Secretaria de Educação e Unicef farão busca ativa de alunos no município de São Cristóvão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/06/2019 às 23:07:00

 

Diretores, professores, técnicos da Secretaria Municipal de Educação e também membros da Secretaria Municipal de Saúde e Conselho Tutelar participaram na quinta-feira (13) de reunião, no Paço Municipal, sobre Programa busca ativa da Unicef. A Secretaria Estadual de Educação é a responsável pela mobilização, que visa não deixar nenhuma criança ou adolescente fora da escola em Sergipe.
Segundo Leila Santos Silva, que trabalha na Coordenação Estadual do Programa Bolsa Família, a busca ativa acontece a partir do uso de uma plataforma desenvolvida pela UNICEF. "Normalmente, as escolas realizam duas buscas ativas no decorrer do ano. Então essa mobilização é pra frisar a importância disto acontecer durante todo o ano, de forma a perceber se uma criança ou adolescente está fora da escola, onde acontece um trabalho para inseri-la ou reinseri-la no sistema educação", informou.
Leila ainda pontuou que se trata de um trabalho intersetorial que envolve Educação, Saúde, Assistência Social do estado e do município e conselho tutelares. "Os municípios precisam entender se tratar de um processo que envolve vários atores que trabalharão juntos para identificar as crianças e adolescentes fora das escolas. O estado aderiu à plataforma da Unicef em setembro de 2018 e tivemos naquele ano o primeiro encontro com as secretarias municipais. Agora em 2019 estamos nos reunindo com diretores e coordenadores para capacitá-los quanto ao uso desta ferramenta de busca", completou.
O processo não está apenas restrito à inserção nas escolas. Depois de identificadas, crianças e adolescentes passarão a ser acompanhadas de forma geral, incluindo não apenas questões educacionais, mas tudo relativo ao dia a dia destes e as possíveis negligências e ou violências sofridas. "Não queremos nenhuma criança ou adolescente fora da escola. São Cristóvão já aderiu à plataforma, e agora vamos começar a usar de forma efetiva. Vale ressaltar que São Cristóvão já vinha trabalhando de forma independente para identificar crianças e adolescentes fora da escola, porém, agora vamos fazer este trabalho de maneira mais coordenada", disse a diretora pedagógica municipal, Deise Barroso.
De acordo com a diretora da Escola Olga Maria Santos (no Caípe Novo), Eliane do Carmo, o uso desta busca ativa será de extrema importância. "Já iniciamos esse trabalho e agora vamos usar a ferramenta, indo até a Secretaria Municipal de Educação para juntos com os técnicos iniciarmos esse trabalho".
Dia D - Segundo explicou o coordenador operacional (responsável pelo uso da ferramenta em São Cristóvão), Alberto Tadeu Santana de Oliveira, o próximo passo será dividir o papel de cada pessoa. "São Cristóvão já aderiu à busca ativa e agora vamos criar grupos com pessoas de cada secretaria envolvida para nós acompanharmos mais de perto cada área. Bem provável que faremos um Dia D num local mais necessitado deste trabalho, pra fazermos um mutirão de busca ativa", pontuou.

Diretores, professores, técnicos da Secretaria Municipal de Educação e também membros da Secretaria Municipal de Saúde e Conselho Tutelar participaram na quinta-feira (13) de reunião, no Paço Municipal, sobre Programa busca ativa da Unicef. A Secretaria Estadual de Educação é a responsável pela mobilização, que visa não deixar nenhuma criança ou adolescente fora da escola em Sergipe.
Segundo Leila Santos Silva, que trabalha na Coordenação Estadual do Programa Bolsa Família, a busca ativa acontece a partir do uso de uma plataforma desenvolvida pela UNICEF. "Normalmente, as escolas realizam duas buscas ativas no decorrer do ano. Então essa mobilização é pra frisar a importância disto acontecer durante todo o ano, de forma a perceber se uma criança ou adolescente está fora da escola, onde acontece um trabalho para inseri-la ou reinseri-la no sistema educação", informou.
Leila ainda pontuou que se trata de um trabalho intersetorial que envolve Educação, Saúde, Assistência Social do estado e do município e conselho tutelares. "Os municípios precisam entender se tratar de um processo que envolve vários atores que trabalharão juntos para identificar as crianças e adolescentes fora das escolas. O estado aderiu à plataforma da Unicef em setembro de 2018 e tivemos naquele ano o primeiro encontro com as secretarias municipais. Agora em 2019 estamos nos reunindo com diretores e coordenadores para capacitá-los quanto ao uso desta ferramenta de busca", completou.
O processo não está apenas restrito à inserção nas escolas. Depois de identificadas, crianças e adolescentes passarão a ser acompanhadas de forma geral, incluindo não apenas questões educacionais, mas tudo relativo ao dia a dia destes e as possíveis negligências e ou violências sofridas. "Não queremos nenhuma criança ou adolescente fora da escola. São Cristóvão já aderiu à plataforma, e agora vamos começar a usar de forma efetiva. Vale ressaltar que São Cristóvão já vinha trabalhando de forma independente para identificar crianças e adolescentes fora da escola, porém, agora vamos fazer este trabalho de maneira mais coordenada", disse a diretora pedagógica municipal, Deise Barroso.
De acordo com a diretora da Escola Olga Maria Santos (no Caípe Novo), Eliane do Carmo, o uso desta busca ativa será de extrema importância. "Já iniciamos esse trabalho e agora vamos usar a ferramenta, indo até a Secretaria Municipal de Educação para juntos com os técnicos iniciarmos esse trabalho".

Dia D - Segundo explicou o coordenador operacional (responsável pelo uso da ferramenta em São Cristóvão), Alberto Tadeu Santana de Oliveira, o próximo passo será dividir o papel de cada pessoa. "São Cristóvão já aderiu à busca ativa e agora vamos criar grupos com pessoas de cada secretaria envolvida para nós acompanharmos mais de perto cada área. Bem provável que faremos um Dia D num local mais necessitado deste trabalho, pra fazermos um mutirão de busca ativa", pontuou.