Sergipe cheio de gás

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 17/06/2019 às 22:43:00

 

Do oco da terra, das entranhas 
mais profundas do estado, 
chega agora uma boa nova, capaz de revigorar a cambaleante economia local: A Petrobras descobriu seis campos de gás natural em território sergipano. Para o governador Belivaldo Chagas, obrigado para fazer das tripas coração com o fim de honrar os compromissos da administração estadual, a descoberta tem o valor de um bilhete premiado. Os sergipanos ganharam na loteria. 
Trata-se aqui, sem tirar nem por, da maior descoberta da empresa realizada em Sergipe, desde o pré-sal, em 2006. Uma vez em operação, os campos deverão produzir 20 milhões de m³ de gás natural por dia, o equivalente a um terço da produção total brasileira. Nas contas de um consultora, a  descoberta deve gerar uma receita anual de R$ 7 bilhões.
A descoberta ocorre em momento muito oportuno, justamente quando o Governo Federal pretende baratear o gás natural, aumentando a sua produção. Oportunidade que, nas palavras de Belivaldo, deverá inaugurar um novo ciclo na economia sergipana.
"Sergipe se tornará a estrela do gás no Brasil. É uma descoberta extremamente promissora para o futuro de Sergipe, significa dizer que seremos um dos maiores produtores de gás desse país. Com certeza, nós teremos, nessa cadeia produtiva, vários empreendimentos que virão a Sergipe. Será realmente um divisor de águas".
Que assim seja. Os postos de trabalho fechados com a hibernação da Fafen em Laranjeiras não foram capaz de sensibilizar a direção da Petrobras. Já era hora de os sergipanos desempregados voltar a sonhar com uma chance.

Do oco da terra, das entranhas  mais profundas do estado,  chega agora uma boa nova, capaz de revigorar a cambaleante economia local: A Petrobras descobriu seis campos de gás natural em território sergipano. Para o governador Belivaldo Chagas, obrigado para fazer das tripas coração com o fim de honrar os compromissos da administração estadual, a descoberta tem o valor de um bilhete premiado. Os sergipanos ganharam na loteria. 
Trata-se aqui, sem tirar nem por, da maior descoberta da empresa realizada em Sergipe, desde o pré-sal, em 2006. Uma vez em operação, os campos deverão produzir 20 milhões de m³ de gás natural por dia, o equivalente a um terço da produção total brasileira. Nas contas de um consultora, a  descoberta deve gerar uma receita anual de R$ 7 bilhões.
A descoberta ocorre em momento muito oportuno, justamente quando o Governo Federal pretende baratear o gás natural, aumentando a sua produção. Oportunidade que, nas palavras de Belivaldo, deverá inaugurar um novo ciclo na economia sergipana.
"Sergipe se tornará a estrela do gás no Brasil. É uma descoberta extremamente promissora para o futuro de Sergipe, significa dizer que seremos um dos maiores produtores de gás desse país. Com certeza, nós teremos, nessa cadeia produtiva, vários empreendimentos que virão a Sergipe. Será realmente um divisor de águas".
Que assim seja. Os postos de trabalho fechados com a hibernação da Fafen em Laranjeiras não foram capaz de sensibilizar a direção da Petrobras. Já era hora de os sergipanos desempregados voltar a sonhar com uma chance.