Ex-detentos são apontados como autores de roubo em posto

Cidades

 

Dois ex-presidiários foram identificados como autores do assalto ocorrido em 15 de maio deste ano em um posto de combustíveis da rede Petrox na esquina das avenidas Beira-Mar e Anísio Azevedo, em frente ao Calçadão do bairro 13 de Julho (zona sul de Aracaju). Na ocasião, dois empresários que abasteciam o carro no local foram rendidos pelos criminosos, que estavam armados e levaram um malote com cerca de R$ 170 mil em espécie, além de pertences pessoais das vítimas.
Ontem, a Polícia Civil confirmou que as equipes do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) conseguiram identificar os autores do assalto e apontam que estão envolvidos em outros crimes semelhantes. As imagens deles, feitas por câmeras de segurança do posto, foram divulgadas pela polícia 15 dias depois do assalto. As investigações, que tiveram o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol) e do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), serão detalhadas hoje de manhã, em entrevista coletiva. 
Na ocasião, os empresários tinham acabado de fazer o saque do dinheiro em um banco e levavam a quantia para uma construtora, onde ela seria usada para quitar a folha de pagamento dos funcionários. A suspeita da polícia é de que o sedã estaria sendo seguido pelos criminosos e que estes teriam informações privilegiadas sobre o saque do dinheiro. 

Dois ex-presidiários foram identificados como autores do assalto ocorrido em 15 de maio deste ano em um posto de combustíveis da rede Petrox na esquina das avenidas Beira-Mar e Anísio Azevedo, em frente ao Calçadão do bairro 13 de Julho (zona sul de Aracaju). Na ocasião, dois empresários que abasteciam o carro no local foram rendidos pelos criminosos, que estavam armados e levaram um malote com cerca de R$ 170 mil em espécie, além de pertences pessoais das vítimas.
Ontem, a Polícia Civil confirmou que as equipes do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) conseguiram identificar os autores do assalto e apontam que estão envolvidos em outros crimes semelhantes. As imagens deles, feitas por câmeras de segurança do posto, foram divulgadas pela polícia 15 dias depois do assalto. As investigações, que tiveram o apoio da Divisão de Inteligência (Dipol) e do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), serão detalhadas hoje de manhã, em entrevista coletiva. 
Na ocasião, os empresários tinham acabado de fazer o saque do dinheiro em um banco e levavam a quantia para uma construtora, onde ela seria usada para quitar a folha de pagamento dos funcionários. A suspeita da polícia é de que o sedã estaria sendo seguido pelos criminosos e que estes teriam informações privilegiadas sobre o saque do dinheiro. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS