Confiança treina com portões fechados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/08/2019 às 22:51:00

 

Givaldo Batista
givaldobs@yahoo.com.br
Nessa reta final do Bra
sileiro da Série C, 
quando as equipes estão voltadas para brigar pelo acesso ou contra o rebaixamento, todo cuidado é pouco.  Nada melhor do que manter a privacidade dos trabalhos e longe dos olhos de curiosos. É assim que pensa o treinador Daniel Paulista. Daí ter determinado que todos os treinos desta semana na Arena Batistão sejam todos eles com portões fechados. 
O primeiro deles aconteceu na tarde desta terça-feira. Os portões para acesso do torcedor e da imprensa foram abertos faltando 15 minutos para o final dos trabalhos. A partir daí os jogadores foram liberados para as entrevistas e o pessoal de imprensa desenvolveu seus trabalhos sem muita dificuldade.
Daniel Paulista disse que não era uma forma de fugir da torcida. Pelo contrário, ele espera contar com a presença da torcida durante toda a semana e principalmente no jogo de domingo. "A torcida terá um papel preponderante nesses dois jogos que teremos dentro de casa. Porém, manter a privacidade dos nossos trabalhos e a tranquilidade dos jogadores, também é importante. Nessa fase da competição todo cuidado é pouco. Não podemos vacilar", disse o treinador.
Para essa partida contra o Santa Cruz, Daniel não contará com o lateral esquerdo Altemar que vai cumprir suspensão automática. Michel Benhim, recém contratado deve ser o substituto. 
A previsão da diretoria é ter a Arena Batistão cheia no próximo domingo. Até esta terça-feira (6), mais de 6 mil ingressos já tinham sido vendidos e nesta quarta-feira se encerra mais uma fase da promoção.
- Nós perdemos os dois últimos jogos, mas não há motivo para desanimo. A campanha é ótima e estamos muito próximos da classificação para a próxima fase. Dependemos só de nós mesmos e ainda vamos decidir em casa. Por isso, é importante o apoio de todos os torcedores neste momento. Queremos 15 mil no Batistão nos dois jogos. Por isso, fizemos promoções. Mas é bom comprar logo porque tem prazo para acabar - disse Hyago França - presidente do Confiança.

Nessa reta final do Bra sileiro da Série C,  quando as equipes estão voltadas para brigar pelo acesso ou contra o rebaixamento, todo cuidado é pouco.  Nada melhor do que manter a privacidade dos trabalhos e longe dos olhos de curiosos. É assim que pensa o treinador Daniel Paulista. Daí ter determinado que todos os treinos desta semana na Arena Batistão sejam todos eles com portões fechados. 
O primeiro deles aconteceu na tarde desta terça-feira. Os portões para acesso do torcedor e da imprensa foram abertos faltando 15 minutos para o final dos trabalhos. A partir daí os jogadores foram liberados para as entrevistas e o pessoal de imprensa desenvolveu seus trabalhos sem muita dificuldade.
Daniel Paulista disse que não era uma forma de fugir da torcida. Pelo contrário, ele espera contar com a presença da torcida durante toda a semana e principalmente no jogo de domingo. "A torcida terá um papel preponderante nesses dois jogos que teremos dentro de casa. Porém, manter a privacidade dos nossos trabalhos e a tranquilidade dos jogadores, também é importante. Nessa fase da competição todo cuidado é pouco. Não podemos vacilar", disse o treinador.
Para essa partida contra o Santa Cruz, Daniel não contará com o lateral esquerdo Altemar que vai cumprir suspensão automática. Michel Benhim, recém contratado deve ser o substituto. 
A previsão da diretoria é ter a Arena Batistão cheia no próximo domingo. Até esta terça-feira (6), mais de 6 mil ingressos já tinham sido vendidos e nesta quarta-feira se encerra mais uma fase da promoção.
- Nós perdemos os dois últimos jogos, mas não há motivo para desanimo. A campanha é ótima e estamos muito próximos da classificação para a próxima fase. Dependemos só de nós mesmos e ainda vamos decidir em casa. Por isso, é importante o apoio de todos os torcedores neste momento. Queremos 15 mil no Batistão nos dois jogos. Por isso, fizemos promoções. Mas é bom comprar logo porque tem prazo para acabar - disse Hyago França - presidente do Confiança.