Expectativa em Riachão

Rita Oliveira

 

Nas eleições 2016 para prefeito de Riachão 
do Dantas disputaram o pleito três can
didatos: Gerana Costa (PTdoB), Simone Andrade (PCdoB) e Nelson Araújo (PPL).
Gerana ganhou as eleições com 51,47% dos votos válidos, o correspondente a 6.755 votos. Simone perdeu com uma diferença de 387 votos, uma vez que conquistou nas urnas 6.368, o equivalente a 48,53% dos votos válidos.
Após o pleito, a prefeita eleita foi acusada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE/SE) de ter divulgado pesquisa fraudulenta que atribuía a ela um percentual de votos bem acima da realidade, mesmo a Justiça Eleitoral tendo proibido a divulgação. Para o MPE o resultado da pesquisa serviu para induzir o voto dos eleitores indecisos e, dessa forma, ela ganhar as eleições com cerca de 2% de votos a mais que a segunda candidata mais votada.
Já no início de 2018, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE) acatou a denúncia da justiça eleitoral e cassou o mandato de Gerana e do vice-prefeito Luciano Góes (PSB).  Em 29 de agosto daquele ano o pleno do TRE decidiu pela manutenção da cassa&cc edil;ão por abuso de poder econômico - nas modalidades: abuso dos meios de comunicação e fraude ao processo eleitoral - após julgamento dos embargos declaratórios impetrados pela defesa da prefeita.
Com a cassação da prefeita e do vice, em 6 de setembro de 2018 o presidente da Câmara de Vereadores, Pedro da Lagoa, assumiu como prefeito interino enquanto ela recorria junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Em 23 de maio deste ano os ministros do TSE, durante sessão plenária,  mantiveram, por unanimidade, a cassação da prefeita e do vice. Com essa decisão, o TRE marcou para 1º de setembro a data para a realização da eleição suplementar em Riachão do Dantas.
Com isso, disputam às eleições suplementares em Riachão a ex-candidata a prefeita Simone Andrade; a nora de Gerana, Manuela Costa; e o prefeito interino Pedro da Lagoa.  Durante toda a campanha, houve uma polarização entre as duas candidatas.   
Simone entrou na disputa com um sentimento de que podia resgatar uma parte do mandato que poderia ter sido seu se não houvesse a divulgação de pesquisa fraudulenta que favoreceu a prefeita cassada. E Manuela com o sentimento de que a gestão municipal deveria continuar com a sua família.
Nesse período de campanha, foram acirrados os ânimos entre os partidários das duas candidatas tanto nas redes sociais quanto nas ruas, tendo chegado ao extremo na última quinta-feira, quando a prefeita cassada se irritou por está sendo fiscalizada por pessoas vinculadas a candidata Simone, chegando a chamá-los de vagabundos e marginais e a esmurrar o carro.
Esse episódio levou a confronto físico entre partidários de Simone  Andrade e de Gerana Costa, em plena praça pública. E que resultou em BO.
Apesar dos ânimos acirrados, que as eleições nesse domingo em Riachão do Dantas ocorram em clima de tranquilidade.

