Governador apresenta potencialidades de Sergipe durante Fórum de Infraestrutura Regional

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Belivaldo Chagas discursa sobre as potencialidades de Sergipe durante a Abertura da 1ª Edição do Abdib Fórum: Infraestrutura Regional
O governador Belivaldo Chagas discursa sobre as potencialidades de Sergipe durante a Abertura da 1ª Edição do Abdib Fórum: Infraestrutura Regional

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/08/2019 às 22:53:00

 

O governador Belivaldo 
Chagas apresentou as 
potencialidades de Sergipe durante a Abertura da 1ª Edição do Abdib Fórum: Infraestrutura Regional - Edição Nordeste, nesta quinta-feira (22), na capital do Piauí, Teresina. Dentre as características destacadas por Belivaldo sobre Sergipe, a diversidade energética do estado foi ressaltada. As vocações econômicas, privilegiadas por sua localização geográfica e diversificadas por sua disponibilidade de minerais, dentre outros; a oportunidades de negócios, sobretudo no que diz respeito ao Complexo Industrial Portuário e toda a cadeia produtiva que se desenvolverá a partir da termoelétrica de Sergipe e da descoberta do gás de águas profundas, nos campos da Petrobrás; assim como a existência de uma base de conhecimento em expansão, também foram pontuadas pelo governador de Sergipe.
"Sergipe, atualmente, volta-se para a área da energia, isso se faz em função de um novo momento que o Brasil vive, que o Nordeste vive e que Sergipe vive em função do gás natural. Nós temos informações de poços que foram descobertos recentemente, novos campos de gás natural de alta qualidade na bacia de Sergipe com capacidade estimada de produção de 20 milhões de metros³/dia, o que equivale a 1/3 da produção brasileira. A Petrobrás, inclusive, já anunciou a construção de 128 Km de gasoduto para interligar a rede de gasodutos lá existentes. Também no campo energético, temos projetos em andamento de energia eólica e a maior termelétrica em construção da América latina, prevista para entrar em operação em janeiro de 2020 e  que poderá suprir 15% da demanda da energia do Nordeste, graças às suas unidade geradoras capazes de produzir 1.551 megawatts. Com relação à energia solar, nós já temos em licenciamento, e deverá ir a leilão agora no mês de setembro ou outubro, projetos para produção de energia, cuja capacidade instalada é de aproximadamente 1.200 megawatts numa área de 2,4 mil  hectares no município de Canindé de São Francisco, vizinho à Usina de Xingó. Somos também produtores de petróleo, mais recentemente com essas descobertas nas áreas profundas do pré-sal, a nossa posição está entre o 5º e o 7º produtor do Brasil", expôs Belivaldo.
O chefe do Executivo de Sergipe explicou que o Abdib Fórum é uma oportunidade de discutir a necessidade e a viabilidade de investimentos em infraestrutura para aflorar essas potencialidades que tendem a trazer mais desenvolvimento não somente para Sergipe, mas para o Nordeste e o Brasil.
"Vivemos um momento de cenário favorável à implantação de grandes empreendimentos, que irão gerar mais desenvolvimento para o nosso estado e região. Nosso governo trabalha para aproveitar essas oportunidades e construir um futuro melhor para todo nosso povo. Estamos de braços abertos para o mundo. Precisamos e queremos o desenvolvimento do Nordeste dentro desse novo momento de perspectiva de união para crescer e somar", colocou o governador de Sergipe.
Fórum - Por meio da promoção de um diálogo qualificado com importantes agentes do setor público e privado em prol de uma agenda de ações com vistas ao estímulo dos investimentos da região, o seminário tem como objetivo consolidar a visão de que a infraestrutura é vetor para o desenvolvimento sustentável.
De acordo com a Abdib, a Região Nordeste foi escolhida para a realização do 1º fórum regional por apresentar inúmeras oportunidades para investimentos em infraestrutura. As potencialidades da região para a geração de energia por fontes limpas, solar a eólica, e a localização privilegiada dos pontos e aeroportos mais próximos aos mercados americano e europeu, o que incentiva o fortalecimento da rede de transportes, com enorme potencial para atração e desenvolvimento de projetos foram destacadas.
Segundo estudo da Abdib, o Brasil investiu, em média, 1,7% do PIB na infraestrutura nos últimos três anos - e nunca investiu mais que 2,5% nos últimos 15 anos. Mas precisa investir 4,3% do PIB por dez anos seguidos para remover gargalos que dificultam o avanço da produtividade e o desenvolvimento econômico e social.
Para a Abdib, a retomada do investimento é fundamental para estimular a atividade econômica e o país voltar a crescer de forma sustentável, com aumento da produtividade.

