Empresa desiste de contrato e Resun fecha após 24 horas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
ESTUDANTES VOLTAM A FICAR SEM REFEIÇÕES
ESTUDANTES VOLTAM A FICAR SEM REFEIÇÕES

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/08/2019 às 22:58:00

 

Milton Alves Júnior
Segue suspenso por 
tempo indetermina
do o fornecimento de alimentações no Restaurante da Universidade Federal de Sergipe (Resun/UFS), do campus de São Cristóvão. Depois de quatro meses de serviços inviabilizados em virtude de reformas estruturais, na semana passada a direção geral da instituição chegou a oficializar a retomada do fornecimento, inclusive, com o anúncio da empresa RMP Romero como contratada para assumir a administração operacional do restaurante. A empresa estava legalmente autorizada para assumir a demanda após vencer processo licitatório, porém, na manhã da última terça-feira, 13, encaminhou ofício desistindo do serviço.
Até o fechamento do restaurante, o valor cobrado por cada refeição era de R$ 1. Entretanto, de acordo com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Proest), os estudantes com vulnerabilidade socioeconômica podem fazer suas refeições de forma gratuita. Por meio de nota a a UFS disse ter sido surpreendida com o pedido de decisão contratual e que, por este motivo apontado como grave, somado ao caso de não haver sido feita, por parte da empresa, a compra dos insumos necessários para as refeições, inviabilizará o funcionamento do Resun. A UFS lamenta a ocorrência e solicita paciência por parte dos alunos e funcionários.
 "Ao tempo em que pedimos a compreensão de todos, reiteramos o compromisso institucional de que serão adotados os procedimentos administrativos necessários para que se reestabeleçam, com a maior brevidade possível, as condições de fornecimento da alimentação. Informamos ainda que, até que as atividades do Resun sejam novamente retomadas, a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Proest) está orientada pela reitoria quanto à manutenção do Apoio à Alimentação aos alunos socioeconomicamente vulneráveis", informou a nota. O comunicado oficial esclarece ainda que:
 "A administração superior já respondeu ao ofício da contratada esclarecendo quais as consequências legais desta decisão, e consultará a Procuradoria Federal quanto às providências cabíveis em face das alegações da contratada sobre a incapacidade de cumprir o contrato assinado." Apesar dos transtornos e manutenção do Resun fechado, acadêmicos disseram - ao menos desta vez - compreender a imparcialidade do problema por parte da instituição federal. Para a estudante de psicologia, Thainá Ramos, é preciso que o poder judiciário seja rígido para que este tipo de situação não volte a ocorrer.
 "As informações que estão sendo repassadas inclusive aqui dentro da universidade é que realmente a empresa foi a responsável por não reiniciar as atividades que há tempos estamos torcendo para serem regularizadas. Infelizmente a gente deu de cara com a cozinha fechada e nenhum biscoito sendo servido com café. Triste, chegamos a ficar revoltados com a UFS, mas aos poucos as informações começaram a ser repassadas pela diretoria", declarou. A perspectiva por parte da Universidade Federal de Sergipe é que até a próxima semana uma nova nota referente aos serviços do Resun seja divulgada.

Milton Alves Júnior

Segue suspenso por  tempo indetermina do o fornecimento de alimentações no Restaurante da Universidade Federal de Sergipe (Resun/UFS), do campus de São Cristóvão. Depois de quatro meses de serviços inviabilizados em virtude de reformas estruturais, na semana passada a direção geral da instituição chegou a oficializar a retomada do fornecimento, inclusive, com o anúncio da empresa RMP Romero como contratada para assumir a administração operacional do restaurante. A empresa estava legalmente autorizada para assumir a demanda após vencer processo licitatório, porém, na manhã da última terça-feira, 13, encaminhou ofício desistindo do serviço.
Até o fechamento do restaurante, o valor cobrado por cada refeição era de R$ 1. Entretanto, de acordo com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Proest), os estudantes com vulnerabilidade socioeconômica podem fazer suas refeições de forma gratuita. Por meio de nota a a UFS disse ter sido surpreendida com o pedido de decisão contratual e que, por este motivo apontado como grave, somado ao caso de não haver sido feita, por parte da empresa, a compra dos insumos necessários para as refeições, inviabilizará o funcionamento do Resun. A UFS lamenta a ocorrência e solicita paciência por parte dos alunos e funcionários.
 "Ao tempo em que pedimos a compreensão de todos, reiteramos o compromisso institucional de que serão adotados os procedimentos administrativos necessários para que se reestabeleçam, com a maior brevidade possível, as condições de fornecimento da alimentação. Informamos ainda que, até que as atividades do Resun sejam novamente retomadas, a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Proest) está orientada pela reitoria quanto à manutenção do Apoio à Alimentação aos alunos socioeconomicamente vulneráveis", informou a nota. O comunicado oficial esclarece ainda que:
 "A administração superior já respondeu ao ofício da contratada esclarecendo quais as consequências legais desta decisão, e consultará a Procuradoria Federal quanto às providências cabíveis em face das alegações da contratada sobre a incapacidade de cumprir o contrato assinado." Apesar dos transtornos e manutenção do Resun fechado, acadêmicos disseram - ao menos desta vez - compreender a imparcialidade do problema por parte da instituição federal. Para a estudante de psicologia, Thainá Ramos, é preciso que o poder judiciário seja rígido para que este tipo de situação não volte a ocorrer.
 "As informações que estão sendo repassadas inclusive aqui dentro da universidade é que realmente a empresa foi a responsável por não reiniciar as atividades que há tempos estamos torcendo para serem regularizadas. Infelizmente a gente deu de cara com a cozinha fechada e nenhum biscoito sendo servido com café. Triste, chegamos a ficar revoltados com a UFS, mas aos poucos as informações começaram a ser repassadas pela diretoria", declarou. A perspectiva por parte da Universidade Federal de Sergipe é que até a próxima semana uma nova nota referente aos serviços do Resun seja divulgada.