Paulo Júnior espera que UFS volte a funcionar normalmente após férias

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O vereador Paulo Júnior, presidente da Câmara Municipal de  São Cristóvão
O vereador Paulo Júnior, presidente da Câmara Municipal de São Cristóvão

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 18/07/2019 às 23:16:00

 

O presidente da Câmara Municipal de São Cristóvão, Paulo Júnior, não escondeu sua preocupação com a possibilidade da Universidade Federal de Sergipe (UFS) não retornar às atividades após o período de férias dos estudantes, caso os limites orçamentários destinados à instituição permaneçam bloqueados. 
Segundo informações publicadas na imprensa, no dia 30 de abril, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que o bloqueio de 30% na verba das instituições de ensino federais valia para todas as universidades e institutos do país. "Como vereador de São Cristóvão, município que abriga a instituição de ensino mais importante de Sergipe, não poderia deixar de externar também a minha preocupação. A UFS tem uma enorme relevância para o desenvolvimento e a promoção de pesquisas no Estado, abrigando milhares de estudantes e um quadro de professores e servidores considerável", alertou. 
Ele disse que irá acompanhar de perto os desdobramentos desse impasse, "esperando que a Universidade consiga uma solução para garantir o retorno das aulas após o período de férias dos seus estudantes".

O presidente da Câmara Municipal de São Cristóvão, Paulo Júnior, não escondeu sua preocupação com a possibilidade da Universidade Federal de Sergipe (UFS) não retornar às atividades após o período de férias dos estudantes, caso os limites orçamentários destinados à instituição permaneçam bloqueados. 
Segundo informações publicadas na imprensa, no dia 30 de abril, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que o bloqueio de 30% na verba das instituições de ensino federais valia para todas as universidades e institutos do país. "Como vereador de São Cristóvão, município que abriga a instituição de ensino mais importante de Sergipe, não poderia deixar de externar também a minha preocupação. A UFS tem uma enorme relevância para o desenvolvimento e a promoção de pesquisas no Estado, abrigando milhares de estudantes e um quadro de professores e servidores considerável", alertou. 
Ele disse que irá acompanhar de perto os desdobramentos desse impasse, "esperando que a Universidade consiga uma solução para garantir o retorno das aulas após o período de férias dos seus estudantes".