GAM do Brasil faz dobradinha no Pan de Lima

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Caio Souza ficou com a medalha de ouro e Arthur Nory com a prata. Canadense levou o bronze
Caio Souza ficou com a medalha de ouro e Arthur Nory com a prata. Canadense levou o bronze

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/07/2019 às 01:54:00

 

Pelo terceiro dia consecutivo, o Brasil subiu ao pódio na Ginástica Artística dos Jogos Pan-Americanos de Lima. Após o bronze de Flavia Saraiva no Individual Geral feminino, a Seleção Brasileira masculina conseguiu pela primeira vez medalhar nesta mesma prova. E logo em dose dupla, com o ouro de Caio Souza e a prata de Arthur Nory. 
Desde a primeira conquista em Pan-Americanos, nos Jogos de San Juan (PUR), em 1979, com um bronze por equipe, a Ginástica Masculina nunca havia conquistado uma medalha no Individual Geral, que é aquela que reúne os ginastas que têm bons resultados em mais de um aparelho. Em Lima, o jejum foi quebrado em dose dupla, com atuações excepcionais de Caio Souza e Arthur Nory.
Ao longo de toda prova, os dois disputaram ponto a ponto em cada aparelho a liderança. Chegaram a ser ameaçados pelos canadenses Cory Paterson (que levou o bronze) e René Cournoyer, mas o dia era mesmo do Brasil. Com performance excepcional na barra fixa, quando tirou 14,400 e levantou a torcida, Caio assegurou a vitória.
Enquanto chorava de emoção, viu seu companheiro de equipe Nory acertar uma prova irretocável também, mas como ele tinha uma vantagem segura, o ouro foi assegurado. No final, Caio Souza levou a medalha de ouro com a nota 83,500, contra 82,950 de Arthur Nory, que levou a prata.

Pelo terceiro dia consecutivo, o Brasil subiu ao pódio na Ginástica Artística dos Jogos Pan-Americanos de Lima. Após o bronze de Flavia Saraiva no Individual Geral feminino, a Seleção Brasileira masculina conseguiu pela primeira vez medalhar nesta mesma prova. E logo em dose dupla, com o ouro de Caio Souza e a prata de Arthur Nory. 
Desde a primeira conquista em Pan-Americanos, nos Jogos de San Juan (PUR), em 1979, com um bronze por equipe, a Ginástica Masculina nunca havia conquistado uma medalha no Individual Geral, que é aquela que reúne os ginastas que têm bons resultados em mais de um aparelho. Em Lima, o jejum foi quebrado em dose dupla, com atuações excepcionais de Caio Souza e Arthur Nory.
Ao longo de toda prova, os dois disputaram ponto a ponto em cada aparelho a liderança. Chegaram a ser ameaçados pelos canadenses Cory Paterson (que levou o bronze) e René Cournoyer, mas o dia era mesmo do Brasil. Com performance excepcional na barra fixa, quando tirou 14,400 e levantou a torcida, Caio assegurou a vitória.
Enquanto chorava de emoção, viu seu companheiro de equipe Nory acertar uma prova irretocável também, mas como ele tinha uma vantagem segura, o ouro foi assegurado. No final, Caio Souza levou a medalha de ouro com a nota 83,500, contra 82,950 de Arthur Nory, que levou a prata.