No 1º trimestre, consumo de energia elétrica em Sergipe recuou

Geral

 

Análise realizada pelo 
Boletim Sergipe 
Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) que tem por finalidade prestar serviços ao Ministério de Minas e Energia (MME), constatou que o consumo total de energia elétrica no estado chegou a 953,4 mil MWh (Megawatt-hora), no primeiro trimestre de 2019.
Em termos relativos, o consumo total de energia elétrica foi 2,6% menor do que o consumido no mesmo período de 2018.
Da quantidade total de energia consumida nos três primeiros meses do ano, 75,6% ou 721,1 mil MWh foi gerada pelo mercado cativo, que abrange o fornecimento de energia elétrica pelas duas distribuidoras instaladas no Estado.
O volume restante, 24,4% ou 232,3 mil MWh, foi originado do mercado livre, onde os consumidores compram o insumo diretamente dos geradores ou comercializadores.
O consumo nas residências chegou a 318,9 mil MWh, assinalando alta de 8,4% em relação aos três primeiros meses de 2018. Na indústria, o consumo totalizou 273,2 mil MWh, assinalando retração de 16,8%, no mesmo comparativo.
Para o comércio, o consumo ficou em 169,1 mil MWh, com alta de 4,3%. Os outros setores registraram consumo de 192,1 mil MWh, assinalando queda de 1,1%. Ambas as variações são em relação ao primeiro trimestre do ano passado.
Consumo de gás natural - Já o consumo de gás aumentou. Estudo  apontou que foram consumidos 242,5 mil m³/dia de gás natural em Sergipe, no mês de junho deste ano.
Em termos relativos, o consumo de gás registrou aumento de 5,3% em relação a junho de 2018. Já no comparativo com o mês imediatamente anterior, maio último, verificou-se retração de 6,2%.
O consumo de gás natural no segmento industrial compreendeu 61,9% do total do mês analisado. Em volume, o valor chegou a 150 mil m³/dia. Já em termos relativos, verificou-se alta de 20,3% em relação a junho do ano passado. Todavia, no comparativo com o último mês de maio, observou-se queda de 7,4%.
O segundo maior consumidor do gás natural no estado, o segmento veicular registrou consumo de 79,9 mil m³/dia, assinalando decréscimo de 15,6% em relação ao mesmo período de 2018. Em relação a maio deste ano, também houve queda, porém de 4,4%.
Nas residências e no comércio, o volume consumido foi de 6,6 mil e 4,2 mil m³/dia, respectivamente, no mês analisado.
Combustíveis - As vendas totais de combustíveis, no sexto mês do ano, totalizaram pouco mais de 57 milhões de litros, assinalando retração de 6,6% quando comparado com o mesmo mês de 2018. Em relação ao mês imediatamente anterior, maio último, as vendas caíram 11%.
As vendas totais de combustíveis objeto da análise englobam as vendas em litros de gasolina, etanol hidratado, óleo diesel e querosene de aviação.
No mês analisado, observou-se que foram vendidos pouco mais de 29,3 milhões de litros de gasolina. Em termos relativos, esse destilado do petróleo registrou queda de 1,3% em relação a junho de 2018. Já em relação ao mês de maio deste ano, também houve queda, de 8,5%.
No tocante ao óleo diesel, foram comercializados pouco mais de 23,2 milhões de litros. Em termos comparativos, verificou-se retração de 13,6%, em relação ao mesmo mês de 2018. Quando comparado com o mês anterior, maio deste ano, as vendas também caíram, a baixa foi de 14,2%.
Para o etanol hidratado, verificou-se elevação nas vendas de 20,7%, quando confrontado com o volume registrado no mesmo mês do ano passado. Em volume, as vendas chegaram a 2,9 milhões de litros. Em relação ao mês anterior, notou-se queda de 14,4% nas vendas.
O querosene de aviação, combustível utilizado pelas aeronaves, totalizou pouco mais de 1,5 milhão de litros em vendas, assinalando recuo de 24,8%, em relação a junho do ano passado. Porém, no confronto com o mês imediatamente anterior (maio/2019), notou-se alta de 0,3%.
Royalties - Já o pagamento de royalties ao Estado de Sergipe, referentes à extração de petróleo e gás natural do mês de junho deste ano, ficou em pouco mais de R$ 5 milhões. O valor, segundo a ANP, foi creditado neste mês.
Os royalties são uma compensação financeira devida à União pelas empresas que produzem petróleo e gás natural no território brasileiro. O pagamento é efetuado à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a qual é responsável por repassar aos Estados e municípios os recursos provenientes dos pagamentos, segundo critérios estabelecidos nas leis nº 9.4
Em termos relativos, o montante recebido pelo estado, no mês analisado, situou-se 30,8% abaixo do montante recebido em agosto do ano passado. Em relação ao mês imediatamente anterior, o último mês de julho, notou-se que o repasse foi 15% menor.
No oitavo mês do ano corrente, o pagamento dos royalties aos municípios sergipanos totalizou R$ 13,3 milhões. Entre eles, o município que auferiu a maior fatia foi Japaratuba, com R$ 859,1 mil, ou 6,4% do total.
Em seguida, figuraram os municípios de Divina Pastora e Carmópolis, auferindo R$ 844,4 mil e R$ 808,7 mil, respectivamente.
Outros municípios que se destacaram foram: Itaporanga D'Ajuda com total de repasses de R$ 786, 8 mil (5,9%), Aracaju com total de repasses de R$ 740,8 mil, Estância com R$ 729,3 mil e Siriri que recebeu R$ 697,7 mil.

