GR do Brasil conquistas duas medalhas de bronze

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A GR do Brasil conquista bronze nos Jogos Pan-Americano de Lima 2019
A GR do Brasil conquista bronze nos Jogos Pan-Americano de Lima 2019

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/08/2019 às 22:52:00

 

A Ginástica Rítmica do Brasil saiu com duas medalhas, no primeiro dia de finais da modalidade pelos Jogos Pan-Americanos de Lima. No Individual Geral, Natalia Gaudio conquistou a medalha de bronze, a segunda do Brasil em Pan-Americanos nesta prova. Na final do Conjunto Geral, a equipe do Brasil também levou o bronze, após cometer um erro no início de sua série. O time brasileiro tinha ficado com a medalha de ouro nesta prova nos últimos cinco Pan-Americanos.
Além da entrega das primeiras medalhas no Pan, a sessão também definiu as integrantes das finais por aparelho. O Brasil terá mais cinco participações em finais, com Natalia Gaudio e Barbara Domingos classificando-se na fita e nas maças, além do Conjunto ter chegado à final da prova mista (três arcos e dois pares de maças).
A disputa das medalhas do Individual Geral reservou uma emocionante disputa entre as ginastas brasileiras. Enquanto Barbara fez ótima série na fita (17,300), Natalia teve uma nota excelente nas maças (17,800). Na somatória final, as duas brasileiras terminaram, empatadas com 67,150, com o desempate acontecendo pelas notas de execução, quando Natalia Gaudio levou vantagem, deixando sua companheira de equipe em 4º.
Conjunto leva o bronze - Depois da ótima apresentação na primeira rotação, quando ficou em primeiro lugar no geral, a equipe brasileira do Conjunto não conseguiu repetir o mesmo desempenho na final da prova mista. Dois erros cometidos no início da coreografia comprometeram o desempenho das meninas brasileiras, que acabaram ficando com o bronze.
"Cometemos dois erros que não costumamos fazer, já realizamos apresentações muito melhores. Agora, temos que encarar tudo isso como um aprendizado e focarmos nas disputas por aparelho e ganharmos uma medalha para o Brasil", afirmou a capitã da equipe, Déborah Medrado.
Para a treinadora e Coordenadora de Seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), Camila Ferezin, o erro no início da série acabou sendo decisivo.

A Ginástica Rítmica do Brasil saiu com duas medalhas, no primeiro dia de finais da modalidade pelos Jogos Pan-Americanos de Lima. No Individual Geral, Natalia Gaudio conquistou a medalha de bronze, a segunda do Brasil em Pan-Americanos nesta prova. Na final do Conjunto Geral, a equipe do Brasil também levou o bronze, após cometer um erro no início de sua série. O time brasileiro tinha ficado com a medalha de ouro nesta prova nos últimos cinco Pan-Americanos.
Além da entrega das primeiras medalhas no Pan, a sessão também definiu as integrantes das finais por aparelho. O Brasil terá mais cinco participações em finais, com Natalia Gaudio e Barbara Domingos classificando-se na fita e nas maças, além do Conjunto ter chegado à final da prova mista (três arcos e dois pares de maças).
A disputa das medalhas do Individual Geral reservou uma emocionante disputa entre as ginastas brasileiras. Enquanto Barbara fez ótima série na fita (17,300), Natalia teve uma nota excelente nas maças (17,800). Na somatória final, as duas brasileiras terminaram, empatadas com 67,150, com o desempate acontecendo pelas notas de execução, quando Natalia Gaudio levou vantagem, deixando sua companheira de equipe em 4º.
Conjunto leva o bronze - Depois da ótima apresentação na primeira rotação, quando ficou em primeiro lugar no geral, a equipe brasileira do Conjunto não conseguiu repetir o mesmo desempenho na final da prova mista. Dois erros cometidos no início da coreografia comprometeram o desempenho das meninas brasileiras, que acabaram ficando com o bronze.
"Cometemos dois erros que não costumamos fazer, já realizamos apresentações muito melhores. Agora, temos que encarar tudo isso como um aprendizado e focarmos nas disputas por aparelho e ganharmos uma medalha para o Brasil", afirmou a capitã da equipe, Déborah Medrado.
Para a treinadora e Coordenadora de Seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), Camila Ferezin, o erro no início da série acabou sendo decisivo.