Na CMA, Waneska confirma licitação do Nestor Piva

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ONTEM DE MANHÃ, A SECRETÁRIA MUNICIPAL DA SAÚDE, WANESKA BARBOZA, FEZ UM BALANÇO DAS AÇÕES DA SAÚDE E CONFIRMOU LICITAÇÃO PARA ESCOLHA DEFINITIVA DE EMPRESA QUE ADMINISTRARÁ HOSPITAL
ONTEM DE MANHÃ, A SECRETÁRIA MUNICIPAL DA SAÚDE, WANESKA BARBOZA, FEZ UM BALANÇO DAS AÇÕES DA SAÚDE E CONFIRMOU LICITAÇÃO PARA ESCOLHA DEFINITIVA DE EMPRESA QUE ADMINISTRARÁ HOSPITAL

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/08/2019 às 23:52:00

 

Foi realizada ontem, no 
Plenário da Câmara 
Municipal de Aracaju (CMA) uma Audiência Pública com a secretária Municipal da Saúde, Waneska Barboza, para apresentação do relatório da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), referente ao 1º quadrimestre deste ano. Um dos principais assuntos discutidos foi a terceirização da gestão do Hospital Municipal Nestor Piva, no 18 do Forte (zona norte), que foi determinada em janeiro pela Prefeitura de Aracaju (PMA) e repassou a unidade para a empresa Centro Médico do Trabalhador. A secretária confirmou que licitação para a escolha definitiva da empresa, para um contrato de cinco anos de duração, foi confirmada para a próxima segunda-feira, 12 de agosto.
Waneska confirmou ainda que, até a finalização do processo de licitação, um segundo contrato emergencial foi firmado com a mesma empresa, que saiu vencedora de um edital lançado ao final do mês passado. O primeiro contrato, válido até o mês de julho, era de R$ 12.270.030,36, enquanto o segundo, recém-firmado, subiu para R$ 16.551.310,38. "Enquanto isso, estamos mantendo e garantindo à assistência a população. Não há renovação de contrato, o que fizemos foi um novo contrato emergencial, no qual a empresa que está hoje foi a vencedora, e ficará até que seja finalizada a outra licitação", acrescentou Waneska, mostrando que houve aumento da produção ambulatorial no Nestor Piva: no segundo ano da atual gestão, a unidade registrou 54.056 atendimentos, número que saltou, em 2019, para 78.915. 
A secretaria apresentou dados relacionados a metas do órgão que foram alcançadas. Ela demonstrou que os índices estão positivos, cumprindo a meta pactuada pelo Ministério da Saúde. Dentre os indicadores apresentados, Waneska Barboza destacou as ações realizadas para atingir a meta da cobertura vacinal. "Realizamos campanha de vacinação nas escolas, fizemos uma capacitação dos profissionais para utilizar o sistema de controle de vacinas e distribuímos 22 mil exemplares da Caderneta de Saúde da Criança. Com relação à vacinação contra a gripe, atingimos a meta preconizada pelo Ministério da Saúde, com 90,9%", explicou.
Sobre indicador do número de casos novos de sífilis congênita em menores de um ano de idade, a secretária destacou que os bairros com maiores incidências da doença estão nos bairros Santa Maria, Cidade Nova, Santos Dumont e Olaria. "Fizemos diversas ações de testagem para identificação dos casos e encaminhamento para tratamentos no bairro Santa Maria, com a parceria da Defensoria Pública". 
Também foram apresentadas as ações de combate ao Aedes aegypti. Dados atualizados da SMS mostram que, somente de janeiro a junho deste ano, quando ainda não estava em execução o Plano de Intensificação das ações de combate ao mosquito, a Prefeitura já havia realizado 14 mutirões de combate ao Aedes; visitado 428.927 domicílios; coletado mais de 29 mil pneus; limpado 11.454 terrenos baldios e realizado 37.744 trabalhos no comércio da cidade.
A secretária mostrou o demonstrativo das despesas em 2019 e falou sobre os desafios da gestão. A Saúde Municipal teve no 1º quadrimestre uma arrecadação de pouco mais de R$ 157,2 milhões, sendo a maior parte de recursos do Tesouro Municipal e do Fundo Nacional de Saúde. Já as despesas somaram um total de R$ 137 milhões, sendo a sua maior parte de gastos com pessoal e outros encargos. Também frisou a melhora no atendimento dos Hospitais Municipais, com a aquisição de 270 novos equipamentos; a inauguração da UBS Roberto Paixão no 17 de março; o novo polo da Academia da cidade na Zona Norte; o atendimento nos CAPS e a redução de mortes por acidentes de trânsito. "Entre as 26 capitais brasileiras, Aracaju é a cidade que apresenta maior redução no número de mortes no trânsito, com redução de 58,8%", destacou.
Vereadores - O líder da oposição, Lucas Aribé (PSB), destacou melhoras no atendimento às pessoas com deficiências e questionou a quantidade de psiquiatra nos CAPS. "Sobre a rede de atendimento psiquiátrico, gostaria de saber a quantidade de médicos psiquiatras e como está a cobertura nos CAPS. E também gostaria de saber da Lei que será aprovada, se a senhora tem algum planejamento para executar a lei que vai trazer mais transparência da saúde no que diz respeito a quantidade de exames e consultas, e que vai facilitar o registo nos computadores sobre os atendimentos", questionou.

