diesel estão sendo vendidos a preço de dólar e que os aumentos seguem a dinâmica internacional e não de acordo com o mercado brasileiro. 
Camilo afirmou que o povo brasileiro recebe salários em Real e paga o combustível em dólar e por isso o preço da gasolina está em torno de cinco reais e o do botijão de gás está em torno de oitenta reais. "Quem sofre com esse abuso é o trabalhador, pois essa política de preços dos combustíveis é lamentável, é absurda", define. 
O parlamentar convidou os colegas vereadores a se posicionarem contra e a denunciarem essa política abusiva e lembrou que o trabalho, no Brasil, está sendo precarizado. "Os motoristas de aplicativos têm jornadas de 12horas a 14 horas por dia para receberem um salário que mal dá para eles sustentarem a si a as suas famílias", recordou. 
Camilo falou ainda sobre os dados divulgados pelos hospitais públicos em Aracaju e em Salvador de que os casos de queimaduras estão aumentando exponencialmente devido ao uso de fogão a lenha para as cozinhas. "Um quinto por cento da população brasileira voltou a utilizar fogão a lenha e isso é inadmissível no século XXI, essa política de aumento dos preços dos combustíveis está tirando a dignidade dos trabalhadores que não conseguem mais nem comprar um botijão de gás", afirmou. 
O vereador concluiu seu discurso explicando que a política de aumento dos combustíveis tem o claro objetivo de contribuir para a desvalorização da Petrobrás enquanto empresa estatal para facilitar a venda da empresa para o capital estrangeiro. "Esse pacote de desinvestimentos do Governo Bolsonaro provoca o desemprego, aumenta o preço do gás e da gasolina, fecha empresas importantes como a Fafen e como a Mosaic. Só para os senhores entenderem em 2013 nós tínhamos 20 mil trabalhadores da construção civil em Sergipe e hoje esse número não passa de 3 mil, desestabilizar a Petrobrás, derrubar os empregos formais desta forma, faz parte do pacote de ataques à soberania do nosso país", acrescentou o parlamentar.  

Nesta quinta-feira, em seu pronunciamento no expediente da Câmara de Vereadores de Aracaju (CMA), o vereador Camilo Lula falou sobre a política nacional de preço dos combustíveis. Na ocasião o parlamentar explicou que os ajuste na política do preço de combustíveis no Brasil está subindo de acordo com o mercado internacional. Isso significa que a gasolina, o gás e o óleo diesel estão sendo vendidos a preço de dólar e que os aumentos seguem a dinâmica internacional e não de acordo com o mercado brasileiro. 
Camilo afirmou que o povo brasileiro recebe salários em Real e paga o combustível em dólar e por isso o preço da gasolina está em torno de cinco reais e o do botijão de gás está em torno de oitenta reais. "Quem sofre com esse abuso é o trabalhador, pois essa política de preços dos combustíveis é lamentável, é absurda", define. 
O parlamentar convidou os colegas vereadores a se posicionarem contra e a denunciarem essa política abusiva e lembrou que o trabalho, no Brasil, está sendo precarizado. "Os motoristas de aplicativos têm jornadas de 12horas a 14 horas por dia para receberem um salário que mal dá para eles sustentarem a si a as suas famílias", recordou. 
Camilo falou ainda sobre os dados divulgados pelos hospitais públicos em Aracaju e em Salvador de que os casos de queimaduras estão aumentando exponencialmente devido ao uso de fogão a lenha para as cozinhas. "Um quinto por cento da população brasileira voltou a utilizar fogão a lenha e isso é inadmissível no século XXI, essa política de aumento dos preços dos combustíveis está tirando a dignidade dos trabalhadores que não conseguem mais nem comprar um botijão de gás", afirmou. 
O vereador concluiu seu discurso explicando que a política de aumento dos combustíveis tem o claro objetivo de contribuir para a desvalorização da Petrobrás enquanto empresa estatal para facilitar a venda da empresa para o capital estrangeiro. "Esse pacote de desinvestimentos do Governo Bolsonaro provoca o desemprego, aumenta o preço do gás e da gasolina, fecha empresas importantes como a Fafen e como a Mosaic. Só para os senhores entenderem em 2013 nós tínhamos 20 mil trabalhadores da construção civil em Sergipe e hoje esse número não passa de 3 mil, desestabilizar a Petrobrás, derrubar os empregos formais desta forma, faz parte do pacote de ataques à soberania do nosso país", acrescentou o parlamentar.