Luz no fim do túnel

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O ex-candidato a governador, o empresário Milton Andrade (Novo), teve seu nome vetado para superintendência da Codevasf em Sergipe por falta de habilidade política do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). A bancada vetou seu nome, não por ter alguma c
O ex-candidato a governador, o empresário Milton Andrade (Novo), teve seu nome vetado para superintendência da Codevasf em Sergipe por falta de habilidade política do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). A bancada vetou seu nome, não por ter alguma c

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/06/2019 às 22:33:00

 

Surtiu algum efeito a reunião da última quarta-
feira dos governadores do Nordeste com o presi
dente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em Brasília, para discutir a reinclusão de estados e municípios na proposta de reforma da Previdência. É que o relator, o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), acabou não apresentando nessa quinta-feira o seu relatório final junto a Comissão Especial da Câmara, como estava estabelecido no cronograma.   
O relatório de Moreira não consta a inclusão dos estados e municípios na reforma da Previdência, como propõe a proposta de reforma encaminhada ao Congresso Nacional pelo governo Bolsonaro. Isso ficou acordado com líderes dos partidos na Câmara. 
Rodrigo Maia afirmou ontem que a próxima terça-feira (2) é o prazo final para reincluir ou não estados e municípios na reforma da Previdência. Ele disse que nesse dia terá uma nova reunião com os governadores e o relator  para definir o apoio ou não à reforma.
Após o encontro, Moreira deve apresentar uma complementação de voto na comissão especial. A expectativa, segundo Maia, é que o parecer seja votado na quarta para que, na semana seguinte, comece a discussão no Plenário.
Ressalta que é ideia também que todos os governadores sentem para conversar com a bancada federal, para tentar sensibilizá-la, mostrar que é extremamente importante para os estados a reforma da Previdência. 
"Nós precisamos que os parlamentares próximos aos governadores compreendam a importância e colaborem com seus estados. O maior problema agora é organizar quantos votos e quem serão os atores para ajudar a reforma", disse o presidente. Maia acredita que esse posicionamento a favor da reforma pode até agregar o voto dos indecisos.
O governador Belivaldo Chagas (PSD), que tem participado das reuniões de governadores, inclusive a da última quarta-feira, está muito empenhado para que os estados e municípios sejam incluídos na reforma da Previdência. 
"Nós não estamos pensando em fazer reforma para hoje. A reforma da Previdência é para o amanhã. Os servidores públicos do hoje, os ativos, os pensionistas e aposentados de hoje precisam estar atentos senão, nós, no futuro, do jeito que as coisas estão, não teremos dinheiro nem para investir nem também para pagar a folha da previdência", disse Belivaldo recentemente à coluna.
Enfatizou: "É só verificar o caso de Sergipe para citar apenas Sergipe. Nós temos hoje um déficit de R$ 100 milhões por mês. Eu preciso de R$ 400 milhões para recuperar cerca de 450 km de rodovia. Com quatro meses do déficit da Previdência eu recuperaria 450 km de rodovias do estado de Sergipe".
Para o governador, "é preciso que se pense com cautela, com tranquilidade e, sobretudo, muita responsabilidade e juízo para que amanhã os parlamentares não se arrependam de olhar para trás e dizer: eu tive a oportunidade de contribuir, de colaborar e não fiz". 
Agora é esperar a próxima terça-feira, quando já finalizou os festejos juninos no Nordeste, para ver se os governadores vão vencer essa batalha de reinclusão na reforma. A luta só será vencida com aprovação do Congresso Nacional. 

