Engenheiros da Defesa Civil Estadual e Nacional vistoriam locais que poderão receber recursos federais

Geral


  • Técnicos da Defesa Civil vistoriam casas que desabaram em Japaratuba

  • TÉCNICOS DA DEFESA CIVIL E DA UNIÃO FIZERAM INSPEÇÃO EM SANTA ROSA DE LIMA

 

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil da secretaria de Estado da Inclusão Social (Depec/Seit) recebeu o analista de infraestrutura da secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), Gunter Assis Moraes, para reuniões e vistorias técnicas realizadas ao longo desta semana, aos municípios de Riachuelo, Santa Rosa de Lima e Japaratuba - que tiveram situação de emergência decretada, homologada pelo Estado e reconhecida pelo Governo Federal, em decorrência das chuvas de julho. As visitas tiveram a finalidade de avaliar consequências e soluções, a partir da possibilidade de liberação de recursos federais.
 O diretor da Defesa Civil Estadual, cel. Alexandre José, conta que o técnico da Defesa Civil Nacional veio a Sergipe para verificar in loco a situação dos desastres nos municípios e avaliar se os recursos emergenciais solicitados serão suficientes para a execução. "Nós solicitamos recursos para restabelecimento das pontes em Riachuelo e Santa Rosa de Lima, que ficam em rodovias estaduais. Assim, a visita teve a principal importância de delimitar um projeto eficaz para essas pontes. Aproveitamos a presença do técnico para fazer ainda uma visita à Japaratuba, para tentarmos vislumbrar uma solução de restabelecimento da área comprometida pelas chuvas do mês de julho na cidade", afirmou.
Representando a secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, o analista de infraestrutura da área de restabelecimento, Gunter Assis Moraes, afirmou que, após as visitas, serão emitidos relatórios sobre as situações locais. "Nosso papel aqui hoje, em Sergipe, é tentar entender melhor a situação, verificar in loco as informações repassadas pelo Estado ao poder público e ao Governo Federal e dar sugestões de soluções bem aplicadas, para mitigar ao máximo o sofrimento da população e fazer o melhor uso possível do recurso público. A coordenação do Departamento de Obras de Encostas da Defesa Civil Nacional vem orientando os entes federativos a tentar solucionar os problemas decorrentes dos desastres da melhor forma possível, tentando aplicar os recursos com maior eficiência", explicou Gunter.
Santa Rosa de Lima - O principal motivo da visita do técnico nacional foi a vistoria do desastre ocorrido em Santa Rosa de Lima, que destruiu completamente a cabeceira da ponte do município, localizada na rodovia estadual SE-240. O gerente de engenharia da Defesa Civil Estadual, sargento Moacir Sena, destacou que já foi solicitado recurso no valor de, aproximadamente, R$ 700 mil para restabelecimento da ponte. "Será necessário reconstruir e restabelecer toda a cabeceira da ponte, como também parte do asfalto. Gunter é o analista responsável pelo processo de solicitação dos recursos federais e, por isso, ele veio averiguar de perto o desastre ocorrido para avaliar se o montante solicitado será suficiente ou se será necessário algum incremento para que a ponte seja restabelecida melhor do que era antes. Após a visita, ficamos no aguardo do parecer técnico da Secretaria Nacional sobre o montante a ser liberado", explicou Sena.

O Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil da secretaria de Estado da Inclusão Social (Depec/Seit) recebeu o analista de infraestrutura da secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), Gunter Assis Moraes, para reuniões e vistorias técnicas realizadas ao longo desta semana, aos municípios de Riachuelo, Santa Rosa de Lima e Japaratuba - que tiveram situação de emergência decretada, homologada pelo Estado e reconhecida pelo Governo Federal, em decorrência das chuvas de julho. As visitas tiveram a finalidade de avaliar consequências e soluções, a partir da possibilidade de liberação de recursos federais.
 O diretor da Defesa Civil Estadual, cel. Alexandre José, conta que o técnico da Defesa Civil Nacional veio a Sergipe para verificar in loco a situação dos desastres nos municípios e avaliar se os recursos emergenciais solicitados serão suficientes para a execução. "Nós solicitamos recursos para restabelecimento das pontes em Riachuelo e Santa Rosa de Lima, que ficam em rodovias estaduais. Assim, a visita teve a principal importância de delimitar um projeto eficaz para essas pontes. Aproveitamos a presença do técnico para fazer ainda uma visita à Japaratuba, para tentarmos vislumbrar uma solução de restabelecimento da área comprometida pelas chuvas do mês de julho na cidade", afirmou.
Representando a secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, o analista de infraestrutura da área de restabelecimento, Gunter Assis Moraes, afirmou que, após as visitas, serão emitidos relatórios sobre as situações locais. "Nosso papel aqui hoje, em Sergipe, é tentar entender melhor a situação, verificar in loco as informações repassadas pelo Estado ao poder público e ao Governo Federal e dar sugestões de soluções bem aplicadas, para mitigar ao máximo o sofrimento da população e fazer o melhor uso possível do recurso público. A coordenação do Departamento de Obras de Encostas da Defesa Civil Nacional vem orientando os entes federativos a tentar solucionar os problemas decorrentes dos desastres da melhor forma possível, tentando aplicar os recursos com maior eficiência", explicou Gunter.

Santa Rosa de Lima - O principal motivo da visita do técnico nacional foi a vistoria do desastre ocorrido em Santa Rosa de Lima, que destruiu completamente a cabeceira da ponte do município, localizada na rodovia estadual SE-240. O gerente de engenharia da Defesa Civil Estadual, sargento Moacir Sena, destacou que já foi solicitado recurso no valor de, aproximadamente, R$ 700 mil para restabelecimento da ponte. "Será necessário reconstruir e restabelecer toda a cabeceira da ponte, como também parte do asfalto. Gunter é o analista responsável pelo processo de solicitação dos recursos federais e, por isso, ele veio averiguar de perto o desastre ocorrido para avaliar se o montante solicitado será suficiente ou se será necessário algum incremento para que a ponte seja restabelecida melhor do que era antes. Após a visita, ficamos no aguardo do parecer técnico da Secretaria Nacional sobre o montante a ser liberado", explicou Sena.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS