GR encerra participação no Pan com ouro e prata

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 06/08/2019 às 22:49:00

 

A Ginástica Rítmica (GR) do Brasil encerrou de forma brilhante sua participação nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019. A equipe do Conjunto fez uma série perfeita na prova mista (três arcos e dois pares de maças) e levou o título pan-americano. No individual por aparelhos, Barbara Domingos fez uma ótima apresentação na prova da fita e levou a prata.
Com as medalhas obtidas nesta segunda-feira, a Ginástica Rítmica brasileira alcançou um total de cinco medalhas no Pan-Americano de Lima. Uma de ouro (Conjunto/prova mista), uma de prata (Barbara Domingos/fita) e três de bronze (Natalia Gaudio/Individual Geral, Conjunto/Geral e Conjunto/Cinco Bolas).
A primeira medalha do dia veio com Barbara Domingos. Após ficar em quinto lugar nas maças (nota 16,600), a ginasta paranaense brilhou na prova da fita, alcançando a nota 17,450, por pouco não superando a americana Evita Griskenas, que venceu a prova com 17,950. "Acho que esta medalha é um reconhecimento de dever cumprido, por tudo o que passei. A cada dia da competição, senti que fui evoluindo. Acho que foi fruto de um trabalho que vem sendo feito há muito tempo", afirmou Barbara, que também comemorou o fato de duas brasileiras terem ficado com medalha no Pan de Lima.
Conjunto levanta a torcida - A prova mista do conjunto fechou a participação da Ginástica Rítmica no Pan de Lima e o time do Brasil manteve a tradição dos últimos Pan-Americanos e voltou para casa com uma medalha de ouro. Na prova mista (três arcos e dois pares de maças), as meninas brasileiras deram a volta por cima em relação ao qualificatório, quando cometeram um erro e ficaram com o bronze na prova Geral.
Desta vez, a coreografia foi limpa e a nota de 24,250 assegurou a medalha de ouro para o Brasil, levantando a torcida no Poliesportivo de Villa El Salvador. "Hoje saiu a série que a gente estava aguardando. Saiu o que a gente treinou e muito bem", disse a capitã da equipe, Deborah Medrado. Ela admitiu que o grupo ficou muito ansioso, enquanto aguardava a apresentação das outras equipes.
Para Camila Ferezin, técnica e Coordenadora de Seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), o resultado representou a realização de um sonho. "Feliz demais delas terem alcançado este feito. A gente sabia que quando elas acertassem, iriam ficar com o ouro. Não tem nada melhor", disse Camila.

A Ginástica Rítmica (GR) do Brasil encerrou de forma brilhante sua participação nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019. A equipe do Conjunto fez uma série perfeita na prova mista (três arcos e dois pares de maças) e levou o título pan-americano. No individual por aparelhos, Barbara Domingos fez uma ótima apresentação na prova da fita e levou a prata.
Com as medalhas obtidas nesta segunda-feira, a Ginástica Rítmica brasileira alcançou um total de cinco medalhas no Pan-Americano de Lima. Uma de ouro (Conjunto/prova mista), uma de prata (Barbara Domingos/fita) e três de bronze (Natalia Gaudio/Individual Geral, Conjunto/Geral e Conjunto/Cinco Bolas).
A primeira medalha do dia veio com Barbara Domingos. Após ficar em quinto lugar nas maças (nota 16,600), a ginasta paranaense brilhou na prova da fita, alcançando a nota 17,450, por pouco não superando a americana Evita Griskenas, que venceu a prova com 17,950. "Acho que esta medalha é um reconhecimento de dever cumprido, por tudo o que passei. A cada dia da competição, senti que fui evoluindo. Acho que foi fruto de um trabalho que vem sendo feito há muito tempo", afirmou Barbara, que também comemorou o fato de duas brasileiras terem ficado com medalha no Pan de Lima.

Conjunto levanta a torcida - A prova mista do conjunto fechou a participação da Ginástica Rítmica no Pan de Lima e o time do Brasil manteve a tradição dos últimos Pan-Americanos e voltou para casa com uma medalha de ouro. Na prova mista (três arcos e dois pares de maças), as meninas brasileiras deram a volta por cima em relação ao qualificatório, quando cometeram um erro e ficaram com o bronze na prova Geral.
Desta vez, a coreografia foi limpa e a nota de 24,250 assegurou a medalha de ouro para o Brasil, levantando a torcida no Poliesportivo de Villa El Salvador. "Hoje saiu a série que a gente estava aguardando. Saiu o que a gente treinou e muito bem", disse a capitã da equipe, Deborah Medrado. Ela admitiu que o grupo ficou muito ansioso, enquanto aguardava a apresentação das outras equipes.
Para Camila Ferezin, técnica e Coordenadora de Seleções da CBG (Confederação Brasileira de Ginástica), o resultado representou a realização de um sonho. "Feliz demais delas terem alcançado este feito. A gente sabia que quando elas acertassem, iriam ficar com o ouro. Não tem nada melhor", disse Camila.