MP recomenda Confiança não realizar carreata

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 19/06/2019 às 22:59:00

 

Nesta quarta-feira (19), o Ministério Público de Sergipe (MP), por meio da Promotoria de Justiça do Controle Externo da Atividade Policial, recomendou que a Associação Desportiva Confiança não realize uma carreata programada para ocorrer no próximo domingo (23).
Segundo a recomendação emitida pelo promotor de Justiça, Eduardo Lima de Matos, destacou que a Polícia Militar de Sergipe precisa ser avisada sobre eventos de grande porte no prazo mínimo de 30 dias para se preparar e garantir maior segurança.
"Considerando que a carreata dos torcedores azulinos em prol do Confiança foi comunicada a PM/SE em prazo extemporâneo, e que a sua realização sem o apoio da polícia Militar poderá gerar atos de violência, tendo em vista o histórico de brigas, desavenças e até homicídios entre torcidas rivais", salientou o promotor.
Por fim, o promotor Eduardo Lima de Matos alertou que a medida é em razão dos riscos sinalizados pelo Comando do Policiamento da Capital. "Acentuando a intempestividade do pedido e o número elevado de programações festivas nesse período junino, o que poderá colocar em risco a segurança da população aracajuana", frisou no documento.

Nesta quarta-feira (19), o Ministério Público de Sergipe (MP), por meio da Promotoria de Justiça do Controle Externo da Atividade Policial, recomendou que a Associação Desportiva Confiança não realize uma carreata programada para ocorrer no próximo domingo (23).
Segundo a recomendação emitida pelo promotor de Justiça, Eduardo Lima de Matos, destacou que a Polícia Militar de Sergipe precisa ser avisada sobre eventos de grande porte no prazo mínimo de 30 dias para se preparar e garantir maior segurança.
"Considerando que a carreata dos torcedores azulinos em prol do Confiança foi comunicada a PM/SE em prazo extemporâneo, e que a sua realização sem o apoio da polícia Militar poderá gerar atos de violência, tendo em vista o histórico de brigas, desavenças e até homicídios entre torcidas rivais", salientou o promotor.
Por fim, o promotor Eduardo Lima de Matos alertou que a medida é em razão dos riscos sinalizados pelo Comando do Policiamento da Capital. "Acentuando a intempestividade do pedido e o número elevado de programações festivas nesse período junino, o que poderá colocar em risco a segurança da população aracajuana", frisou no documento.