Policiais civis fazem novo protesto em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
MANIFESTAÇÃO FOI EM FRENTE À SSP
MANIFESTAÇÃO FOI EM FRENTE À SSP

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/07/2019 às 00:53:00

 

Dando continuidade à luta por revisão salarial anual, agentes da Polícia Civil voltaram a se aglomerar em frente a sede da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), em Aracaju, e pressionar o governador Belivaldo Chagas. Paralelo ao reajuste salarial que segundo os manifestantes não é concedido desde o ano de 2012, a classe trabalhadora informou que existe ainda um impasse envolvendo a paralisação dos plantões no fim de semana. Essa situação se deve ao percentual de 4% da despesa pessoal da Secretaria da Segurança Pública (SSP/SE) para o pagamento das horas extras por meio do Remuneração Transitória por Atividade Extraordinária (Retae).
O ato público faz parte da série de mobilizações prevista para a Campanha Salarial deste ano. De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais so Estado de Sergipe (Sinpol/SE), Adriano Bandeira, o governador Belivaldo Chagas agendou uma reunião na semana que vem com representantes da categoria porém, pediu que os servidores públicos inicialmente sejam atendidos e apresentam o pleito ao secretário de administração, George Trindade. Sobre a orientação apresentada pelo chefe do poder executivo estadual, o sindicalista informa que os trabalhadores não visualizam problemas nesse encontro preliminar.
 "Foi um pedido feito pelo governador que para a gente não mudaria ou teria problema nenhum. Na realidade a gente segue disponível para conversar com qualquer assessor especial de Belivaldo antes de nos reunir oficialmente. Queremos conversar e resolver os impasses. O que realmente não dá para aceitar é que nossos pleitos não sejam atendidos e a categoria amargue mais um ano de congelamento dos nossos direitos trabalhistas", disse. Durante o ato de ontem agentes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), estiveram no local para minimizar possíveis transtornos no fluxo de veículos.
A Secretaria de Estado da Comunicação confirmou a realização de um encontro entre os representantes da categoria com Belivaldo Chagas. A data, o horário e local ainda não foram divulgados oficialmente. A perspectiva é que esse encontro ocorra no próprio Palácio Governador Augusto Franco - Palácio dos Despachos -, em Aracaju, sede administrativa do governo. Ainda segundo explicou a pasta, existe uma determinação do governador para que qualquer negociação seja iniciada a partir da pasta envolvida na cobrança, para em um segundo momento ocorrer o encontro um diálogo com o governador, ou com a vice-governadora, Eliane Aquino.
 "Esperamos que essas conversas possam, no final, resultar nos direitos que estão sendo cobrados pelos servidores. Caso a categoria observe que não houveram avanços, não está descartada a possibilidade de novas manifestações, tampouco a avaliação envolvendo uma paralisação dos serviços. Em último caso, uma greve por tempo indeterminado também pode ser deflagrada. Torcemos para que não necessite chegar a esse ponto", informou Adriano Bandeira. (Milton Alves Júnior)

Dando continuidade à luta por revisão salarial anual, agentes da Polícia Civil voltaram a se aglomerar em frente a sede da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), em Aracaju, e pressionar o governador Belivaldo Chagas. Paralelo ao reajuste salarial que segundo os manifestantes não é concedido desde o ano de 2012, a classe trabalhadora informou que existe ainda um impasse envolvendo a paralisação dos plantões no fim de semana. Essa situação se deve ao percentual de 4% da despesa pessoal da Secretaria da Segurança Pública (SSP/SE) para o pagamento das horas extras por meio do Remuneração Transitória por Atividade Extraordinária (Retae).
O ato público faz parte da série de mobilizações prevista para a Campanha Salarial deste ano. De acordo com o presidente do Sindicato dos Policiais so Estado de Sergipe (Sinpol/SE), Adriano Bandeira, o governador Belivaldo Chagas agendou uma reunião na semana que vem com representantes da categoria porém, pediu que os servidores públicos inicialmente sejam atendidos e apresentam o pleito ao secretário de administração, George Trindade. Sobre a orientação apresentada pelo chefe do poder executivo estadual, o sindicalista informa que os trabalhadores não visualizam problemas nesse encontro preliminar.
 "Foi um pedido feito pelo governador que para a gente não mudaria ou teria problema nenhum. Na realidade a gente segue disponível para conversar com qualquer assessor especial de Belivaldo antes de nos reunir oficialmente. Queremos conversar e resolver os impasses. O que realmente não dá para aceitar é que nossos pleitos não sejam atendidos e a categoria amargue mais um ano de congelamento dos nossos direitos trabalhistas", disse. Durante o ato de ontem agentes da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), estiveram no local para minimizar possíveis transtornos no fluxo de veículos.
A Secretaria de Estado da Comunicação confirmou a realização de um encontro entre os representantes da categoria com Belivaldo Chagas. A data, o horário e local ainda não foram divulgados oficialmente. A perspectiva é que esse encontro ocorra no próprio Palácio Governador Augusto Franco - Palácio dos Despachos -, em Aracaju, sede administrativa do governo. Ainda segundo explicou a pasta, existe uma determinação do governador para que qualquer negociação seja iniciada a partir da pasta envolvida na cobrança, para em um segundo momento ocorrer o encontro um diálogo com o governador, ou com a vice-governadora, Eliane Aquino.
 "Esperamos que essas conversas possam, no final, resultar nos direitos que estão sendo cobrados pelos servidores. Caso a categoria observe que não houveram avanços, não está descartada a possibilidade de novas manifestações, tampouco a avaliação envolvendo uma paralisação dos serviços. Em último caso, uma greve por tempo indeterminado também pode ser deflagrada. Torcemos para que não necessite chegar a esse ponto", informou Adriano Bandeira. (Milton Alves Júnior)