Duda e Ágatha estão fora das quartas de final

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/07/2019 às 22:36:00

 

A dupla Duda e Ágatha que teve um início muito bom na Suíça. As duas saíram em primeiro lugar na chave não precisaram disputar a repescagem. Mas, acabaram superadas pelas eslovacas Dubovcova/Strbova de virada: 2 sets a 1 (16/21, 21/19, 15/11). Elas também recebem 450 pontos na corrida olímpica brasileira, 600 pontos no ranking mundial, além de prêmio de R$ 30 mil.
A competição em Gstaad rende cerca de R$ 150 mil para os campeões dos naipes masculino e feminino. Ao todo, o torneio distribui cerca de R$ 2,3 milhões em premiação aos atletas, além de oferecer pontuação alta para o ranking internacional - 1.200 para os times vencedores.
Para a corrida olímpica brasileira, disputa interna entre duplas nacionais que tentam representar o Brasil nos Jogos de Tóquio, o título em Gstaad rende 900 pontos, reduzindo 90 pontos para cada posição abaixo (veja quadro em anexo).
Ana Patrícia/Rebecca e Carol Solberg/Maria Elisa vão às quartas de final. O Brasil avançou com duas duplas às quartas de final do torneio feminino do Major Series de Gstaad (Suíça), etapa cinco estrelas do Circuito Mundial de vôlei de praia 2019. Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) e Carol Solberg/Maria Elisa (RJ) venceram seus confrontos nesta sexta-feira (12.07) e seguem na disputa por medalhas na competição. Já Ágatha/Duda (PR/SE) e Fernanda Berti/Bárbara Seixas deram adeus nas oitavas de final. Na próxima fase, Ana e Rebecca enfrentam as canadenses Sarah Pavan e Melissa Paredes, atuais campeãs mundiais. O duelo ocorre às 10h (de Brasília). 
Gstaad é um dos torneios mais tradicionais do Circuito Mundial de vôlei de praia, presente desde 2000, sem ficar nem sequer um ano de fora do calendário. Além disso, também é uma das paradas favoritas dos atletas, em meio ao verão europeu e com a arena cercada pelas montanhas. O Brasil foi campeão oito vezes no naipe masculino e nove no naipe feminino.

A dupla Duda e Ágatha que teve um início muito bom na Suíça. As duas saíram em primeiro lugar na chave não precisaram disputar a repescagem. Mas, acabaram superadas pelas eslovacas Dubovcova/Strbova de virada: 2 sets a 1 (16/21, 21/19, 15/11). Elas também recebem 450 pontos na corrida olímpica brasileira, 600 pontos no ranking mundial, além de prêmio de R$ 30 mil.
A competição em Gstaad rende cerca de R$ 150 mil para os campeões dos naipes masculino e feminino. Ao todo, o torneio distribui cerca de R$ 2,3 milhões em premiação aos atletas, além de oferecer pontuação alta para o ranking internacional - 1.200 para os times vencedores.
Para a corrida olímpica brasileira, disputa interna entre duplas nacionais que tentam representar o Brasil nos Jogos de Tóquio, o título em Gstaad rende 900 pontos, reduzindo 90 pontos para cada posição abaixo (veja quadro em anexo).
Ana Patrícia/Rebecca e Carol Solberg/Maria Elisa vão às quartas de final. O Brasil avançou com duas duplas às quartas de final do torneio feminino do Major Series de Gstaad (Suíça), etapa cinco estrelas do Circuito Mundial de vôlei de praia 2019. Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE) e Carol Solberg/Maria Elisa (RJ) venceram seus confrontos nesta sexta-feira (12.07) e seguem na disputa por medalhas na competição. Já Ágatha/Duda (PR/SE) e Fernanda Berti/Bárbara Seixas deram adeus nas oitavas de final. Na próxima fase, Ana e Rebecca enfrentam as canadenses Sarah Pavan e Melissa Paredes, atuais campeãs mundiais. O duelo ocorre às 10h (de Brasília). 
Gstaad é um dos torneios mais tradicionais do Circuito Mundial de vôlei de praia, presente desde 2000, sem ficar nem sequer um ano de fora do calendário. Além disso, também é uma das paradas favoritas dos atletas, em meio ao verão europeu e com a arena cercada pelas montanhas. O Brasil foi campeão oito vezes no naipe masculino e nove no naipe feminino.