Cristinápolis: suspeito de atirar em menina é morto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/08/2019 às 05:58:00

 

A Polícia Militar confir-
mou a morte do 
quinto envolvido com o grupo que invadiu uma casa e matou uma menina de oito anos, na quarta-feira passada, em Cristinápolis (Sul). De acordo com a corporação, um homem de prenome Williangelo e conhecido como "Batata" estava no povoado Cajá dos Índios, zona rural da cidade, e era apontado como principal suspeito da autoria dos dois tiros que causaram a morte da criança, que foi atacada enquanto ela dormia com a mãe. 
A operação aconteceu na madrugada de ontem, mobilizando equipes do 11º Batalhão de Polícia Militar (11º BPM) e da Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga (Ciopac). As unidades iniciaram as buscas visando cumprir um mandado de prisão. O suspeito, ao perceber a presença da polícia, tentou fugir do cerco policial, e entrou em confronto armado com os militares. Ele foi atingido e socorrido ao hospital da cidade, mas acabou morrendo logo em seguida. A ocorrência foi registrada na delegacia local.
Os outros suspeitos foram sendo presos ao longo da semana passada. Ainda na manhã da quarta-feira, horas depois do crime e durante as primeiras buscas, foram localizados José da Hora Costa Santos e Maiara Nascimento Cardoso, presos em flagrante por associação para o tráfico de drogas. Já na quinta-feira, uma operação conjunta entre as polícias Civil e Militar localizou outro envolvido. Leonardo Francisco de Aquino, que estava em Estância. Ele também entrou em confronto com os policiais, foi atingido e morreu logo em seguida.
Na tarde do mesmo dia, mais um envolvido no crime se entregou à polícia. Denisson Batista Silva, quarto membro, se entregou na delegacia da cidade. Em continuação das buscas, outro suspeito foi preso, Genivaldo dos Santos. Ele não participou do crime, mas faz parte da associação criminosa responsável pela morte da criança. A polícia apontou que o grupo investigado é envolvido com o tráfico e invadiu a casa da menina naquela noite para tentar matar o tio dela, que é usuário de drogas e tinha dívidas com a quadrilha. 

A Polícia Militar confir- mou a morte do  quinto envolvido com o grupo que invadiu uma casa e matou uma menina de oito anos, na quarta-feira passada, em Cristinápolis (Sul). De acordo com a corporação, um homem de prenome Williangelo e conhecido como "Batata" estava no povoado Cajá dos Índios, zona rural da cidade, e era apontado como principal suspeito da autoria dos dois tiros que causaram a morte da criança, que foi atacada enquanto ela dormia com a mãe. 
A operação aconteceu na madrugada de ontem, mobilizando equipes do 11º Batalhão de Polícia Militar (11º BPM) e da Companhia Independente de Operações Policiais em Área de Caatinga (Ciopac). As unidades iniciaram as buscas visando cumprir um mandado de prisão. O suspeito, ao perceber a presença da polícia, tentou fugir do cerco policial, e entrou em confronto armado com os militares. Ele foi atingido e socorrido ao hospital da cidade, mas acabou morrendo logo em seguida. A ocorrência foi registrada na delegacia local.
Os outros suspeitos foram sendo presos ao longo da semana passada. Ainda na manhã da quarta-feira, horas depois do crime e durante as primeiras buscas, foram localizados José da Hora Costa Santos e Maiara Nascimento Cardoso, presos em flagrante por associação para o tráfico de drogas. Já na quinta-feira, uma operação conjunta entre as polícias Civil e Militar localizou outro envolvido. Leonardo Francisco de Aquino, que estava em Estância. Ele também entrou em confronto com os policiais, foi atingido e morreu logo em seguida.
Na tarde do mesmo dia, mais um envolvido no crime se entregou à polícia. Denisson Batista Silva, quarto membro, se entregou na delegacia da cidade. Em continuação das buscas, outro suspeito foi preso, Genivaldo dos Santos. Ele não participou do crime, mas faz parte da associação criminosa responsável pela morte da criança. A polícia apontou que o grupo investigado é envolvido com o tráfico e invadiu a casa da menina naquela noite para tentar matar o tio dela, que é usuário de drogas e tinha dívidas com a quadrilha.