Surtiu algum efeito a reunião da última quarta- feira dos governadores do Nordeste com o presi dente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em Brasília, para discutir a reinclusão de estados e municípios na proposta de reforma da Previdência. É que o relator, o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), acabou não apresentando nessa quinta-feira o seu relatório final junto a Comissão Especial da Câmara, como estava estabelecido no cronograma.   
O relatório de Moreira não consta a inclusão dos estados e municípios na reforma da Previdência, como propõe a proposta de reforma encaminhada ao Congresso Nacional pelo governo Bolsonaro. Isso ficou acordado com líderes dos partidos na Câmara. 
Rodrigo Maia afirmou ontem que a próxima terça-feira (2) é o prazo final para reincluir ou não estados e municípios na reforma da Previdência. Ele disse que nesse dia terá uma nova reunião com os governadores e o relator  para definir o apoio ou não à reforma.
Após o encontro, Moreira deve apresentar uma complementação de voto na comissão especial. A expectativa, segundo Maia, é que o parecer seja votado na quarta para que, na semana seguinte, comece a discussão no Plenário.
Ressalta que é ideia também que todos os governadores sentem para conversar com a bancada federal, para tentar sensibilizá-la, mostrar que é extremamente importante para os estados a reforma da Previdência. 
"Nós precisamos que os parlamentares próximos aos governadores compreendam a importância e colaborem com seus estados. O maior problema agora é organizar quantos votos e quem serão os atores para ajudar a reforma", disse o presidente. Maia acredita que esse posicionamento a favor da reforma pode até agregar o voto dos indecisos.
O governador Belivaldo Chagas (PSD), que tem participado das reuniões de governadores, inclusive a da última quarta-feira, está muito empenhado para que os estados e municípios sejam incluídos na reforma da Previdência. 
"Nós não estamos pensando em fazer reforma para hoje. A reforma da Previdência é para o amanhã. Os servidores públicos do hoje, os ativos, os pensionistas e aposentados de hoje precisam estar atentos senão, nós, no futuro, do jeito que as coisas estão, não teremos dinheiro nem para investir nem também para pagar a folha da previdência", disse Belivaldo recentemente à coluna.
Enfatizou: "É só verificar o caso de Sergipe para citar apenas Sergipe. Nós temos hoje um déficit de R$ 100 milhões por mês. Eu preciso de R$ 400 milhões para recuperar cerca de 450 km de rodovia. Com quatro meses do déficit da Previdência eu recuperaria 450 km de rodovias do estado de Sergipe".
Para o governador, "é preciso que se pense com cautela, com tranquilidade e, sobretudo, muita responsabilidade e juízo para que amanhã os parlamentares não se arrependam de olhar para trás e dizer: eu tive a oportunidade de contribuir, de colaborar e não fiz". 
Agora é esperar a próxima terça-feira, quando já finalizou os festejos juninos no Nordeste, para ver se os governadores vão vencer essa batalha de reinclusão na reforma. A luta só será vencida com aprovação do Congresso Nacional. 

Boa vontade

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse ontem que todas as pautas de interesse dos governadores já estão sendo atendidas pelo Parlamento. Ressaltou que na quarta-feira, a Câmara votou o projeto que estabeleceu uma nova divisão dos recursos do petróleo da União no regime de partilha (PL 10985/18). Ele informou ainda que pretende pautar na semana que vem o projeto que trata da securitização das dívidas estaduais (PLP459/17).

Outras batalhas

Seis governadores do Nordeste apresentaram na quarta-feira ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), uma lista de condições para apoiar a reforma da Previdência. Eles defendem, entre outras propostas, uma participação maior de estados e municípios na distribuição de recursos da exploração do petróleo do pré-sal; securitização de dívidas, que é a possibilidade de vender no mercado créditos que tenham a receber; a tributação sobre a distribuição de lucros e dividendos; e a recuperação dos Fundos de Participação dos Estados (FPE) e dos Municípios (FPM).

Na linha de frente 

Estiveram no encontro com Alcolumbre os governadores Belivaldo Chagas (Sergipe), Camilo Santana (Ceará), João Azevedo (Paraíba), Renan Filho (Alagoas), Rui Costa (Bahia) e Wellington Dias (Piauí). O senador Rogério Carvalho (PT-SE) também marcou presença.

Privatização 1

Informações chegadas à coluna dão conta que o governador Belivaldo Chagas pretende privatizar a Sergás com adesão ao Plano Mansueto, que é uma proposta do governo federal para ajuda financeira aos estados e que está sendo discutida entre governadores, ministros, presidente da Câmara e do Senado.  A proposta do governo Bolsonaro é que os estados precisam cumprir três das oito medidas elencadas para receber ajuda financeira da União, sendo uma delas a privatização de empresas dos setores financeiro, de energia, de saneamento ou de gás. 

Privatização 2

Segundo a fonte, que é próxima ao governador, Belivaldo descarta privatizar a Deso e o Banese. Portanto, precisando da ajuda financeira da União, deverá colocar para privatização a Sergás.

Quer a vice

O presidente de honra do PRB, ex-deputado federal Heleno Silva, disse ontem à coluna que está trabalhando para que o seu partido indique o vice do PT na disputa pela Prefeitura de Aracaju em 2020. Admitiu que vem conversando com lideranças petistas sobre essa possibilidade. O nome do PRB para vice é o do ex-deputado federal Jony Marcos, que foi vereador na capital.