O governador Belivaldo  Chagas apresentou as  potencialidades de Sergipe durante a Abertura da 1ª Edição do Abdib Fórum: Infraestrutura Regional - Edição Nordeste, nesta quinta-feira (22), na capital do Piauí, Teresina. Dentre as características destacadas por Belivaldo sobre Sergipe, a diversidade energética do estado foi ressaltada. As vocações econômicas, privilegiadas por sua localização geográfica e diversificadas por sua disponibilidade de minerais, dentre outros; a oportunidades de negócios, sobretudo no que diz respeito ao Complexo Industrial Portuário e toda a cadeia produtiva que se desenvolverá a partir da termoelétrica de Sergipe e da descoberta do gás de águas profundas, nos campos da Petrobrás; assim como a existência de uma base de conhecimento em expansão, também foram pontuadas pelo governador de Sergipe.
"Sergipe, atualmente, volta-se para a área da energia, isso se faz em função de um novo momento que o Brasil vive, que o Nordeste vive e que Sergipe vive em função do gás natural. Nós temos informações de poços que foram descobertos recentemente, novos campos de gás natural de alta qualidade na bacia de Sergipe com capacidade estimada de produção de 20 milhões de metros³/dia, o que equivale a 1/3 da produção brasileira. A Petrobrás, inclusive, já anunciou a construção de 128 Km de gasoduto para interligar a rede de gasodutos lá existentes. Também no campo energético, temos projetos em andamento de energia eólica e a maior termelétrica em construção da América latina, prevista para entrar em operação em janeiro de 2020 e  que poderá suprir 15% da demanda da energia do Nordeste, graças às suas unidade geradoras capazes de produzir 1.551 megawatts. Com relação à energia solar, nós já temos em licenciamento, e deverá ir a leilão agora no mês de setembro ou outubro, projetos para produção de energia, cuja capacidade instalada é de aproximadamente 1.200 megawatts numa área de 2,4 mil  hectares no município de Canindé de São Francisco, vizinho à Usina de Xingó. Somos também produtores de petróleo, mais recentemente com essas descobertas nas áreas profundas do pré-sal, a nossa posição está entre o 5º e o 7º produtor do Brasil", expôs Belivaldo.
O chefe do Executivo de Sergipe explicou que o Abdib Fórum é uma oportunidade de discutir a necessidade e a viabilidade de investimentos em infraestrutura para aflorar essas potencialidades que tendem a trazer mais desenvolvimento não somente para Sergipe, mas para o Nordeste e o Brasil.
"Vivemos um momento de cenário favorável à implantação de grandes empreendimentos, que irão gerar mais desenvolvimento para o nosso estado e região. Nosso governo trabalha para aproveitar essas oportunidades e construir um futuro melhor para todo nosso povo. Estamos de braços abertos para o mundo. Precisamos e queremos o desenvolvimento do Nordeste dentro desse novo momento de perspectiva de união para crescer e somar", colocou o governador de Sergipe.

Fórum - Por meio da promoção de um diálogo qualificado com importantes agentes do setor público e privado em prol de uma agenda de ações com vistas ao estímulo dos investimentos da região, o seminário tem como objetivo consolidar a visão de que a infraestrutura é vetor para o desenvolvimento sustentável.
De acordo com a Abdib, a Região Nordeste foi escolhida para a realização do 1º fórum regional por apresentar inúmeras oportunidades para investimentos em infraestrutura. As potencialidades da região para a geração de energia por fontes limpas, solar a eólica, e a localização privilegiada dos pontos e aeroportos mais próximos aos mercados americano e europeu, o que incentiva o fortalecimento da rede de transportes, com enorme potencial para atração e desenvolvimento de projetos foram destacadas.
Segundo estudo da Abdib, o Brasil investiu, em média, 1,7% do PIB na infraestrutura nos últimos três anos - e nunca investiu mais que 2,5% nos últimos 15 anos. Mas precisa investir 4,3% do PIB por dez anos seguidos para remover gargalos que dificultam o avanço da produtividade e o desenvolvimento econômico e social.
Para a Abdib, a retomada do investimento é fundamental para estimular a atividade econômica e o país voltar a crescer de forma sustentável, com aumento da produtividade.