PM denuncia outro ataque com fogos em São Cristóvão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/06/2019 às 23:18:00

 

Gabriel Damásio
A Polícia Militar confirmou que apura um segundo incidente com fogos de artifício ocorrido durante as festas juninas em São Cristóvão (Grande Aracaju). Desta vez, ele aconteceu segunda-feira à noite, no canal do conjunto Eduardo Gomes, onde um grupo de jovens atirava busca-pés e rojões de 13 tiros contra carros que passavam pelo local. O episódio foi registrados em vídeos que circularam nas redes sociais e terminou em um rápido confronto dos vândalos com uma equipe da PM. 
Antes do confronto, outros carros que passavam pela avenida foram igualmente atingidos pelos explosivos. É o que se constata em gravações divulgadas nas redes sociais, que mostram os vândalos acendendo e disparando os rojões na direção dos veículos, chegando inclusive a correr atrás deles. Casas de moradores da vizinhança chegaram a ser atingidas Os ataques são regados a gritos de deboche e musicas de pagode baiano em alto volume. 
Em um dos vídeos, aparece uma viatura identificada como do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), que é atingida por um dos rojões e para no meio da avenida. Os soldados descem rapidamente, com armas em punho, e um deles dá um tiro de bala de borracha na direção de onde o rojão foi disparado. Enquanto os PMs procuram e tentam alcançar os agressores, outro foguete é lançado e explode na frente da viatura. Os policiais reagem com mais disparos e passam a fazer uma busca na região. 
Um homem que gravava o incidente em sua página no Instagram narrava tudo com um misto de tensão e galhofa, enquanto os autores dos disparos corriam da polícia. "Agora, eles se lascaram, meu amigo. Atiraram na polícia e os caras [soldados] meteram bala mesmo. O couro tá comendo aqui no Eduardo Gomes, haha! E olha o outro correndo lá... Corre, fio do cabrunco! (sic)", debocha. 
O BPRp confirmou que uma equipe da unidade foi enviada ao Eduardo Gomes por causa de denúncias de moradores que se queixavam justamente dos estouros de rojões e explosivos na rua, que estavam se transformando em atos de vandalismo. Segundo o comandante da unidade, coronel George Melo, ninguém ficou ferido e os policiais usaram balas de borracha para conter os agressores. Eles conseguiram escapar das buscas da PM e não foram presos. 
As imagens que circularam nas redes sociais foram encaminhadas à Polícia Civil e serão usadas para tentar identificar os envolvidos. Isso também foi feito com as gravações do primeiro incidente, ocorrido domingo à noite durante a 'Fogueterada', que acontecia em uma rua do centro de São Cristóvão. Na ocasião, uma equipe do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam) foi atingida com busca-pés enquanto fazia uma abordagem e teve um de seus soldados feridos com queimaduras. Moradores alegam que a abordagem dos PMs foi violenta, o que é negado pela corporação.

Gabriel Damásio

A Polícia Militar confirmou que apura um segundo incidente com fogos de artifício ocorrido durante as festas juninas em São Cristóvão (Grande Aracaju). Desta vez, ele aconteceu segunda-feira à noite, no canal do conjunto Eduardo Gomes, onde um grupo de jovens atirava busca-pés e rojões de 13 tiros contra carros que passavam pelo local. O episódio foi registrados em vídeos que circularam nas redes sociais e terminou em um rápido confronto dos vândalos com uma equipe da PM. 
Antes do confronto, outros carros que passavam pela avenida foram igualmente atingidos pelos explosivos. É o que se constata em gravações divulgadas nas redes sociais, que mostram os vândalos acendendo e disparando os rojões na direção dos veículos, chegando inclusive a correr atrás deles. Casas de moradores da vizinhança chegaram a ser atingidas Os ataques são regados a gritos de deboche e musicas de pagode baiano em alto volume. 
Em um dos vídeos, aparece uma viatura identificada como do Batalhão de Radiopatrulha (BPRp), que é atingida por um dos rojões e para no meio da avenida. Os soldados descem rapidamente, com armas em punho, e um deles dá um tiro de bala de borracha na direção de onde o rojão foi disparado. Enquanto os PMs procuram e tentam alcançar os agressores, outro foguete é lançado e explode na frente da viatura. Os policiais reagem com mais disparos e passam a fazer uma busca na região. 
Um homem que gravava o incidente em sua página no Instagram narrava tudo com um misto de tensão e galhofa, enquanto os autores dos disparos corriam da polícia. "Agora, eles se lascaram, meu amigo. Atiraram na polícia e os caras [soldados] meteram bala mesmo. O couro tá comendo aqui no Eduardo Gomes, haha! E olha o outro correndo lá... Corre, fio do cabrunco! (sic)", debocha. 
O BPRp confirmou que uma equipe da unidade foi enviada ao Eduardo Gomes por causa de denúncias de moradores que se queixavam justamente dos estouros de rojões e explosivos na rua, que estavam se transformando em atos de vandalismo. Segundo o comandante da unidade, coronel George Melo, ninguém ficou ferido e os policiais usaram balas de borracha para conter os agressores. Eles conseguiram escapar das buscas da PM e não foram presos. 
As imagens que circularam nas redes sociais foram encaminhadas à Polícia Civil e serão usadas para tentar identificar os envolvidos. Isso também foi feito com as gravações do primeiro incidente, ocorrido domingo à noite durante a 'Fogueterada', que acontecia em uma rua do centro de São Cristóvão. Na ocasião, uma equipe do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam) foi atingida com busca-pés enquanto fazia uma abordagem e teve um de seus soldados feridos com queimaduras. Moradores alegam que a abordagem dos PMs foi violenta, o que é negado pela corporação.