Análise realizada pelo  Boletim Sergipe  Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) que tem por finalidade prestar serviços ao Ministério de Minas e Energia (MME), constatou que o consumo total de energia elétrica no estado chegou a 953,4 mil MWh (Megawatt-hora), no primeiro trimestre de 2019.
Em termos relativos, o consumo total de energia elétrica foi 2,6% menor do que o consumido no mesmo período de 2018.
Da quantidade total de energia consumida nos três primeiros meses do ano, 75,6% ou 721,1 mil MWh foi gerada pelo mercado cativo, que abrange o fornecimento de energia elétrica pelas duas distribuidoras instaladas no Estado.
O volume restante, 24,4% ou 232,3 mil MWh, foi originado do mercado livre, onde os consumidores compram o insumo diretamente dos geradores ou comercializadores.
O consumo nas residências chegou a 318,9 mil MWh, assinalando alta de 8,4% em relação aos três primeiros meses de 2018. Na indústria, o consumo totalizou 273,2 mil MWh, assinalando retração de 16,8%, no mesmo comparativo.
Para o comércio, o consumo ficou em 169,1 mil MWh, com alta de 4,3%. Os outros setores registraram consumo de 192,1 mil MWh, assinalando queda de 1,1%. Ambas as variações são em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

Consumo de gás natural - Já o consumo de gás aumentou. Estudo  apontou que foram consumidos 242,5 mil m³/dia de gás natural em Sergipe, no mês de junho deste ano.
Em termos relativos, o consumo de gás registrou aumento de 5,3% em relação a junho de 2018. Já no comparativo com o mês imediatamente anterior, maio último, verificou-se retração de 6,2%.
O consumo de gás natural no segmento industrial compreendeu 61,9% do total do mês analisado. Em volume, o valor chegou a 150 mil m³/dia. Já em termos relativos, verificou-se alta de 20,3% em relação a junho do ano passado. Todavia, no comparativo com o último mês de maio, observou-se queda de 7,4%.
O segundo maior consumidor do gás natural no estado, o segmento veicular registrou consumo de 79,9 mil m³/dia, assinalando decréscimo de 15,6% em relação ao mesmo período de 2018. Em relação a maio deste ano, também houve queda, porém de 4,4%.
Nas residências e no comércio, o volume consumido foi de 6,6 mil e 4,2 mil m³/dia, respectivamente, no mês analisado.

Combustíveis - As vendas totais de combustíveis, no sexto mês do ano, totalizaram pouco mais de 57 milhões de litros, assinalando retração de 6,6% quando comparado com o mesmo mês de 2018. Em relação ao mês imediatamente anterior, maio último, as vendas caíram 11%.
As vendas totais de combustíveis objeto da análise englobam as vendas em litros de gasolina, etanol hidratado, óleo diesel e querosene de aviação.
No mês analisado, observou-se que foram vendidos pouco mais de 29,3 milhões de litros de gasolina. Em termos relativos, esse destilado do petróleo registrou queda de 1,3% em relação a junho de 2018. Já em relação ao mês de maio deste ano, também houve queda, de 8,5%.
No tocante ao óleo diesel, foram comercializados pouco mais de 23,2 milhões de litros. Em termos comparativos, verificou-se retração de 13,6%, em relação ao mesmo mês de 2018. Quando comparado com o mês anterior, maio deste ano, as vendas também caíram, a baixa foi de 14,2%.
Para o etanol hidratado, verificou-se elevação nas vendas de 20,7%, quando confrontado com o volume registrado no mesmo mês do ano passado. Em volume, as vendas chegaram a 2,9 milhões de litros. Em relação ao mês anterior, notou-se queda de 14,4% nas vendas.
O querosene de aviação, combustível utilizado pelas aeronaves, totalizou pouco mais de 1,5 milhão de litros em vendas, assinalando recuo de 24,8%, em relação a junho do ano passado. Porém, no confronto com o mês imediatamente anterior (maio/2019), notou-se alta de 0,3%.

Royalties - Já o pagamento de royalties ao Estado de Sergipe, referentes à extração de petróleo e gás natural do mês de junho deste ano, ficou em pouco mais de R$ 5 milhões. O valor, segundo a ANP, foi creditado neste mês.
Os royalties são uma compensação financeira devida à União pelas empresas que produzem petróleo e gás natural no território brasileiro. O pagamento é efetuado à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), a qual é responsável por repassar aos Estados e municípios os recursos provenientes dos pagamentos, segundo critérios estabelecidos nas leis nº 9.4
Em termos relativos, o montante recebido pelo estado, no mês analisado, situou-se 30,8% abaixo do montante recebido em agosto do ano passado. Em relação ao mês imediatamente anterior, o último mês de julho, notou-se que o repasse foi 15% menor.
No oitavo mês do ano corrente, o pagamento dos royalties aos municípios sergipanos totalizou R$ 13,3 milhões. Entre eles, o município que auferiu a maior fatia foi Japaratuba, com R$ 859,1 mil, ou 6,4% do total.
Em seguida, figuraram os municípios de Divina Pastora e Carmópolis, auferindo R$ 844,4 mil e R$ 808,7 mil, respectivamente.
Outros municípios que se destacaram foram: Itaporanga D'Ajuda com total de repasses de R$ 786, 8 mil (5,9%), Aracaju com total de repasses de R$ 740,8 mil, Estância com R$ 729,3 mil e Siriri que recebeu R$ 697,7 mil.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS