Chuvas intensas provocam alagamento na capital

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
TEMPORAL ATINGIU TODAS AS REGIÕES DO ESTADO; A AVENIDA EUCLIDES FIGUEIREDO FICOU INUNDADA E FOI PRECISO O USO DE CAMINHÕES-PIPAS PARA RETIRAR A ÁGUA ACUMULADA
TEMPORAL ATINGIU TODAS AS REGIÕES DO ESTADO; A AVENIDA EUCLIDES FIGUEIREDO FICOU INUNDADA E FOI PRECISO O USO DE CAMINHÕES-PIPAS PARA RETIRAR A ÁGUA ACUMULADA

Os caminhões-pipas foram usados para escoar água na Euclides Figueiredo
Os caminhões-pipas foram usados para escoar água na Euclides Figueiredo

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/07/2019 às 22:59:00

 

Milton Alves Júnior
Chuvas intensas acompa
nhadas de fortes rajadas 
de vento atingem o Estado de Sergipe desde a última segunda-feira (08), e têm causado transtornos para milhares de pessoas. Considerados típicos para essa época do ano, esses efeitos da natureza devem permanecer ao menos até o final desta semana, e, por este motivo, o Corpo de Bombeiros Militar, a Capitania dos Portos e a Defesa Civil do Estado e município, seguem monitorando as áreas consideradas de risco a fim de minimizar possíveis sinistros. Em Aracaju, além de ruas e avenidas inundadas, houveram registros de pane em semáforos, acidentes automotivos e novamente queda de cobertura em estacionamento de condomínio residencial.
No bairro Porto Dantas, zona Norte da capital sergipana, peritos da Defesa Civil interditaram um imóvel que teve parte do teto desabado durante a madrugada. Apesar do impacto, não houve registro de moradores acidentados. Todos tiveram que ser acolhidos em casa de parentes até que o imóvel seja devidamente reparado. No mosqueiro, extremo Sul de Aracaju, uma árvore tombou em cima de uma residência e de uma motocicleta que estava estacionada. Uma pessoa ficou levemente ferida, mas se dizendo bem, não não foi encaminhada ao posto de saúde.  Ainda sobre queda de árvore, houve registro nos bairros: Jabotiana, Coroa do Meio, Aruana, Industrial, Bugio e Santos Dumont.
Diante dos boletins de ocorrência protocolados a Prefeitura de Aracaju informou na manhã de ontem que decidiu manter atenção às áreas de risco e pontos de alagamentos com equipes da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e da Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), por meio da Defesa Civil. Estudos realizados pela administração municipal indicam que os ventos atingiram a casa dos 40 km/h. A expectativa para hoje é de amplitude dos ventos. A PMA pede que a população esteja atenta a instabilidade climática e, em caso de riscos, entrem em contato com os órgãos de segurança.
Em Nossa Senhora do Socorro uma escola teve parte da cobertura destelhada pelo vento. As aulas não foram suspensas. Houve ainda o registro de acidentes e a queda de uma placa publicitária em um terreno baldio. Já em São Cristóvão, também na região metropolitana de Aracaju, uma família ficou desabrigada depois que o telhado da residência cedeu. Houve deslizamento de terra, queda de árvores e alagamento em ruas dos conjuntos Eduardo Gomes e Rosa Elze. Em Itaporanga d'Ajuda, na Praia da Caueira, dois Coqueiros caíram em uma casa de veraneio. O mar agitado danificou parte do calçadão da orla e invadiu parcialmente a casa de um pescador.
Ainda na região do litoral Sul, as chuvas acompanhada de ventos resultou também no colapso de uma torre de internet no município de Umbaúba. A torre possuía 36 :metros de comprimento. De acordo com a Defesa Civil do Estado, a torre atingiu três casas e as famílias foram acomodadas numa pousada pertencente aos donos da estrutura. Apesar da representatividade do colapso, não houve registro de feridos. Os imóveis devem permanecer fechados até que os ferros sejam removidos e as áreas atingidas recuperadas. Ainda no final da manhã de ontem a área estava isolada e as famílias levadas para uma pousada paga pela empresa responsável pela torre. O sistema de alerta também tem sido acionado pela Marinha do Brasil.
A Defesa Civil Estadual alerta a população para a ocorrência de chuvas em perigo potencial para as próximas 24 horas, com previsão de 20 a 30 mm/h ou até 50 mm/dia, com risco de alagamentos e pequenos deslizamentos. De acordo com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão se aplica a 68 dos 75 municípios sergipanos, de diversas regiões do Estado. A Defesa Civil Estadual recomenda que a população se mantenha atenta e evite enfrentar o mau tempo. É preciso redobrar a atenção às alterações nas encostas e evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada. O secretário executivo da Defesa Civil Estadual, major Luciano Queiroz pede atenção recobrada.
 "As pessoas devem ficar atentas aos eventos de chuva que possam trazer prejuízos, permanecendo abrigadas em lugares seguros. As coordenadorias de Defesa Civil nos municípios também devem se manter em alerta, para o caso de precisar acionar seus planos de contingência em áreas de risco", alertou por meio de publicação oficial. Em caso de acidentes ou riscos, os órgãos de segurança pública solicitam que os sergipanos entrem em contato com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) 190. Situações de emergência podem ser informadas também pelo telefone 193. Na capital, intercorrências devem ser comunicadas pelo número 199.

Milton Alves Júnior

Chuvas intensas acompa nhadas de fortes rajadas  de vento atingem o Estado de Sergipe desde a última segunda-feira (08), e têm causado transtornos para milhares de pessoas. Considerados típicos para essa época do ano, esses efeitos da natureza devem permanecer ao menos até o final desta semana, e, por este motivo, o Corpo de Bombeiros Militar, a Capitania dos Portos e a Defesa Civil do Estado e município, seguem monitorando as áreas consideradas de risco a fim de minimizar possíveis sinistros. Em Aracaju, além de ruas e avenidas inundadas, houveram registros de pane em semáforos, acidentes automotivos e novamente queda de cobertura em estacionamento de condomínio residencial.
No bairro Porto Dantas, zona Norte da capital sergipana, peritos da Defesa Civil interditaram um imóvel que teve parte do teto desabado durante a madrugada. Apesar do impacto, não houve registro de moradores acidentados. Todos tiveram que ser acolhidos em casa de parentes até que o imóvel seja devidamente reparado. No mosqueiro, extremo Sul de Aracaju, uma árvore tombou em cima de uma residência e de uma motocicleta que estava estacionada. Uma pessoa ficou levemente ferida, mas se dizendo bem, não não foi encaminhada ao posto de saúde.  Ainda sobre queda de árvore, houve registro nos bairros: Jabotiana, Coroa do Meio, Aruana, Industrial, Bugio e Santos Dumont.
Diante dos boletins de ocorrência protocolados a Prefeitura de Aracaju informou na manhã de ontem que decidiu manter atenção às áreas de risco e pontos de alagamentos com equipes da Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e da Secretaria da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), por meio da Defesa Civil. Estudos realizados pela administração municipal indicam que os ventos atingiram a casa dos 40 km/h. A expectativa para hoje é de amplitude dos ventos. A PMA pede que a população esteja atenta a instabilidade climática e, em caso de riscos, entrem em contato com os órgãos de segurança.
Em Nossa Senhora do Socorro uma escola teve parte da cobertura destelhada pelo vento. As aulas não foram suspensas. Houve ainda o registro de acidentes e a queda de uma placa publicitária em um terreno baldio. Já em São Cristóvão, também na região metropolitana de Aracaju, uma família ficou desabrigada depois que o telhado da residência cedeu. Houve deslizamento de terra, queda de árvores e alagamento em ruas dos conjuntos Eduardo Gomes e Rosa Elze. Em Itaporanga d'Ajuda, na Praia da Caueira, dois Coqueiros caíram em uma casa de veraneio. O mar agitado danificou parte do calçadão da orla e invadiu parcialmente a casa de um pescador.
Ainda na região do litoral Sul, as chuvas acompanhada de ventos resultou também no colapso de uma torre de internet no município de Umbaúba. A torre possuía 36 :metros de comprimento. De acordo com a Defesa Civil do Estado, a torre atingiu três casas e as famílias foram acomodadas numa pousada pertencente aos donos da estrutura. Apesar da representatividade do colapso, não houve registro de feridos. Os imóveis devem permanecer fechados até que os ferros sejam removidos e as áreas atingidas recuperadas. Ainda no final da manhã de ontem a área estava isolada e as famílias levadas para uma pousada paga pela empresa responsável pela torre. O sistema de alerta também tem sido acionado pela Marinha do Brasil.
A Defesa Civil Estadual alerta a população para a ocorrência de chuvas em perigo potencial para as próximas 24 horas, com previsão de 20 a 30 mm/h ou até 50 mm/dia, com risco de alagamentos e pequenos deslizamentos. De acordo com Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão se aplica a 68 dos 75 municípios sergipanos, de diversas regiões do Estado. A Defesa Civil Estadual recomenda que a população se mantenha atenta e evite enfrentar o mau tempo. É preciso redobrar a atenção às alterações nas encostas e evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada. O secretário executivo da Defesa Civil Estadual, major Luciano Queiroz pede atenção recobrada.
 "As pessoas devem ficar atentas aos eventos de chuva que possam trazer prejuízos, permanecendo abrigadas em lugares seguros. As coordenadorias de Defesa Civil nos municípios também devem se manter em alerta, para o caso de precisar acionar seus planos de contingência em áreas de risco", alertou por meio de publicação oficial. Em caso de acidentes ou riscos, os órgãos de segurança pública solicitam que os sergipanos entrem em contato com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) 190. Situações de emergência podem ser informadas também pelo telefone 193. Na capital, intercorrências devem ser comunicadas pelo número 199.