Edvaldo reúne Comitê de Crise e faz balanço das ações de enfrentamento às chuvas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/07/2019 às 22:57:00

 

O prefeito Edvaldo Nogueira reuniu o Comitê de Gerenciamento de Crise no início da noite desta terça-feira  para fazer um balanço das ações da Prefeitura de Aracaju no enfrentamento aos efeitos das chuvas nos últimos dois dias. Em 48 horas, choveu 110 mm na capital sergipana, sendo 66 mm nas últimas 12 horas. Para os próximos dias, a previsão é de diminuição dos índices pluviométricos, mas o gestor municipal determinou que as equipes permaneçam em estado de atenção e atuando, de maneira preventiva, nas ruas da cidade.
"Aracaju, mais uma vez, enfrentou bem as chuvas. A cidade aguentou o tranco. O Comitê de Gerenciamento de Crise funcionou muito bem, avançando nas medidas de prevenção, de maneira bem integrada. Desde muito cedo, as equipes já estavam nas ruas trabalhando na desobstrução das redes de drenagem, no monitoramento dos canais e das áreas de risco, na organização do trânsito, além do trabalho na avenida Euclides Figueiredo. Embora a previsão seja de redução das chuvas, temos que seguir em alerta", orientou o prefeito.
O secretário da Defesa Social, Luís Fernando Mendonça, explicou que "desde as primeiras horas, todas as equipes estiveram integradas, se comunicando, trabalhando conjuntamente". "Na região da avenida Euclides Figueiredo, Emsurb e Emurb atuaram juntas na sucção das águas. A Defesa Civil acompanhou as áreas de risco, atendendo todas as ocorrências, com respostas rápidas. Tivemos 65 mm de chuvas em 12 horas quando eram  previstos 35 mm, chegando a um acumulado de 110 mm em 48 horas. De modo que, cada vez mais, a gente vai melhorando a velocidade da nossa atuação e a capacidade de resposta e de prestação de serviços para a comunidade. Nós temos uma previsão de 30 mm para amanhã, mas sempre esperamos mais, por isso o trabalho prossegue da mesma maneira", afirmou.
Nas últimas 12 horas, choveu na capital um volume de 65,8 milímetros, quando o esperado eram 35 milímetros. Por causa disso, uma força tarefa integrou a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), a Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), a Defesa Civil de Aracaju, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) e a Secretaria Municipal da Assistência Social para, sobretudo, focar nas necessidades da população diante das ocorrências adversas.
Um dos principais pontos de atenção e mobilização foi a avenida Euclides Figueiredo, no bairro Santos Dumont, zona Norte de Aracaju. Durante toda a manhã e parte da tarde desta terça, Emsurb e Emurb trabalharam de forma conjunta, utilizando um caminhão para sucção das águas acumuladas pela chuva, de modo a reduzir os transtornos na área, trabalho este integrado à atuação da Defesa Civil, órgão que monitora as áreas de risco da cidade. Ao todo, 200 mil litros de água foram sugados da avenida.

O prefeito Edvaldo Nogueira reuniu o Comitê de Gerenciamento de Crise no início da noite desta terça-feira  para fazer um balanço das ações da Prefeitura de Aracaju no enfrentamento aos efeitos das chuvas nos últimos dois dias. Em 48 horas, choveu 110 mm na capital sergipana, sendo 66 mm nas últimas 12 horas. Para os próximos dias, a previsão é de diminuição dos índices pluviométricos, mas o gestor municipal determinou que as equipes permaneçam em estado de atenção e atuando, de maneira preventiva, nas ruas da cidade.
"Aracaju, mais uma vez, enfrentou bem as chuvas. A cidade aguentou o tranco. O Comitê de Gerenciamento de Crise funcionou muito bem, avançando nas medidas de prevenção, de maneira bem integrada. Desde muito cedo, as equipes já estavam nas ruas trabalhando na desobstrução das redes de drenagem, no monitoramento dos canais e das áreas de risco, na organização do trânsito, além do trabalho na avenida Euclides Figueiredo. Embora a previsão seja de redução das chuvas, temos que seguir em alerta", orientou o prefeito.
O secretário da Defesa Social, Luís Fernando Mendonça, explicou que "desde as primeiras horas, todas as equipes estiveram integradas, se comunicando, trabalhando conjuntamente". "Na região da avenida Euclides Figueiredo, Emsurb e Emurb atuaram juntas na sucção das águas. A Defesa Civil acompanhou as áreas de risco, atendendo todas as ocorrências, com respostas rápidas. Tivemos 65 mm de chuvas em 12 horas quando eram  previstos 35 mm, chegando a um acumulado de 110 mm em 48 horas. De modo que, cada vez mais, a gente vai melhorando a velocidade da nossa atuação e a capacidade de resposta e de prestação de serviços para a comunidade. Nós temos uma previsão de 30 mm para amanhã, mas sempre esperamos mais, por isso o trabalho prossegue da mesma maneira", afirmou.
Nas últimas 12 horas, choveu na capital um volume de 65,8 milímetros, quando o esperado eram 35 milímetros. Por causa disso, uma força tarefa integrou a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), a Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), a Defesa Civil de Aracaju, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) e a Secretaria Municipal da Assistência Social para, sobretudo, focar nas necessidades da população diante das ocorrências adversas.
Um dos principais pontos de atenção e mobilização foi a avenida Euclides Figueiredo, no bairro Santos Dumont, zona Norte de Aracaju. Durante toda a manhã e parte da tarde desta terça, Emsurb e Emurb trabalharam de forma conjunta, utilizando um caminhão para sucção das águas acumuladas pela chuva, de modo a reduzir os transtornos na área, trabalho este integrado à atuação da Defesa Civil, órgão que monitora as áreas de risco da cidade. Ao todo, 200 mil litros de água foram sugados da avenida.