Sergipe no Brasileiro Escolar de Vôlei de Praia

Esporte


  • O CE Ivo do Prado é um dos representantes sergipanos no Brasileiro Escolar de Vôlei de Praia, em João Pessoa

 

O Colégio Estadual Ivo do Prado é um dos representantes de Sergipe no Campeonato Brasileiro Escolar de Vôlei de Praia, competição promovida pela Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), é seletiva para o Mundial da modalidade, que será realizado de 3 a 10 de outubro, na cidade de San Vito Lo Capo, Itália.
Além do Ivo do Prado na categoria Sub 14 masculino, o estado conta com outros representantes na competição nacional. O Colégio Arquidiocesano é o representante masculino na categoria sub 16 e tem ainda a Seleção Sergipana, formada por alunos de várias unidades de ensino, com idade até 18 anos. O Ivo do Prado e o Arquidiocesano têm como técnico o professor Raimundo Neto. Enquanto o professor Lauro Gabriel é o treinador da seleção.
Em termos de competição, a melhor participação até o momento é da Seleção Sergipana, que venceu as duas primeiras partidas e está na briga pela classificação na Série Ouro. Na estreia, a Seleção Sergipana fez 2x0 na seleção de Goiás, parciais 21x15-21x19. Nesta quarta-feira (28) mais uma vitória, agora contra a seleção do Piauí com parciais de 21x13-21x12.
Com esses resultados, a Seleção Sergipana que é formada pelos atletas Robert Felipe (Salesiano), Rutene Michel (IDFG) e João Teles (Ivo do Prado) e tem como técnico o professor Lauro Gabriel, está classificada para as oitavas de final e continua na briga por uma vaga no Mundial na Itália.
Para o professor Raimundo Luiz Neto, técnico do CE Ivo do Prado, o Brasileiro de Vôlei de Praia é uma competição de alto nível, reúne os melhores atletas nessas categorias e o fato de classificar para um mundial, enche de experiência e expectativa, quem está na disputa.
"É uma experiência única para esses jovens atletas. Muitos deles nunca saíram de Sergipe e hoje estão aqui, disputando com os melhores jogadores de vôlei de praia escolar do Brasil. Alguns desses atletas estão migrando do vôlei de quadra e sentem certa dificuldade, quando vêm para a praia. Mas a convivência e a troca de experiência, são fatores que devem ser destacados em competições desse porte", comentou Raimundo Neto.

O Colégio Estadual Ivo do Prado é um dos representantes de Sergipe no Campeonato Brasileiro Escolar de Vôlei de Praia, competição promovida pela Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), é seletiva para o Mundial da modalidade, que será realizado de 3 a 10 de outubro, na cidade de San Vito Lo Capo, Itália.
Além do Ivo do Prado na categoria Sub 14 masculino, o estado conta com outros representantes na competição nacional. O Colégio Arquidiocesano é o representante masculino na categoria sub 16 e tem ainda a Seleção Sergipana, formada por alunos de várias unidades de ensino, com idade até 18 anos. O Ivo do Prado e o Arquidiocesano têm como técnico o professor Raimundo Neto. Enquanto o professor Lauro Gabriel é o treinador da seleção.
Em termos de competição, a melhor participação até o momento é da Seleção Sergipana, que venceu as duas primeiras partidas e está na briga pela classificação na Série Ouro. Na estreia, a Seleção Sergipana fez 2x0 na seleção de Goiás, parciais 21x15-21x19. Nesta quarta-feira (28) mais uma vitória, agora contra a seleção do Piauí com parciais de 21x13-21x12.
Com esses resultados, a Seleção Sergipana que é formada pelos atletas Robert Felipe (Salesiano), Rutene Michel (IDFG) e João Teles (Ivo do Prado) e tem como técnico o professor Lauro Gabriel, está classificada para as oitavas de final e continua na briga por uma vaga no Mundial na Itália.
Para o professor Raimundo Luiz Neto, técnico do CE Ivo do Prado, o Brasileiro de Vôlei de Praia é uma competição de alto nível, reúne os melhores atletas nessas categorias e o fato de classificar para um mundial, enche de experiência e expectativa, quem está na disputa.
"É uma experiência única para esses jovens atletas. Muitos deles nunca saíram de Sergipe e hoje estão aqui, disputando com os melhores jogadores de vôlei de praia escolar do Brasil. Alguns desses atletas estão migrando do vôlei de quadra e sentem certa dificuldade, quando vêm para a praia. Mas a convivência e a troca de experiência, são fatores que devem ser destacados em competições desse porte", comentou Raimundo Neto.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS