Nem sinal do Forró Caju 2019

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Edvaldo terá de provar que ainda pode levantar poeira
Edvaldo terá de provar que ainda pode levantar poeira

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/06/2019 às 23:17:00

 

Rian Santos
riansantos@jornaldodiase.com.br
O prefeito Edvaldo 
Nogueira passou 
quinze dias em férias. O alcaide transferiu suas responsabilidades para o vereador Nitinho Vitale e tratou de aproveitar a vida. Antes de sair por aí, braços dados com a sorte, contudo, ele prometeu anunciar a programação completa do Forró Caju assim que assumisse de novo a Prefeitura Municipal, já com a face corada por outro sol, valorizado pela vantagem de  bater na outra banda do mundo. Edvaldo voltou, encontrou a cidade embaixo d'água, por pouco não meteu os pés em galochas. E, até agora, nada.
O Forró Caju não é assunto de vida ou morte. As ruas transformadas em afluentes da ira divina, ao contrário, são. Mas também há justificada apreensão atrelada à realização da festa. Artistas sergipanos querem saber qual espaço ocuparão no evento promovido pelo poder público municipal, quem vai brincar o São João, quem vai ficar chupando o dedo, na saudade.
Pelo que já se sabe, o Forró Caju 2019 será uma festa de poucos dias, sem muita divulgação, francamente modesta. Sem recursos para ostentar o mesmo status dos grandes eventos de natureza comercial, como outrora - quando despejou fortunas nos bolsos de artistas que pouco têm a ver com a tradição junina, a exemplo de Devinho Novaes e Wesley Safadão -, o Forró Caju 2019 será necessariamente diferente. Edvaldo terá de provar que ainda tem raízes fincadas no chão natal e sabe muito bem como percutir a zabumba e levantar poeira de verdade.
Neste particular, a Prefeitura poderia se mirar no evento promovido pelo Governo de Sergipe, de tão poucos acertos. Se há algo a salvo de crítica na gestão da Cultura nativa em âmbito estadual, ao longo dos últimos anos, isto é o arraial da Orla. Lá, com dispêndio relativamente pequeno, o forró autêntico come solto, sem apelar para os falsetes de mal gosto que fizeram a fama da Calcinha Preta.
 Até a divulgação de sua programação oficial, o Forró Caju 2019 será um grande mistério. Este jornalista consultou fontes oficiais e  oficiais, enviou e-mails, fez telefonemas. Sobre o assunto, ninguém diz uma palavra. Um assessor da Prefeitura ainda teve a inspiração de um chiste e respondeu à interrogação insistente com os versos de Flávio José. Finalmente, a programação sai ou não sai, conforme o combinado? "Amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada".

O prefeito Edvaldo  Nogueira passou  quinze dias em férias. O alcaide transferiu suas responsabilidades para o vereador Nitinho Vitale e tratou de aproveitar a vida. Antes de sair por aí, braços dados com a sorte, contudo, ele prometeu anunciar a programação completa do Forró Caju assim que assumisse de novo a Prefeitura Municipal, já com a face corada por outro sol, valorizado pela vantagem de  bater na outra banda do mundo. Edvaldo voltou, encontrou a cidade embaixo d'água, por pouco não meteu os pés em galochas. E, até agora, nada.
O Forró Caju não é assunto de vida ou morte. As ruas transformadas em afluentes da ira divina, ao contrário, são. Mas também há justificada apreensão atrelada à realização da festa. Artistas sergipanos querem saber qual espaço ocuparão no evento promovido pelo poder público municipal, quem vai brincar o São João, quem vai ficar chupando o dedo, na saudade.
Pelo que já se sabe, o Forró Caju 2019 será uma festa de poucos dias, sem muita divulgação, francamente modesta. Sem recursos para ostentar o mesmo status dos grandes eventos de natureza comercial, como outrora - quando despejou fortunas nos bolsos de artistas que pouco têm a ver com a tradição junina, a exemplo de Devinho Novaes e Wesley Safadão -, o Forró Caju 2019 será necessariamente diferente. Edvaldo terá de provar que ainda tem raízes fincadas no chão natal e sabe muito bem como percutir a zabumba e levantar poeira de verdade.
Neste particular, a Prefeitura poderia se mirar no evento promovido pelo Governo de Sergipe, de tão poucos acertos. Se há algo a salvo de crítica na gestão da Cultura nativa em âmbito estadual, ao longo dos últimos anos, isto é o arraial da Orla. Lá, com dispêndio relativamente pequeno, o forró autêntico come solto, sem apelar para os falsetes de mal gosto que fizeram a fama da Calcinha Preta.
 Até a divulgação de sua programação oficial, o Forró Caju 2019 será um grande mistério. Este jornalista consultou fontes oficiais e  oficiais, enviou e-mails, fez telefonemas. Sobre o assunto, ninguém diz uma palavra. Um assessor da Prefeitura ainda teve a inspiração de um chiste e respondeu à interrogação insistente com os versos de Flávio José. Finalmente, a programação sai ou não sai, conforme o combinado? "Amanhã pode acontecer tudo, inclusive nada".