Foi realizada ontem, no  Plenário da Câmara  Municipal de Aracaju (CMA) uma Audiência Pública com a secretária Municipal da Saúde, Waneska Barboza, para apresentação do relatório da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), referente ao 1º quadrimestre deste ano. Um dos principais assuntos discutidos foi a terceirização da gestão do Hospital Municipal Nestor Piva, no 18 do Forte (zona norte), que foi determinada em janeiro pela Prefeitura de Aracaju (PMA) e repassou a unidade para a empresa Centro Médico do Trabalhador. A secretária confirmou que licitação para a escolha definitiva da empresa, para um contrato de cinco anos de duração, foi confirmada para a próxima segunda-feira, 12 de agosto.
Waneska confirmou ainda que, até a finalização do processo de licitação, um segundo contrato emergencial foi firmado com a mesma empresa, que saiu vencedora de um edital lançado ao final do mês passado. O primeiro contrato, válido até o mês de julho, era de R$ 12.270.030,36, enquanto o segundo, recém-firmado, subiu para R$ 16.551.310,38. "Enquanto isso, estamos mantendo e garantindo à assistência a população. Não há renovação de contrato, o que fizemos foi um novo contrato emergencial, no qual a empresa que está hoje foi a vencedora, e ficará até que seja finalizada a outra licitação", acrescentou Waneska, mostrando que houve aumento da produção ambulatorial no Nestor Piva: no segundo ano da atual gestão, a unidade registrou 54.056 atendimentos, número que saltou, em 2019, para 78.915. 
A secretaria apresentou dados relacionados a metas do órgão que foram alcançadas. Ela demonstrou que os índices estão positivos, cumprindo a meta pactuada pelo Ministério da Saúde. Dentre os indicadores apresentados, Waneska Barboza destacou as ações realizadas para atingir a meta da cobertura vacinal. "Realizamos campanha de vacinação nas escolas, fizemos uma capacitação dos profissionais para utilizar o sistema de controle de vacinas e distribuímos 22 mil exemplares da Caderneta de Saúde da Criança. Com relação à vacinação contra a gripe, atingimos a meta preconizada pelo Ministério da Saúde, com 90,9%", explicou.
Sobre indicador do número de casos novos de sífilis congênita em menores de um ano de idade, a secretária destacou que os bairros com maiores incidências da doença estão nos bairros Santa Maria, Cidade Nova, Santos Dumont e Olaria. "Fizemos diversas ações de testagem para identificação dos casos e encaminhamento para tratamentos no bairro Santa Maria, com a parceria da Defensoria Pública". 
Também foram apresentadas as ações de combate ao Aedes aegypti. Dados atualizados da SMS mostram que, somente de janeiro a junho deste ano, quando ainda não estava em execução o Plano de Intensificação das ações de combate ao mosquito, a Prefeitura já havia realizado 14 mutirões de combate ao Aedes; visitado 428.927 domicílios; coletado mais de 29 mil pneus; limpado 11.454 terrenos baldios e realizado 37.744 trabalhos no comércio da cidade.
A secretária mostrou o demonstrativo das despesas em 2019 e falou sobre os desafios da gestão. A Saúde Municipal teve no 1º quadrimestre uma arrecadação de pouco mais de R$ 157,2 milhões, sendo a maior parte de recursos do Tesouro Municipal e do Fundo Nacional de Saúde. Já as despesas somaram um total de R$ 137 milhões, sendo a sua maior parte de gastos com pessoal e outros encargos. Também frisou a melhora no atendimento dos Hospitais Municipais, com a aquisição de 270 novos equipamentos; a inauguração da UBS Roberto Paixão no 17 de março; o novo polo da Academia da cidade na Zona Norte; o atendimento nos CAPS e a redução de mortes por acidentes de trânsito. "Entre as 26 capitais brasileiras, Aracaju é a cidade que apresenta maior redução no número de mortes no trânsito, com redução de 58,8%", destacou.

Vereadores - O líder da oposição, Lucas Aribé (PSB), destacou melhoras no atendimento às pessoas com deficiências e questionou a quantidade de psiquiatra nos CAPS. "Sobre a rede de atendimento psiquiátrico, gostaria de saber a quantidade de médicos psiquiatras e como está a cobertura nos CAPS. E também gostaria de saber da Lei que será aprovada, se a senhora tem algum planejamento para executar a lei que vai trazer mais transparência da saúde no que diz respeito a quantidade de exames e consultas, e que vai facilitar o registo nos computadores sobre os atendimentos", questionou.