Sergipe terá o 2º maior parque de produção de energia solar do mundo

Geral


  • Reunião discute produção de energia solar no sertão sergipano

 

A semana iniciou com boas notícias para Sergipe. Nesta segunda-feira (17), o governador Belivaldo Chagas recebeu a apresentação do projeto de construção do Parque de Energia Solar que será instalado no município de Canindé de São Francisco, e será o 2º maior parque de produção de energia fotovoltaica do mundo, ficando apenas após o Tengger Desert Solar Park, localizado na China. Na ocasião, foi entregue a licença ambiental prévia da área onde a usina será instalada. 
O Parque que será instalado é uma iniciativa da Enesf - Energias do São Francisco, consórcio formado por empresas e investidores que acreditam no potencial energético do estado. 
"Agradeço a confiança que está sendo depositada em nosso estado. Estamos vivendo um período ímpar, onde as boas notícias estão chegando. Isso cria um ambiente promissor para o estado, onde os investidores estão atuando, fazendo com que as coisas possam acontecer. Por parte do estado, o que pudermos colaborar, como já estamos colaborando, vamos fazer", declarou o governador que destacou também a atuação da Adema, no processo de licenciamento ambiental. 
De acordo com o diretor do Núcleo do Desenvolvimento Econômico e Social de Sergipe, Joaquim Ferreira, o projeto já vem sendo desenvolvido há dois anos. "Nesse projeto, o governo do Estado nos auxiliou bastante na questão de licenciamento ambiental e em outros apoios que nós precisamos. A nossa expectativa é colocar o parque em operação no menor prazo possível, gerando emprego e renda na região", afirmou. 
"É um projeto de energia solar, com 1.200 megawatts de capacidade instalada. Maior projeto do país de energia solar e possivelmente um dos maiores projetos no mundo. Nós estimamos um investimento em torno de R$ 5 bilhões para todos os 1.200 MW, que será feito por fases", explicou o diretor de novos negócios, Felipe Koefender.
Ações realizadas  - As primeiras etapas para concretização do parque de energia solar em Sergipe já estão em execução. Entre as ações já realizadas foram feitas a instalação da estação para medição solarimétrica, bem como os estudos ambientais que favoreceram a licença ambiental prévia entregue nesta segunda-feira. 
Além disso, já foram arrendados os 2.400ha, área que comportará as placas para os 1.200 MW de capacidade instalada; também foi concluída a produção de certificação, bem como o projeto básico de engenharia. 
A expectativa é de instalação completa do parque de energia solar no menor espaço de tempo possível, e uma das ações que pode favorecer nesse resultado é o leilão do governo federal, que acontecerá no mês de outubro. 
"É fundamental, porque é a maneira, no Brasil, que se comercializa, no ambiente regulado, a energia gerada por esses tipos de projetos. Nós cadastramos na EPE - Empresa de Pesquisa Energética, ligado ao Ministério de Minas e Energias (MME), 600 megawatts. Acreditamos que podemos ter um resultado bastante importante, a partir dessa participação no leilão", ressaltou Felipe Koefender. 
A ideia é avaliar o mercado a partir do leilão e viabilizar a construção do projeto. "A primeira etapa do parque, que seriam 600 MW a gente destinou ao leilão do governo federal, que acontecerá em outubro. E depois terá uma ampliação de mais 600 MW, embora o projeto tenha sido todo concebido já com os 1.200 MW", especificou Joaquim Oliveira.

A semana iniciou com boas notícias para Sergipe. Nesta segunda-feira (17), o governador Belivaldo Chagas recebeu a apresentação do projeto de construção do Parque de Energia Solar que será instalado no município de Canindé de São Francisco, e será o 2º maior parque de produção de energia fotovoltaica do mundo, ficando apenas após o Tengger Desert Solar Park, localizado na China. Na ocasião, foi entregue a licença ambiental prévia da área onde a usina será instalada. 
O Parque que será instalado é uma iniciativa da Enesf - Energias do São Francisco, consórcio formado por empresas e investidores que acreditam no potencial energético do estado. 
"Agradeço a confiança que está sendo depositada em nosso estado. Estamos vivendo um período ímpar, onde as boas notícias estão chegando. Isso cria um ambiente promissor para o estado, onde os investidores estão atuando, fazendo com que as coisas possam acontecer. Por parte do estado, o que pudermos colaborar, como já estamos colaborando, vamos fazer", declarou o governador que destacou também a atuação da Adema, no processo de licenciamento ambiental. 
De acordo com o diretor do Núcleo do Desenvolvimento Econômico e Social de Sergipe, Joaquim Ferreira, o projeto já vem sendo desenvolvido há dois anos. "Nesse projeto, o governo do Estado nos auxiliou bastante na questão de licenciamento ambiental e em outros apoios que nós precisamos. A nossa expectativa é colocar o parque em operação no menor prazo possível, gerando emprego e renda na região", afirmou. 
"É um projeto de energia solar, com 1.200 megawatts de capacidade instalada. Maior projeto do país de energia solar e possivelmente um dos maiores projetos no mundo. Nós estimamos um investimento em torno de R$ 5 bilhões para todos os 1.200 MW, que será feito por fases", explicou o diretor de novos negócios, Felipe Koefender.

Ações realizadas  - As primeiras etapas para concretização do parque de energia solar em Sergipe já estão em execução. Entre as ações já realizadas foram feitas a instalação da estação para medição solarimétrica, bem como os estudos ambientais que favoreceram a licença ambiental prévia entregue nesta segunda-feira. 
Além disso, já foram arrendados os 2.400ha, área que comportará as placas para os 1.200 MW de capacidade instalada; também foi concluída a produção de certificação, bem como o projeto básico de engenharia. 
A expectativa é de instalação completa do parque de energia solar no menor espaço de tempo possível, e uma das ações que pode favorecer nesse resultado é o leilão do governo federal, que acontecerá no mês de outubro. 
"É fundamental, porque é a maneira, no Brasil, que se comercializa, no ambiente regulado, a energia gerada por esses tipos de projetos. Nós cadastramos na EPE - Empresa de Pesquisa Energética, ligado ao Ministério de Minas e Energias (MME), 600 megawatts. Acreditamos que podemos ter um resultado bastante importante, a partir dessa participação no leilão", ressaltou Felipe Koefender. 
A ideia é avaliar o mercado a partir do leilão e viabilizar a construção do projeto. "A primeira etapa do parque, que seriam 600 MW a gente destinou ao leilão do governo federal, que acontecerá em outubro. E depois terá uma ampliação de mais 600 MW, embora o projeto tenha sido todo concebido já com os 1.200 MW", especificou Joaquim Oliveira.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS