Saúde fará novo Liraa para detectar focos de dengue

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/07/2019 às 23:11:00

 

Milton Alves Júnior
Um novo Levanta
mento Rápido do 
Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) está sendo realizado esta semana em todos os bairros e conjuntos de Aracaju com a perspectiva de mapear e atualizar o cenário negativo provocado pelo mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Na tarde de ontem, ao JORNAL DO DIA, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que o resultado desse levantamento será apresentado já no início da próxima semana, e servirá administrativamente para que os gestores regionais reforcem as ações de combate nos pontos de maior incidência do mosquito. Somente este ano cinco pessoas já morreram vítimas da dengue em Sergipe. Outras duas seguem em análise.
No geral, envolvendo todos os 75 municípios sergipanos, são 3.661 casos notificados e 749 confirmados. Com base em estudos realizados pelo Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou que os casos de Dengue aumentaram cerca de 330% em Sergipe, se comparado com o mesmo período do ano passado. No país, segundo boletim do Ministério da Saúde, 994 municípios apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para dengue, zika e chikungunya. Chama a atenção dos gestores o crescimento também representativo dos municípios com alto risco de surto da doença. No primeiro LIRAa deste ano eram 12 cidades; o índice saltou para 21 no mês de abril.
Entre as cidades as quais encontram-se com alto risco de infestação, estão: Laranjeiras, Itabaianinha, Pedrinhas, Santa Luzia do Itanhy, Tomar do Geru, Feira Nova, Nossa Senhora da Glória, Porto da Folha, Areia Branca, Malhador, Moita Bonita, São Domingos, Poço Verde, Riachão do Dantas, Salgado, Simão Dias, Aquidabã, Japoatã, Malhada dos Bois, Nossa Senhora de Lourdes e Capela. No levantamento anterior eram 12 com alto risco. Com risco médio estão 44 municípios e 10 em baixo risco. Na capital, são 14 bairros com baixo risco, 27 com médio risco e dois com alto risco. Os bairros Santo Antônio e Industrial, ambos na Zona Norte de Aracaju, são os com alto risco de infestação do mosquito.
Descuido - O problema - conforme avaliado pelos agentes de combate à endemias -, é que o descuido por parte da população continua sendo apontado como principal aliado do mosquito para a respectiva proliferação. De volta ao cenário vivenciado na região da Grande Aracaju, o LIRAa indica que a maioria dos criadouros foi localizada  dentro das residências, como em vasos sanitários, caixas de descarga em banheiros inutilizados, vasos de planta, pia de banheiro, ralos, lavanderia, tonel, recipientes de plástico e até em bebedouro de animais; 53,1% em armazenamentos de água, 37,9% em pequenos depósitos e 8,5% em entulhos.
"Para que possamos vencer essa luta contra o Aedes Aegypti, é realmente imprescindível que todos os sergipanos estejam atentos a cada detalhe. Uma espécie de fiscal residencial. Observar cada canto da casa se tem água acumulada e parada, inspecionar os ambientes pouco frequentados, se existem brinquedos no quintal com acúmulo de água também; tudo isso é um dever de todos uma vez que essa luta não é apenas dos agentes de combate ao mosquito, mas de toda a população. Devemos vencer juntos essa batalha", avaliou Taise Cavalcante, diretora de Vigilância e Atenção à Saúde.
O resultado deste novo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti deve ficar pronto ainda neste próximo sábado (06). Em virtude do feriado de emancipação política de Sergipe na segunda-feira (08), os números devem se tornar públicos na manhã da terça-feira, 09.

Milton Alves Júnior

Um novo Levanta mento Rápido do  Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) está sendo realizado esta semana em todos os bairros e conjuntos de Aracaju com a perspectiva de mapear e atualizar o cenário negativo provocado pelo mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Na tarde de ontem, ao JORNAL DO DIA, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que o resultado desse levantamento será apresentado já no início da próxima semana, e servirá administrativamente para que os gestores regionais reforcem as ações de combate nos pontos de maior incidência do mosquito. Somente este ano cinco pessoas já morreram vítimas da dengue em Sergipe. Outras duas seguem em análise.
No geral, envolvendo todos os 75 municípios sergipanos, são 3.661 casos notificados e 749 confirmados. Com base em estudos realizados pelo Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado da Saúde confirmou que os casos de Dengue aumentaram cerca de 330% em Sergipe, se comparado com o mesmo período do ano passado. No país, segundo boletim do Ministério da Saúde, 994 municípios apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para dengue, zika e chikungunya. Chama a atenção dos gestores o crescimento também representativo dos municípios com alto risco de surto da doença. No primeiro LIRAa deste ano eram 12 cidades; o índice saltou para 21 no mês de abril.
Entre as cidades as quais encontram-se com alto risco de infestação, estão: Laranjeiras, Itabaianinha, Pedrinhas, Santa Luzia do Itanhy, Tomar do Geru, Feira Nova, Nossa Senhora da Glória, Porto da Folha, Areia Branca, Malhador, Moita Bonita, São Domingos, Poço Verde, Riachão do Dantas, Salgado, Simão Dias, Aquidabã, Japoatã, Malhada dos Bois, Nossa Senhora de Lourdes e Capela. No levantamento anterior eram 12 com alto risco. Com risco médio estão 44 municípios e 10 em baixo risco. Na capital, são 14 bairros com baixo risco, 27 com médio risco e dois com alto risco. Os bairros Santo Antônio e Industrial, ambos na Zona Norte de Aracaju, são os com alto risco de infestação do mosquito.

Descuido - O problema - conforme avaliado pelos agentes de combate à endemias -, é que o descuido por parte da população continua sendo apontado como principal aliado do mosquito para a respectiva proliferação. De volta ao cenário vivenciado na região da Grande Aracaju, o LIRAa indica que a maioria dos criadouros foi localizada  dentro das residências, como em vasos sanitários, caixas de descarga em banheiros inutilizados, vasos de planta, pia de banheiro, ralos, lavanderia, tonel, recipientes de plástico e até em bebedouro de animais; 53,1% em armazenamentos de água, 37,9% em pequenos depósitos e 8,5% em entulhos.
"Para que possamos vencer essa luta contra o Aedes Aegypti, é realmente imprescindível que todos os sergipanos estejam atentos a cada detalhe. Uma espécie de fiscal residencial. Observar cada canto da casa se tem água acumulada e parada, inspecionar os ambientes pouco frequentados, se existem brinquedos no quintal com acúmulo de água também; tudo isso é um dever de todos uma vez que essa luta não é apenas dos agentes de combate ao mosquito, mas de toda a população. Devemos vencer juntos essa batalha", avaliou Taise Cavalcante, diretora de Vigilância e Atenção à Saúde.
O resultado deste novo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti deve ficar pronto ainda neste próximo sábado (06). Em virtude do feriado de emancipação política de Sergipe na segunda-feira (08), os números devem se tornar públicos na manhã da terça-feira, 09.