Eu só queria saber o "porquê"?

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 13/08/2019 às 23:24:00

 

*José Wilson Brito Couto
Há determinadas situações em nossa cidade defasadas em relação ao normal, e no entanto permanecem insistindo em mantê-las como se fossem naturais. Por exemplo:
1)  Buracos!  Não há uma só rua na nossa Capital que não tenha pelo menos uns cinco a seis buracos, em toda a sua extensão! E a maioria deles, são depressões causadas pelas diferenças de nível das "tampas" metálicas da DESO. E normalmente a PMA assume a responsabilidade, injustamente! Por que quando é feito o recapeamento asfáltico, não se cobre o "buraco", e se sinaliza o mesmo, pintando o local com cores  fortes? Acabava  a depressão e não se perderia o local da tampa..  
2)Postes de energia elétrica e telefones.  Na maioria dos postes, principalmente no Centro, na zona do comércio,  enfeiando  a cidade, a fiação  é um verdadeiro acúmulo desordenado dos fios, tanto de energia elétrica como de telefones. Além dos fios estarem pendentes, existem em cada poste um sobra excessiva de peças de fios não utilizadas, que acredito são de grande prejuízo para a empresa. Por que não é feita uma revisão total nos postes, resolvendo essas situações?
3)Semáforos. Aracaju não é uma cidade fácil de se disciplinar o trânsito, pois em determinadas situações , principalmente no centro da cidade,   que não foi planejada para um futuro, as coisas se complicam. Urbanisticamente projetada  como um tábua de xadrez,  os cruzamentos são muito próximos, há portanto um acúmulo de tráfego e em consequência  uma vagarosidade na movimentação  dos veículos. 
Além do mais , existem situações fáceis de resolver , mas  a SMTT demora muito em perceber os entraves.  Por exemplo:  Porque no cruzamento das Av.  Francisco Porto com Jorge Amado não colocam ali um semáforo de três tempos? Facilitaria o tráfego no local e evitaria o que hoje acontece, manobras feitas na Av Jorge Amado, e que não é o correto.   
Na Av. Antônio Fagundes, que cruza com as ruas Euclides Paes Mendonça e Ananias Azevêdo, exige-se dois sinais, no entanto, na cidade, rua são Cristóvão com Itabaianinha, o sinal ali colocado pouco serve ao transeunte, assim como também no Mercado Augusto Franco, junto ao rio Sergipe, é outro desnecessário, pois há uma amplitude de visão . Isso considerando que  SMTT não deseja adquirir novos sinais. 
E os "Agentes de Trânsito", para que servem? Quando são encontrados, normalmente casal, a agente feminina é consultando o celular ( que não deve ser assunto de trabalho) e o outro "ajudando".
4) Cupins.  Na Avenida Beira Ma , iniciando no Iate Clube, até a ponte do Rio Poxim, a maioria das arvores velhas , carregam em seus galhos  enormes casas de Cupins. Isto significa que , poderá haver  de hora para outra a queda de um desses galhos apodrecidos, causando um grave acidente, ou todo o mobiliário dos apartamentos naquela região, de madeira , transformar-se-ão em pó.
5) Estacionamento. No Centro da cidade, não há! E depois que surgiram as motos, virou um inferno! Custa a SMTT disciplinar os estacionamentos das motocicletas? O motoqueiro deveria entender que a moto é um veículo como outro qualquer, porém , com as dimensões e a maneabilidade bem diferente de um carro. E muitas das vezes o motoqueiro é também motorista de carro, e sabe da dificuldade de estacionar um automóvel. Cabe a SMTT esta obrigação do disciplinamento desses veículos de duas rodas.
Também moro aqui, vamos melhorar nossa cidade!
*José Wilson Brito Couto, professor emérito da UFS (aposentado)

*José Wilson Brito Couto

Há determinadas situações em nossa cidade defasadas em relação ao normal, e no entanto permanecem insistindo em mantê-las como se fossem naturais. Por exemplo:
1)  Buracos!  Não há uma só rua na nossa Capital que não tenha pelo menos uns cinco a seis buracos, em toda a sua extensão! E a maioria deles, são depressões causadas pelas diferenças de nível das "tampas" metálicas da DESO. E normalmente a PMA assume a responsabilidade, injustamente! Por que quando é feito o recapeamento asfáltico, não se cobre o "buraco", e se sinaliza o mesmo, pintando o local com cores  fortes? Acabava  a depressão e não se perderia o local da tampa..  
2)Postes de energia elétrica e telefones.  Na maioria dos postes, principalmente no Centro, na zona do comércio,  enfeiando  a cidade, a fiação  é um verdadeiro acúmulo desordenado dos fios, tanto de energia elétrica como de telefones. Além dos fios estarem pendentes, existem em cada poste um sobra excessiva de peças de fios não utilizadas, que acredito são de grande prejuízo para a empresa. Por que não é feita uma revisão total nos postes, resolvendo essas situações?
3)Semáforos. Aracaju não é uma cidade fácil de se disciplinar o trânsito, pois em determinadas situações , principalmente no centro da cidade,   que não foi planejada para um futuro, as coisas se complicam. Urbanisticamente projetada  como um tábua de xadrez,  os cruzamentos são muito próximos, há portanto um acúmulo de tráfego e em consequência  uma vagarosidade na movimentação  dos veículos. 
Além do mais , existem situações fáceis de resolver , mas  a SMTT demora muito em perceber os entraves.  Por exemplo:  Porque no cruzamento das Av.  Francisco Porto com Jorge Amado não colocam ali um semáforo de três tempos? Facilitaria o tráfego no local e evitaria o que hoje acontece, manobras feitas na Av Jorge Amado, e que não é o correto.   
Na Av. Antônio Fagundes, que cruza com as ruas Euclides Paes Mendonça e Ananias Azevêdo, exige-se dois sinais, no entanto, na cidade, rua são Cristóvão com Itabaianinha, o sinal ali colocado pouco serve ao transeunte, assim como também no Mercado Augusto Franco, junto ao rio Sergipe, é outro desnecessário, pois há uma amplitude de visão . Isso considerando que  SMTT não deseja adquirir novos sinais. 
E os "Agentes de Trânsito", para que servem? Quando são encontrados, normalmente casal, a agente feminina é consultando o celular ( que não deve ser assunto de trabalho) e o outro "ajudando".
4) Cupins.  Na Avenida Beira Ma , iniciando no Iate Clube, até a ponte do Rio Poxim, a maioria das arvores velhas , carregam em seus galhos  enormes casas de Cupins. Isto significa que , poderá haver  de hora para outra a queda de um desses galhos apodrecidos, causando um grave acidente, ou todo o mobiliário dos apartamentos naquela região, de madeira , transformar-se-ão em pó.
5) Estacionamento. No Centro da cidade, não há! E depois que surgiram as motos, virou um inferno! Custa a SMTT disciplinar os estacionamentos das motocicletas? O motoqueiro deveria entender que a moto é um veículo como outro qualquer, porém , com as dimensões e a maneabilidade bem diferente de um carro. E muitas das vezes o motoqueiro é também motorista de carro, e sabe da dificuldade de estacionar um automóvel. Cabe a SMTT esta obrigação do disciplinamento desses veículos de duas rodas.
Também moro aqui, vamos melhorar nossa cidade!

*José Wilson Brito Couto, professor emérito da UFS (aposentado)