PC e Ibama fecham serraria clandestina em Indiaroba

Geral


  • POLICIAIS E FISCAIS DO IBAMA FECHARAM SERRARIA EM INDIAROBA, QUE USAVA MADEIRA EXTRAÍDA DE RESERVA DA MATA ATLÂNTICA

 

Em uma operação durante por todo o dia de ontem, policiais civis das Delegacias de Umbaúba e Indiaroba (Sul), apoiados por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama,) realizaram diligências após uma série de denúncias sobre a existência de grandes quantidades de madeira extraídas de uma reserva de Mata Atlântica, localizadas no assentamento Sabão, em Indiaroba.
Segundo o delegado Antônio Francisco, foram investigados galpões, propriedades rurais, garagens e ainda o interior da Mata Atlântica. Em vários destes locais, as equipes encontraram madeira recentemente extraída. O alvo principal dessa quadrilha está nas madeiras mais nobres, a exemplo do Jequitibá e do Coração de Negro, chegando a custar aproximadamente R$ 3.500 o metro cúbico destas madeiras.
Na operação, cerca de cem toras de madeira foram apreendidas. "A operação atingiu seu objetivo, pois foram identificados os autores das infrações. Eles foram devidamente autuados pelos fiscais do Ibama e intimados pelas Delegacias de Umbaúba e Indiaroba para responderem os procedimentos pelos crimes ambientais", explicou o delegado Antônio Francisco.
Ainda em decorrência desta operação, o Ibama autuou uma serraria que funcionava clandestinamente na cidade de Umbaúba e o proprietário de um galpão, que armazenava madeira clandestina em seu interior. Novas ações serão retomadas pela Polícia Civil, em parceria com o Ibama, para coibir novas práticas relacionadas com crimes ambientais.

Em uma operação durante por todo o dia de ontem, policiais civis das Delegacias de Umbaúba e Indiaroba (Sul), apoiados por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama,) realizaram diligências após uma série de denúncias sobre a existência de grandes quantidades de madeira extraídas de uma reserva de Mata Atlântica, localizadas no assentamento Sabão, em Indiaroba.
Segundo o delegado Antônio Francisco, foram investigados galpões, propriedades rurais, garagens e ainda o interior da Mata Atlântica. Em vários destes locais, as equipes encontraram madeira recentemente extraída. O alvo principal dessa quadrilha está nas madeiras mais nobres, a exemplo do Jequitibá e do Coração de Negro, chegando a custar aproximadamente R$ 3.500 o metro cúbico destas madeiras.
Na operação, cerca de cem toras de madeira foram apreendidas. "A operação atingiu seu objetivo, pois foram identificados os autores das infrações. Eles foram devidamente autuados pelos fiscais do Ibama e intimados pelas Delegacias de Umbaúba e Indiaroba para responderem os procedimentos pelos crimes ambientais", explicou o delegado Antônio Francisco.
Ainda em decorrência desta operação, o Ibama autuou uma serraria que funcionava clandestinamente na cidade de Umbaúba e o proprietário de um galpão, que armazenava madeira clandestina em seu interior. Novas ações serão retomadas pela Polícia Civil, em parceria com o Ibama, para coibir novas práticas relacionadas com crimes ambientais.


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS