Georgeo critica nota do governo sobre queda no FPE

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O deputado Georgeo Passos discursa na Assembleia
O deputado Georgeo Passos discursa na Assembleia

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2019 às 09:17:00

 

O deputado Georgeo Passos (REDE), criticou na sessão desta quarta-feira ma nota publicada no site oficial do governo de Sergipe (ANS) e no site da Secretaria de Estado da Fazenda, dando conta de que 'o estado de Sergipe vai registrar ao final do mês de junho uma queda significativa no repasse correspondente ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) que pode alcançar R$ 59 milhões, em comparação com o último mês'.
"Na verdade o governo está sem rumo e sem planejamento, pois não é possível que o governador Belivaldo Chagas, um homem experimentado, depois de tanto tempo não saiba que nos meses de junho, julho, agosto e setembro, o FPE e o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), geralmente têm uma oscilação para baixo, se comparado com meses anteriores", afirma.
Georgeo Passos disse estar se perguntando para quem foi o recado. "O governador quer assustar os servidores que até agora, cinco anos sem reajuste, com salários atrasados; fornecedores com até cinco faturas sem receber e a gente fica sem entender o porque disso, já que não existe nenhuma novidade nesse cenário. Ano após ano quem acompanha a receita do estado de Sergipe, pode verificar que, quando chega nos meses de junho, julho, agosto e setembro, há uma diminuição. Na verdade hoje temos um governo do calote e que não honra os compromissos que assume. Temos contratos de 60 milhões por ano, que já foi executado os meses de janeiro, fevereiro, março, abril e maio e nenhuma fatura foi paga e o governo pra assustar solta essa nota como se fosse algo inédito no estado de Sergipe e não é", alfineta.
O parlamentar lembrou que em 2018 o governo mandou para Alese, projetos solicitando recursos de depósitos judiciais e do fundo de Previdência.
"Foi feita a fusão do fundo, porque sabe que chega agora e tem essa diminuição. Mais uma vez não se organizaram, não se prepararam e quer passar essa conta para servidores e fornecedores, em última instância para a sociedade que vai ter serviços com deficiência. A lógica seria o governo pegar períodos determinados desse ano e comparar com períodos determinados do ano anterior. Teríamos uma noção melhor de como estão se comportando as  receitas do estado, que ano após ano, aumentam. O FPE não é diferente. Em abril deste ano, o estado arrecadou 300 milhões, se comparar como o governo está fazendo, no mês de maio nós recebemos 398 milhões de reais; 87 milhões a mais. Ou seja, o governo não saiu com nenhuma nota sobre isso", enfatiza.

O deputado Georgeo Passos (REDE), criticou na sessão desta quarta-feira ma nota publicada no site oficial do governo de Sergipe (ANS) e no site da Secretaria de Estado da Fazenda, dando conta de que 'o estado de Sergipe vai registrar ao final do mês de junho uma queda significativa no repasse correspondente ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) que pode alcançar R$ 59 milhões, em comparação com o último mês'.
"Na verdade o governo está sem rumo e sem planejamento, pois não é possível que o governador Belivaldo Chagas, um homem experimentado, depois de tanto tempo não saiba que nos meses de junho, julho, agosto e setembro, o FPE e o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), geralmente têm uma oscilação para baixo, se comparado com meses anteriores", afirma.
Georgeo Passos disse estar se perguntando para quem foi o recado. "O governador quer assustar os servidores que até agora, cinco anos sem reajuste, com salários atrasados; fornecedores com até cinco faturas sem receber e a gente fica sem entender o porque disso, já que não existe nenhuma novidade nesse cenário. Ano após ano quem acompanha a receita do estado de Sergipe, pode verificar que, quando chega nos meses de junho, julho, agosto e setembro, há uma diminuição. Na verdade hoje temos um governo do calote e que não honra os compromissos que assume. Temos contratos de 60 milhões por ano, que já foi executado os meses de janeiro, fevereiro, março, abril e maio e nenhuma fatura foi paga e o governo pra assustar solta essa nota como se fosse algo inédito no estado de Sergipe e não é", alfineta.
O parlamentar lembrou que em 2018 o governo mandou para Alese, projetos solicitando recursos de depósitos judiciais e do fundo de Previdência.
"Foi feita a fusão do fundo, porque sabe que chega agora e tem essa diminuição. Mais uma vez não se organizaram, não se prepararam e quer passar essa conta para servidores e fornecedores, em última instância para a sociedade que vai ter serviços com deficiência. A lógica seria o governo pegar períodos determinados desse ano e comparar com períodos determinados do ano anterior. Teríamos uma noção melhor de como estão se comportando as  receitas do estado, que ano após ano, aumentam. O FPE não é diferente. Em abril deste ano, o estado arrecadou 300 milhões, se comparar como o governo está fazendo, no mês de maio nós recebemos 398 milhões de reais; 87 milhões a mais. Ou seja, o governo não saiu com nenhuma nota sobre isso", enfatiza.