Nas eleições 2016 para prefeito de Riachão  do Dantas disputaram o pleito três can didatos: Gerana Costa (PTdoB), Simone Andrade (PCdoB) e Nelson Araújo (PPL).
Gerana ganhou as eleições com 51,47% dos votos válidos, o correspondente a 6.755 votos. Simone perdeu com uma diferença de 387 votos, uma vez que conquistou nas urnas 6.368, o equivalente a 48,53% dos votos válidos.
Após o pleito, a prefeita eleita foi acusada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE/SE) de ter divulgado pesquisa fraudulenta que atribuía a ela um percentual de votos bem acima da realidade, mesmo a Justiça Eleitoral tendo proibido a divulgação. Para o MPE o resultado da pesquisa serviu para induzir o voto dos eleitores indecisos e, dessa forma, ela ganhar as eleições com cerca de 2% de votos a mais que a segunda candidata mais votada.
Já no início de 2018, o Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE/SE) acatou a denúncia da justiça eleitoral e cassou o mandato de Gerana e do vice-prefeito Luciano Góes (PSB).  Em 29 de agosto daquele ano o pleno do TRE decidiu pela manutenção da cassa&cc edil;ão por abuso de poder econômico - nas modalidades: abuso dos meios de comunicação e fraude ao processo eleitoral - após julgamento dos embargos declaratórios impetrados pela defesa da prefeita.
Com a cassação da prefeita e do vice, em 6 de setembro de 2018 o presidente da Câmara de Vereadores, Pedro da Lagoa, assumiu como prefeito interino enquanto ela recorria junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Em 23 de maio deste ano os ministros do TSE, durante sessão plenária,  mantiveram, por unanimidade, a cassação da prefeita e do vice. Com essa decisão, o TRE marcou para 1º de setembro a data para a realização da eleição suplementar em Riachão do Dantas.
Com isso, disputam às eleições suplementares em Riachão a ex-candidata a prefeita Simone Andrade; a nora de Gerana, Manuela Costa; e o prefeito interino Pedro da Lagoa.  Durante toda a campanha, houve uma polarização entre as duas candidatas.   
Simone entrou na disputa com um sentimento de que podia resgatar uma parte do mandato que poderia ter sido seu se não houvesse a divulgação de pesquisa fraudulenta que favoreceu a prefeita cassada. E Manuela com o sentimento de que a gestão municipal deveria continuar com a sua família.
Nesse período de campanha, foram acirrados os ânimos entre os partidários das duas candidatas tanto nas redes sociais quanto nas ruas, tendo chegado ao extremo na última quinta-feira, quando a prefeita cassada se irritou por está sendo fiscalizada por pessoas vinculadas a candidata Simone, chegando a chamá-los de vagabundos e marginais e a esmurrar o carro.
Esse episódio levou a confronto físico entre partidários de Simone  Andrade e de Gerana Costa, em plena praça pública. E que resultou em BO.
Apesar dos ânimos acirrados, que as eleições nesse domingo em Riachão do Dantas ocorram em clima de tranquilidade.

Eleição em Riachão 1

Cerca de 16 mil eleitores estão aptos a votar na eleição suplementar de Riachão do Dantas, que ocorre nesse domingo. Nas eleições 2016, foram às urnas 14.204. Anularam o voto 867 eleitores e votaram branco 214 eleitores. 

Eleição em Riachão 2

Várias lideranças políticas do estado se engajaram no pleito. Foram até o município fazer campanha para Simone Andrade (PCdoB) o governador Belivaldo Chagas (PSD), o ex-governador Jackson Barreto (MDB), o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB-Aracaju), o prefeito Diógenes Almeida (MDB-Tobias Barreto), o senador Rogério Carvalho (PT), o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) e a deputada estadual Diná Almeida (Podemos).

Eleição em Riachão 3

De liderança estadual esteve engajada na campanha de Manuela Costa o deputado federal Fábio Reis (MDB). Já o candidato Pedro da Lagoa (PT), que não contou nem com o apoio do seu partido, fez uma campanha tímida apenas pelas redes sociais. Teve o apoio dos vereadores Genaro de Bodo (PSB) e Ninito do Curralinho (PTC).

Eleição em Riachão 4

Rogério Carvalho chegou a participar de um comício de Simone Andrade no povoado Barro Preto. Já o vereador suplente de Pedro da Lagoa, Sivaldo do Barro Preto (PT), participou de toda a campanha da candidata do PCdoB e não do seu partido.

Local de votação

Os candidatos a prefeito de Riachão do Dantas vão votar nesse domingo nos seguintes locais de votação: Pedro da Lagoa (Escola Municipal Maximiniano José dos Santos, no Povoado Lagoa, às 8h, na seção 160); Simone Andrade (Escola Marieta Silveira Fontes, às 9h30, na seção 68; e Manuela Costa (Escola Lourival Fontes, às 10h, na seção 66).

Fiscalização

O Ministério Público Eleitoral (MPE/SE) vai fiscalizar as eleições em Riachão do Dantas. "Estamos acompanhado todas as fases desse novo processo eleitoral e no dia da votação, estaremos atentos para que não haja irregularidades", explica a procuradora regional eleitoral, Eunice Dantas.

Segurança

As polícias Militar e Civil já estão em Riachão do Dantas desde ontem, visando garantir a preservação da ordem pública durante o pleito eleitoral. São 200 policiais militares, com a Polícia Civil tendo transferido o plantão de Maruim para Riachão.

Em prisão domiciliar 

Preso desde 19 de junho deste ano por irregularidades na aplicação das verbas de subvenção da Assembleia Legislativa, o ex-deputado Augusto Bezerra (DEM) conquistou ontem o direito de deixar o Presídio Militar de Aracaju e ficar em prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica. Foi o desembargador Roberto Porto, que tinha determinado a sua prisão, quem decidiu transformá-la em prisão domiciliar. 

