Morre professora Daniela Pinheiro Bitencurti, do campus do Sertão

Geral


  • Daniela era lotada no Núcleo de Graduação em Educação em Ciências Agrárias e da Terra

 

Morreu nesta quinta-feira, 27, a professora Daniela Pinheiro Bitencurti Ruiz Esparza, do campus do Sertão, de Nossa Senhora da Glória. A professora estava de férias em Luanda, Angola, quando foi internada com suspeita de malária.
A comunidade universitária realizou campanha no sentido de ajudar Daniela a arcar com os custos médicos e para doação de sangue à docente em Angola.
Daniela era lotada no Núcleo de Graduação em Educação em Ciências Agrárias e da Terra onde ministrava o módulo Ações Integradas em Ciências Agrária. Ela também era docente do Programa de Desenvolvimento e Meio Ambiente da UFS (Prodema).
Possui pós-doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela UFS (Prodema, 2016), doutorado também pelo Prodema da UFS (2014), mestrado em Conservación y Manejo de Recursos Naturales pela Universidad Michoacana de San Nicolás de Hidalgo (2006), Morelia, Michoacán, México, e graduação em Física (1999) pela Universidade Estadual de Londrina (UEL-PR).
"Dani, como era carinhosamente chamada pelos colegas e alunos, amava a docência e a UFS. Ensinava, pesquisava e fazia atividades de extensão. Era vida, alegria e intensidada. A comunidade acadêmica está muito consternada. Deixou o maior legado: a união. Eliminou as fronteiras continentais e congregou angolanos e brasileiros numa grande corrente do bem em prol da sua saúde", diz a professora Patrícia Rosalba, também do campus do Sertão.
Ainda segundo Patrícia, a irmã de Daniela está em Angola cuidando dos preparativos do translado. O enterro deverá ocorrer no estado de São Paulo, local em que vive sua família.
A direção do campus do Sertão cancelou todas as atividades no dia de hoje.

Morreu nesta quinta-feira, 27, a professora Daniela Pinheiro Bitencurti Ruiz Esparza, do campus do Sertão, de Nossa Senhora da Glória. A professora estava de férias em Luanda, Angola, quando foi internada com suspeita de malária.
A comunidade universitária realizou campanha no sentido de ajudar Daniela a arcar com os custos médicos e para doação de sangue à docente em Angola.
Daniela era lotada no Núcleo de Graduação em Educação em Ciências Agrárias e da Terra onde ministrava o módulo Ações Integradas em Ciências Agrária. Ela também era docente do Programa de Desenvolvimento e Meio Ambiente da UFS (Prodema).
Possui pós-doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela UFS (Prodema, 2016), doutorado também pelo Prodema da UFS (2014), mestrado em Conservación y Manejo de Recursos Naturales pela Universidad Michoacana de San Nicolás de Hidalgo (2006), Morelia, Michoacán, México, e graduação em Física (1999) pela Universidade Estadual de Londrina (UEL-PR).
"Dani, como era carinhosamente chamada pelos colegas e alunos, amava a docência e a UFS. Ensinava, pesquisava e fazia atividades de extensão. Era vida, alegria e intensidada. A comunidade acadêmica está muito consternada. Deixou o maior legado: a união. Eliminou as fronteiras continentais e congregou angolanos e brasileiros numa grande corrente do bem em prol da sua saúde", diz a professora Patrícia Rosalba, também do campus do Sertão.
Ainda segundo Patrícia, a irmã de Daniela está em Angola cuidando dos preparativos do translado. O enterro deverá ocorrer no estado de São Paulo, local em que vive sua família.A direção do campus do Sertão cancelou todas as atividades no dia de hoje.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS