Preço do gás

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/07/2019 às 22:44:00

 

Depois de alguma relutância, ci
ente de que diversas empresas 
estão em processo de recuperação judicial, o Governo de Sergipe finalmente resolveu atuar para reduzir o preço do gás natural praticado em Sergipe. A renúncia fiscal anunciada esta semana tem o potencial de impulsionar a produção industrial no estado. A economia local agradece. 
A medida já foi colocada em prática. O decreto que reduz a carga tributária sobre o comércio e a distribuição de gás natural foi publicado no Diário Oficial da última sexta-feira. A iniciativa integra um conjunto de ações direcionadas para o desenvolvimento econômico de setores industriais dependentes do combustível, além de incentivar a abertura de novas empresas e a geração de empregos em Sergipe.
Esta é uma reivindicação antiga dos empresários que atuam no estado, obrigados a arcar com uma carga tributária irrazoável. Com a descoberta recente de uma grande reserva de gás natural em território sergipano, os protestos pelo barateamento dos custos de produção ganharam a força de um ultimato.
Trata-se aqui, sem tirar nem por, da maior descoberta da Petrobras realizada em Sergipe. Uma vez em operação, os campos locais deverão produzir 20 milhões de m³ de gás natural por dia, o equivalente a um terço da produção total brasileira. Nas contas de um consultora, a  descoberta deve gerar uma receita anual de R$ 7 bilhões.
A produção industrial sergipana carece de um incentivo como este há longos anos, desde o início da crise econômica, responsável por um número recorde de trabalhadores sergipanos desempregados. Se antes a economia local estava sem gás, combustível agora não falta. 

Depois de alguma relutância, ci ente de que diversas empresas  estão em processo de recuperação judicial, o Governo de Sergipe finalmente resolveu atuar para reduzir o preço do gás natural praticado em Sergipe. A renúncia fiscal anunciada esta semana tem o potencial de impulsionar a produção industrial no estado. A economia local agradece. 
A medida já foi colocada em prática. O decreto que reduz a carga tributária sobre o comércio e a distribuição de gás natural foi publicado no Diário Oficial da última sexta-feira. A iniciativa integra um conjunto de ações direcionadas para o desenvolvimento econômico de setores industriais dependentes do combustível, além de incentivar a abertura de novas empresas e a geração de empregos em Sergipe.Esta é uma reivindicação antiga dos empresários que atuam no estado, obrigados a arcar com uma carga tributária irrazoável. Com a descoberta recente de uma grande reserva de gás natural em território sergipano, os protestos pelo barateamento dos custos de produção ganharam a força de um ultimato.
Trata-se aqui, sem tirar nem por, da maior descoberta da Petrobras realizada em Sergipe. Uma vez em operação, os campos locais deverão produzir 20 milhões de m³ de gás natural por dia, o equivalente a um terço da produção total brasileira. Nas contas de um consultora, a  descoberta deve gerar uma receita anual de R$ 7 bilhões.
A produção industrial sergipana carece de um incentivo como este há longos anos, desde o início da crise econômica, responsável por um número recorde de trabalhadores sergipanos desempregados. Se antes a economia local estava sem gás, combustível agora não falta.