Quadro crítico de saúde

O desembargador acatou o pedido de prisão domiciliar após parecer de uma junta médica. A defesa do ex-parlamentar apresentou vários atestados médicos mostrando que ele tinha emagrecido 20 quilos desde que foi preso, apresentava quadro depressivo, de hipertensão e diabetes. 

Restrições

Augusto Bezerra foi condenado a mais de 12 anos de prisão junto com o ex-deputado Paulinho da Varzinhas, que já cumpre prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica, em razão do seu problema de saúde. Como Paulinho, só poderá deixar sua residência mediante liberação judicial para ida a médico ou fazer exames.

Reunião com ministro 1

Ontem, no Palácio de Despachos, o ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, general Luiz Eduardo Ramos, discutiu com o governador Belivaldo Chagas (PSD) e prefeitos de Sergipe potenciais investimentos no Estado dentro do programa "Pacto+Brasil". Na oportunidade, Belivaldo apresentou os projetos da gestão estadual que precisam da liberação de recursos federais, e os prefeitos entregaram uma lista com as demandas das cidades sergipanas.

Reunião com ministro 2

O ministro participou de três reuniões. A primeira com o governador em seu gabinete, a segunda com os secretários de Estado e a bancada federal na Sala de Reuniões e a terceira com os prefeitos, no auditório do Palácio de Despachos. Ressaltou que a intenção do governo federal é realizar investimentos nos Estados focados na melhoria da prestação dos serviços ao cidadão, considerando as peculiaridades e necessidades de cada região.  Disse ainda que estava visitando os estados do Nordeste para ver suas demandas e buscar saídas conjuntamente.

Ponto de vista

À imprensa o ministro Luiz Eduardo avaliou como "justos e pertinentes" os pleitos de Sergipe. Disse que já nesse domingo estará apresentando ao presidente Jair Bolsonaro, durante viagem que farão.

Satisfação 1

"Fiquei muito satisfeito com a maneira tranquila com que o ministro esteve aqui, porque o que importa é que os brasileiros sejam atendidos, os sergipanos e nordestinos sejam atendidos. Sempre fiz questão de repetir: já desci do palanque. Temos um presidente da República, Sergipe tem um governador e essa união de esforços entre Governo Federal, Governo Estadual e municípios, isso só vai ser bom para população sergipana e brasileira", afirmou o governador Belivaldo Chagas.

Satisfação 2

Para o prefeito Edvaldo Nogueira, o encontro com o ministro foi uma excelente oportunidade para discutir a situação dos municípios e do Estado. O gestor municipal defendeu que a União apresse as discussões sobre a reformulação do Pacto Federativo, que, segundo ele, é essencial para que as cidades possam crescer e se desenvolver.

Bancada presente

Também participaram da reunião com o ministro de Bolsonaro o senador Alessandro Vieira (Cidadania), os deputados federais Fábio Reis (MDB), Laércio Oliveira (PP), Bosco Costa (PR), os deputados estaduais Luciano Bispo (MDB), Capitão Samuel (PSC), Diná Almeida (Podemos) e Zezinho Sobral (Podemos).

Veja essa ...

A Delegacia de Riachão do Dantas ficou pequena ontem à tarde. É que a polícia cumpriu mandado de busca e apreensão em residências de vereadores e lideranças comunitárias vinculadas a Manuela Costa, a pedido do advogado de Simone Andrade, e levou alguns para a delegacia para interrogatório. Entre os que estavam sendo interrogados pela acusação de compra de voto Felipe Costa e Flávio Costa, marido e irmão de Manuela respectivamente, e o vereador Zé Cosme. 

Curtas

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) conseguiu as 27 assinaturas necessárias para apresentar um terceiro requerimento propondo a instalação da CPI Lava Toga, desta vez para apurar abusos cometidos pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. 

Além do próprio Alessandro, a senadora Maria do Carmo Alves (DEM) assinou o pedido de CPI. O senador Rogério Carvalho (PT) se recusou a assinar. 

"É hora de provar que ninguém está acima da lei! A responsabilidade é direta: Davi Alcolumbre (DEM), honre a sua posição e instale a CPI", avalia Alessandro Vieira.

O ex-governador Jackson Barreto (MDB) retorna de viagem a Europa neste final de semana. Segundo um amigo, era para ele ter voltado antes, mas resolveu prorrogar tão logo ficou sabendo da cassação do mandato do governador Belivaldo Chagas pelo TRE/SE. 

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS