Mais uma criança em estado grave com dengue hemorrágica

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/06/2019 às 23:34:00

 

Milton Alves Júnior
Uma criança de seis 
anos de idade foi di
agnosticada com dengue hemorrágica, um caso grave que requer atenção redobrado por parte de pediatras. Acolhido pelo Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), o paciente está acomodado na ala amarela desde a manhã de ontem quando necessitou passar por um processo de transfusão de sangue. Diante do avanço positivo do quadro clínico, a equipe de profissionais que acompanha o caso não descarta a possibilidade de emitir alta médica ainda esta semana. O caso ajuda a acionar o sinal de alerta da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Somente nestes seis primeiros meses de 2019 mais de 450 casos foram confirmados.
Dados atualizados no início deste mês mostram que Sergipe possui 3.294 casos notificados, sendo 456 já confirmados. 21 municípios estão sob risco de epidemia. Com base em estudos realizados pelo Ministério da Saúde, a SES confirmou que os casos de Dengue aumentaram 330% no Estado de Sergipe, se comparado com o mesmo período do ano passado. No país, segundo boletim do Ministério da Saúde, 994 municípios apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para dengue, zika e chikungunya. Sergipe, apesar do número crescente de casos, está fora do ranking nacional de estados em alto risco de surto da doença.
Combate - Na perspectiva de mudar o cenário de periculosidade, durante a reunião geral realizada no início deste mês entre o Governo do Estado e secretários de Saúde e Educação dos 75 municípios no auditório do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), em Aracaju, ficou definido que campanhas devem ser realizadas em caráter emergencial a fim de conscientizar a população em se unir ao trabalho operacional da Saúde, e, juntos, combater o Aedes Aegypti. Apesar dessa união operacional no combate ao mosquito, muitos populares questionam a audiência de 'carros fumacês' circulando pelas ruas e avenidas de todos os municípios sergipanos.
Sobre esta crítica, a Secretaria de Saúde informou que há mais de dois anos o Governo Federal não encaminha a composição que é emitida pelos veículos e ajuda diretamente na eliminação dos mosquitos Aedes Aegypti. "A gente até que se une realmente a essa luta, mas parece que a batalha tem sido somente nossa. A passagem daquele carro soltando fumaça nos dava a impressão que o combate realmente estava ocorrendo, mas faz muito tempo que não vejo o serviço", declarou Ana Angélica, moradora do bairro América, em Aracaju. A informação repassada pela SES é que, os carros tipo fumacê apenas voltam a operacionalizar quando houver repasse do material necessário.

Milton Alves Júnior

Uma criança de seis  anos de idade foi di agnosticada com dengue hemorrágica, um caso grave que requer atenção redobrado por parte de pediatras. Acolhido pelo Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), o paciente está acomodado na ala amarela desde a manhã de ontem quando necessitou passar por um processo de transfusão de sangue. Diante do avanço positivo do quadro clínico, a equipe de profissionais que acompanha o caso não descarta a possibilidade de emitir alta médica ainda esta semana. O caso ajuda a acionar o sinal de alerta da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Somente nestes seis primeiros meses de 2019 mais de 450 casos foram confirmados.
Dados atualizados no início deste mês mostram que Sergipe possui 3.294 casos notificados, sendo 456 já confirmados. 21 municípios estão sob risco de epidemia. Com base em estudos realizados pelo Ministério da Saúde, a SES confirmou que os casos de Dengue aumentaram 330% no Estado de Sergipe, se comparado com o mesmo período do ano passado. No país, segundo boletim do Ministério da Saúde, 994 municípios apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para dengue, zika e chikungunya. Sergipe, apesar do número crescente de casos, está fora do ranking nacional de estados em alto risco de surto da doença.

Combate - Na perspectiva de mudar o cenário de periculosidade, durante a reunião geral realizada no início deste mês entre o Governo do Estado e secretários de Saúde e Educação dos 75 municípios no auditório do Hospital de Urgências de Sergipe (Huse), em Aracaju, ficou definido que campanhas devem ser realizadas em caráter emergencial a fim de conscientizar a população em se unir ao trabalho operacional da Saúde, e, juntos, combater o Aedes Aegypti. Apesar dessa união operacional no combate ao mosquito, muitos populares questionam a audiência de 'carros fumacês' circulando pelas ruas e avenidas de todos os municípios sergipanos.
Sobre esta crítica, a Secretaria de Saúde informou que há mais de dois anos o Governo Federal não encaminha a composição que é emitida pelos veículos e ajuda diretamente na eliminação dos mosquitos Aedes Aegypti. "A gente até que se une realmente a essa luta, mas parece que a batalha tem sido somente nossa. A passagem daquele carro soltando fumaça nos dava a impressão que o combate realmente estava ocorrendo, mas faz muito tempo que não vejo o serviço", declarou Ana Angélica, moradora do bairro América, em Aracaju. A informação repassada pela SES é que, os carros tipo fumacê apenas voltam a operacionalizar quando houver repasse do material necessário.