Questão de direitos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 19/07/2019 às 22:21:00

 

Mulheres, crianças e adolescen
tes, a população negra e LGB
TQ+. O grande número de queixas formalizadas na Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis demonstra, sem sombra de dúvidas, que nem o rigor da Lei intimida o ímpeto criminoso dos reacionários.
Desde outubro de 2018, o DAGV funciona em tempo integral. A violência doméstica ainda está entre as principais ocorrências. Mas os crimes de natureza sexual, além da discriminação de gênero, raça e crença religiosa também são registrados quase todos os dias.
O departamento funciona de forma integral desde outubro de 2018, por força de oportuna determinação do Governo de Sergipe. Desde então, resta provado, trabalho para os agentes do DAGV não falta.
De janeiro a junho, a unidade especializada registrou 294 prisões em flagrante e 415 medidas protetivas foram concedidas. De acordo com o levantamento da Secretaria de Segurança Pública, no primeiro semestre deste ano, foram confeccionados 294 Autos de Prisão em Flagrante. Apenas no mês de junho de 2019, foram registradas 50 prisões em flagrante - 33 na capital, 11 em Nossa Senhora do Socorro, e as demais em São Cristóvão, Barra dos Coqueiros e Laranjeiras. 
Como se vê, a demanda pela atuação do DAGV abarca o estado inteiro. Os números demonstram, sem sombra de dúvidas, a importância das políticas públicas voltadas para os extratos sociais extrapolam a conveniência política. Trata-se, antes de tudo, de garantir a vida e os direitos individuais de muita gente.

Mulheres, crianças e adolescen tes, a população negra e LGB TQ+. O grande número de queixas formalizadas na Delegacia de Atendimento a Grupos Vulneráveis demonstra, sem sombra de dúvidas, que nem o rigor da Lei intimida o ímpeto criminoso dos reacionários.
Desde outubro de 2018, o DAGV funciona em tempo integral. A violência doméstica ainda está entre as principais ocorrências. Mas os crimes de natureza sexual, além da discriminação de gênero, raça e crença religiosa também são registrados quase todos os dias.
O departamento funciona de forma integral desde outubro de 2018, por força de oportuna determinação do Governo de Sergipe. Desde então, resta provado, trabalho para os agentes do DAGV não falta.
De janeiro a junho, a unidade especializada registrou 294 prisões em flagrante e 415 medidas protetivas foram concedidas. De acordo com o levantamento da Secretaria de Segurança Pública, no primeiro semestre deste ano, foram confeccionados 294 Autos de Prisão em Flagrante. Apenas no mês de junho de 2019, foram registradas 50 prisões em flagrante - 33 na capital, 11 em Nossa Senhora do Socorro, e as demais em São Cristóvão, Barra dos Coqueiros e Laranjeiras. 
Como se vê, a demanda pela atuação do DAGV abarca o estado inteiro. Os números demonstram, sem sombra de dúvidas, a importância das políticas públicas voltadas para os extratos sociais extrapolam a conveniência política. Trata-se, antes de tudo, de garantir a vida e os direitos individuais de muita gente.