Dengue segue avançando no Estado: 10 mortos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/07/2019 às 22:42:00

 

Milton Alves Júnior
Chega a dez, o núme-
ro de mortes por 
Dengue no Estado de Sergipe neste ano. Na manhã de ontem a Secretaria de Estado da Saúde (SES) oficializou que as novas vítimas fatais do mosquito Aedes aegypti tratam-se de um adolescente de 15 anos e um idoso de 62. O primeiro caso estava em análise desde o início da semana quando o jovem faleceu na segunda-feira, 22, no Hospital Regional de Neópolis; já o segundo registro confirmado apresentava um quadro clínico delicado desde o dia 17 deste mês, quando o paciente necessitou ser encaminhado para uma unidade hospitalar da rede particular em Aracaju.
Menos de 48 horas após o novo Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa) ter apontado 26 municípios sergipanos em alto risco de surto, 40 em situação de médio risco ou de alerta, e nove municípios com baixo risco, ou em situação satisfatória, os novos dados permanecem com os mesmos 1.645 casos confirmados da doença, bem como os 5.431 notificações em análise, porém reajustou negativamente as estatísticas envolvendo óbito. Em todo o ano de 2018 foram registrados pouco mais de 500 casos confirmados de Dengue. Uma redução de 68% se comparado com o ano de 2017. A preocupação dos órgãos de saúde fica por conta da passagem do período de chuva.
De acordo com a secretaria municipal da saúde, Waneska Barboza, o período pós-chuva costuma apresentar aumento dos casos da doença. A gestora esclarece que, para evitar ampliação desses casos é preciso unificar as ações operacionais realizadas pela administração pública e o cidadão. "O período de chuvas vai passar, mas logo em seguida vem o verão. Período extremamente propício para a proliferação dos mosquitos e ampliação da doença. Por isso reforçamos a necessidade de as pessoas colaborarem com o nosso trabalho. Essa luta é de todos, e por esse motivo é preciso que a população tenha consciência. Somente unindo nossas ações será possível combater a doença", disse.
Um novo LIRAa realizado exclusivamente pela Prefeitura de Aracaju deve ser apresentado na primeira semana de outubro. O último levantamento na capital sergipana apresentou os bairros: Santa Maria (104), Santos Dumont (48), São Conrado (44), Farolândia (39), Olaria (38), 17 de Março (36) e Cidade Nova (24), como os mais atingidos pelo mosquito. No estado estão em alto risco os municípios de Areia Branca, Capela, Carmópolis, Cristinápolis, General Maynard, Ilha das Flores, Itabaiana, Japoatã, Malhada dos Bois, Malhador, Moita Bonita, Neópolis, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora de Lourdes, Pedra Mole, Pedrinhas, Pinhão, Porto da Folha, Riachão do Dantas, Ribeirópolis, Salgado e Simão Dias.
O que também chama a atenção dos estudos é que estas cidades apresentam alto risco em todos os quatro levantamentos do ano. Com cenário parecido, os municípios de Santana do São Francisco e São Domingos apresentaram alto risco nos três últimos LIRAas. Para combater a ação do Aedes aegypti o estado informou que está executando a Brigada Itinerante de Combate à Dengue nos municípios sergipanos, contando com o suporte de 50 agentes capacitados para trabalhar de acordo com as notificações realizadas em cada região. A PMA tem realizado mutirões, visitas nos bairros no turno da noite e nos finais de semana.
Hoje e amanhã agentes de combate à endemias visitarão as casas do bairro José Conrado de Araújo; já no dia 03 de agosto será a vez de o bairro Santo Antônio receber a equipe da SMS; dia 10, bairro Industrial; dia 17 o bairro Dom Luciano, e no dia 24 de agosto o bairro Pereira Lobo.

Milton Alves Júnior

Chega a dez, o núme- ro de mortes por  Dengue no Estado de Sergipe neste ano. Na manhã de ontem a Secretaria de Estado da Saúde (SES) oficializou que as novas vítimas fatais do mosquito Aedes aegypti tratam-se de um adolescente de 15 anos e um idoso de 62. O primeiro caso estava em análise desde o início da semana quando o jovem faleceu na segunda-feira, 22, no Hospital Regional de Neópolis; já o segundo registro confirmado apresentava um quadro clínico delicado desde o dia 17 deste mês, quando o paciente necessitou ser encaminhado para uma unidade hospitalar da rede particular em Aracaju.
Menos de 48 horas após o novo Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti (LIRAa) ter apontado 26 municípios sergipanos em alto risco de surto, 40 em situação de médio risco ou de alerta, e nove municípios com baixo risco, ou em situação satisfatória, os novos dados permanecem com os mesmos 1.645 casos confirmados da doença, bem como os 5.431 notificações em análise, porém reajustou negativamente as estatísticas envolvendo óbito. Em todo o ano de 2018 foram registrados pouco mais de 500 casos confirmados de Dengue. Uma redução de 68% se comparado com o ano de 2017. A preocupação dos órgãos de saúde fica por conta da passagem do período de chuva.
De acordo com a secretaria municipal da saúde, Waneska Barboza, o período pós-chuva costuma apresentar aumento dos casos da doença. A gestora esclarece que, para evitar ampliação desses casos é preciso unificar as ações operacionais realizadas pela administração pública e o cidadão. "O período de chuvas vai passar, mas logo em seguida vem o verão. Período extremamente propício para a proliferação dos mosquitos e ampliação da doença. Por isso reforçamos a necessidade de as pessoas colaborarem com o nosso trabalho. Essa luta é de todos, e por esse motivo é preciso que a população tenha consciência. Somente unindo nossas ações será possível combater a doença", disse.
Um novo LIRAa realizado exclusivamente pela Prefeitura de Aracaju deve ser apresentado na primeira semana de outubro. O último levantamento na capital sergipana apresentou os bairros: Santa Maria (104), Santos Dumont (48), São Conrado (44), Farolândia (39), Olaria (38), 17 de Março (36) e Cidade Nova (24), como os mais atingidos pelo mosquito. No estado estão em alto risco os municípios de Areia Branca, Capela, Carmópolis, Cristinápolis, General Maynard, Ilha das Flores, Itabaiana, Japoatã, Malhada dos Bois, Malhador, Moita Bonita, Neópolis, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora de Lourdes, Pedra Mole, Pedrinhas, Pinhão, Porto da Folha, Riachão do Dantas, Ribeirópolis, Salgado e Simão Dias.
O que também chama a atenção dos estudos é que estas cidades apresentam alto risco em todos os quatro levantamentos do ano. Com cenário parecido, os municípios de Santana do São Francisco e São Domingos apresentaram alto risco nos três últimos LIRAas. Para combater a ação do Aedes aegypti o estado informou que está executando a Brigada Itinerante de Combate à Dengue nos municípios sergipanos, contando com o suporte de 50 agentes capacitados para trabalhar de acordo com as notificações realizadas em cada região. A PMA tem realizado mutirões, visitas nos bairros no turno da noite e nos finais de semana.
Hoje e amanhã agentes de combate à endemias visitarão as casas do bairro José Conrado de Araújo; já no dia 03 de agosto será a vez de o bairro Santo Antônio receber a equipe da SMS; dia 10, bairro Industrial; dia 17 o bairro Dom Luciano, e no dia 24 de agosto o bairro Pereira Lobo.