O candidato 1

A coluna tem informações de que a tropa de choque do PT que atuou forte no governo Marcelo Déda trabalha o nome da vice-governadora Eliane Aquino para ser a candidata a prefeita de Aracaju em 2020. Estão na linha de frente os ex-secretários Oliveira Júnior e João Andrade, e o ex-presidente da legenda, Silvio Santos.

O candidato 2

Segundo a fonte, quem deverá bater o martelo se o nome do PT para a sucessão do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) em 2020 vai ser o de Eliane ou o do vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, será o ex-presidente Lula.   Márcio continua visitando os bairros da capital visando consolidar seu nome.

Correndo atrás de apoio 1

Animado com as declarações à coluna do deputado federal Fábio Henrique, presidente estadual do PDT, de que o partido terá candidato a prefeito em 2020 em Aracaju, não vai mais esperar por uma posição de filiação do prefeito Edvaldo Nogueira, vai conversar com todo mundo e que qualquer projeto na capital deverá levar em consideração o apoio recebido em Nossa Senhora do Socorro e São Cristovão, o deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) reafirmou ontem que é pré-candidato a prefeito da capital e pode apoiar Fabio Henrique se ele voltar a disputar a Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro no próximo ano.

Correndo atrás de apoio 2

Disse Gilmar, que está em São Paulo, onde acompanha o 14º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo: "A partir da próxima semana, intensificarei contatos com dirigentes de partidos, vereadores e novos líderes que, com certeza, querem mudar para melhor a administração em Aracaju".  Disse que procurará Fábio Henrique, poderá apoiá-lo em Socorro, e aprofundará conversas com o PSB e o PRB.

No Senado

O plenário do Senado aprovou na noite de quarta-feira, em votação simbólica, o projeto de lei (PL 3.715/2019) que estende a posse de armas na zona rural para toda a área da propriedade, e não apenas para a sede.  O projeto, que tem como relator o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), segue agora para a Câmara dos Deputados.

Inferno astral 1

O presidente Jair Bolsonaro chega ao final dos seis primeiros meses de governo com a prisão, na Espanha, do militar Manoel Silva Rodrigues [por transporte de 39 quilos de cocaína em um avião da FAB - Força Aérea Brasileira] integrado à sua comitiva em viagem ao Japão para reunião do G20. Além da prisão ontem de Mateus Von Rondon, como principal elo formal entre o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG), e o esquema d e candidaturas de laranjas do PSL, que é o partido de Bolsonaro. Mateus é assessor especial no ministério.

Inferno astral 2

Nova pesquisa Ibope divulgada ontem mostra que a aprovação do governo  Bolsonaro voltou a cair e é a pior desde o início do mandato. Encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) ela mostra que 32% dos brasileiros avaliam o governo como ruim ou péssimo. Inferno astral 3

O levantamento indica ainda que 32% da população opinaram que a gestão é ótima ou boa. 5% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder. A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 26 de junho. Foram ouvidas 2.000 pessoas em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. 

Veja essa ...

Do ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional ), general Augusto Heleno, sobre a prisão do militar com 39 quilos de cocaína transportados em avião da FAB: "Podia não ter acontecido, né? Foi uma falta de sorte acontecer exatamente na hora de um evento mundial e acaba tendo uma repercussão mu ndial que poderia não ter tido. Foi um fato muito desagradável para todo mundo". Foi só desagradável?

...e essa...

Do ministro da Educação, Abraham Weintraub, sobre a prisão: "No passado o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?". Querendo justificar o injustificável.

Curtas

Do senador Rogério Carvalho sobre as declarações do ministro Weintraub (Educação) sobre a prisão do militar flagrado com 39 kg de cocaína em avião da FAB: "A gravidade da situação é para ser tratada com seriedade. Não é caso de piada, é caso de polícia!". 

O Ministério Público de Sergipe protocolou ontem novo pedido de prisão preventiva do prefeito licenciado de Lagarto, Valmir Monteiro (PSC), que ganhou liberdade no último dia 10 de junho. A razão corre em segredo de Justiça.

A deputada estadual Diná Almeida (PODE) comemorou ontem a notícia do início da obra de duplicação da adutora do Piauitinga, em Lagarto, para a primeira quinzena de julho, conforme assegurou o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, ao governador Belivaldo Chagas e ao deputado federal Fábio Reis. Isso porque beneficiará também Tobias Barreto.

Nesse São Pedro tem muito forró pelo estado. Hoje e amanhã tem Forró Caju 2019 e Arraiá do Povo em Aracaju. Pelo interior tem muito forró em Estância e Capela, entre outros municípios.