46 pessoas deram entrada no Huse queimadas por fogos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Pacientes queimados na UTQ do Huse
Pacientes queimados na UTQ do Huse

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/07/2019 às 23:09:00

 

Um balanço geral dos acolhimentos realizados pela Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mostra que houve redução no número de vítimas por queimaduras no comparativo junho 2018/2019. Na manhã de ontem a Secretaria de Estado da Saúde (SES), oficializou que a maior unidade pública de Sergipe atendeu 71 pacientes durante os 30 dias do mês passado. Desse total, 46 prontuários indicam se tratar de pacientes os quais foram queimados por fogos de artifícios, sendo 28 adultos e 18 crianças. Os acidentes ocorreram na seguinte proporcionalidade: 15 na véspera de São João, dia 23; 15 no dia seguinte; cinco na véspera de São Pedro, dia 28; e outros nove no último sábado, 29.
No ano passado o Huse contabilizou 48 vítimas que sofreram queimaduras por fogos de artifício, sendo que 29 foram crianças e 19 adultos. No acumulado das ações a unidade hospitalar registrou 104 atendimentos, incluindo 56 pessoas que sofreram queimaduras durante a produção de alimentos típicos da época, ou por fogueiras. Diante da ampliação natural destes casos durante o mês de junho em Sergipe, a direção do Huse mais uma vez elaborou uma sala exclusiva para assistência imediata às vítimas de queimaduras. O espaço serviu de apoio à UTQ até o final do mês. Além disso, uma equipe multidisciplinar formada por cirurgiões plásticos, enfermeiros e técnicos de enfermagem estiveram de plantão 24 horas.
De acordo com a gerente da UTQ, Elmara Salgado: "a reforma possibilitou um atendimento mais humanizado. Com os equipamentos de ponta, a gente otimiza o tempo, diminui também o tempo de internação desses pacientes." A UTQ segue disponibilizando 14 leitos, sendo quatro pediátricos, dois semi-intensivos e oito para adultos, alguns reservados na enfermaria da Ala D, além de um centro cirúrgico para a realização de curativos e pequenos procedimentos. Na avaliação da Referência Técnica da Cirurgia Plástica do Huse, Moema Santana, apesar da redução no comparativo com o mesmo período do ano passado, o índice de acidentes - em especial envolvendo crianças -, segue alto para o estado de Sergipe.
Para a especialista, é de fundamental importância que as pessoas busquem multiplicar os cuidados antes de adquirir ou usar fogos de artifícios, bem como durante a preparação de alimentos levados ao fogo. "É realmente de cortar o coração quando nos deparamos, em especial, com crianças e adolescentes chegando ao hospital após ser vítima de queimaduras. O que nos chama a atenção é que, apesar das orientações apresentadas com frequência, o número de atendimentos permanece alto durante os festejos juninos. É preciso multiplicar a cautela a fim de minimizar os riscos e os consecutivos encaminhamentos destas vítimas para uma rede hospitalar", avaliou. (Milton Alves Júnior)

Um balanço geral dos acolhimentos realizados pela Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ) do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), mostra que houve redução no número de vítimas por queimaduras no comparativo junho 2018/2019. Na manhã de ontem a Secretaria de Estado da Saúde (SES), oficializou que a maior unidade pública de Sergipe atendeu 71 pacientes durante os 30 dias do mês passado. Desse total, 46 prontuários indicam se tratar de pacientes os quais foram queimados por fogos de artifícios, sendo 28 adultos e 18 crianças. Os acidentes ocorreram na seguinte proporcionalidade: 15 na véspera de São João, dia 23; 15 no dia seguinte; cinco na véspera de São Pedro, dia 28; e outros nove no último sábado, 29.
No ano passado o Huse contabilizou 48 vítimas que sofreram queimaduras por fogos de artifício, sendo que 29 foram crianças e 19 adultos. No acumulado das ações a unidade hospitalar registrou 104 atendimentos, incluindo 56 pessoas que sofreram queimaduras durante a produção de alimentos típicos da época, ou por fogueiras. Diante da ampliação natural destes casos durante o mês de junho em Sergipe, a direção do Huse mais uma vez elaborou uma sala exclusiva para assistência imediata às vítimas de queimaduras. O espaço serviu de apoio à UTQ até o final do mês. Além disso, uma equipe multidisciplinar formada por cirurgiões plásticos, enfermeiros e técnicos de enfermagem estiveram de plantão 24 horas.
De acordo com a gerente da UTQ, Elmara Salgado: "a reforma possibilitou um atendimento mais humanizado. Com os equipamentos de ponta, a gente otimiza o tempo, diminui também o tempo de internação desses pacientes." A UTQ segue disponibilizando 14 leitos, sendo quatro pediátricos, dois semi-intensivos e oito para adultos, alguns reservados na enfermaria da Ala D, além de um centro cirúrgico para a realização de curativos e pequenos procedimentos. Na avaliação da Referência Técnica da Cirurgia Plástica do Huse, Moema Santana, apesar da redução no comparativo com o mesmo período do ano passado, o índice de acidentes - em especial envolvendo crianças -, segue alto para o estado de Sergipe.
Para a especialista, é de fundamental importância que as pessoas busquem multiplicar os cuidados antes de adquirir ou usar fogos de artifícios, bem como durante a preparação de alimentos levados ao fogo. "É realmente de cortar o coração quando nos deparamos, em especial, com crianças e adolescentes chegando ao hospital após ser vítima de queimaduras. O que nos chama a atenção é que, apesar das orientações apresentadas com frequência, o número de atendimentos permanece alto durante os festejos juninos. É preciso multiplicar a cautela a fim de minimizar os riscos e os consecutivos encaminhamentos destas vítimas para uma rede hospitalar", avaliou. (Milton Alves Júnior)