Morre Gilberto Lima, marcador da Quadrilha Junina Maracangaia

Geral


 

Com 16 anos à frente da Quadrilha Junina Maracangaia, o marcador Gilberto Lima Barreto, 65, faleceu na manhã de ontem, em Aracaju, deixando um legado cultural imenso, por se tornar o mais antigo puxador de quadrilha em evidência, embora há três anos lutava contra a diabetes e complicações no estado de saúde.
Gilberto Lima foi o responsável por tornar a Quadrilha Maracangaia uma das mais famosas e requisitadas do Brasil, mantendo o estilo de dança tradicional, com passos e marcações originais. A quadrilha foi fundada em 19 de março de 1983, no bairro Grageru.
Foi também pelas mãos dele que o grupo conquistou cinco dos sete títulos existentes no Centro de Criatividade (Arraial Arranca Unha), o Campeonato Brasileiro de Quadrilhas Juninas, organizado pela Rede Globo de Televisão, em 2004, em Natal (RN).
Também em 1995, a Maracangaia já havia se sagrado vice-campeã brasileira, na cidade de Cabo (PE). Outras conquistas renomaram o grupo como os campeonatos da Rua São João, Agamenon Magalhães, Veneza, Santa Maria, Paulo Afonso (BA) e Gonzagão.   
Na Maracangaia, Gilberto foi o responsável pela introdução de músicas regionais que se tornaram hino do grupo na voz do também forrozeiro Coelho dos 8 Baixo (in memmorian), como "Rosinha vai com João", "Pegue aqui na minha mão", "Maracangaia espalha brasa no terreiro", dentre outras canções consagradas.
 "Estamos nos despedindo do maior marcador de quadrilhas Juninas de Sergipe, um homem que soube fazer de sua marcação, de sua responsabilidade cultural, uma escola para os que conviveram com ele e até quem não dançou conosco. A Maracangaia está de luto. Perdemos um ícone da cultura junina e um amigo, sobretudo", diz o jornalista Elton Coelho que foi presidente da quadrilha na década de 1980/90, seguido por Dilson Luiz, Adailton Freitas e outros componentes.
Velório e Sepultamento - Até mesmo seus filhos - Thays, Márcio, Thaísa, Mário e Márcia - foram componentes da quadrilha, tamanha era a dedicação e envolvimento de Gilberto com a dança junina.
Segundo a família do marcador, o corpo de Gilberto Lima estará sendo velado, no Osaf, rua Itaporanga e o  sepultamento deve ocorrer hoje pela manhã, às 9h, no cemitério São João Batista.

Com 16 anos à frente da Quadrilha Junina Maracangaia, o marcador Gilberto Lima Barreto, 65, faleceu na manhã de ontem, em Aracaju, deixando um legado cultural imenso, por se tornar o mais antigo puxador de quadrilha em evidência, embora há três anos lutava contra a diabetes e complicações no estado de saúde.
Gilberto Lima foi o responsável por tornar a Quadrilha Maracangaia uma das mais famosas e requisitadas do Brasil, mantendo o estilo de dança tradicional, com passos e marcações originais. A quadrilha foi fundada em 19 de março de 1983, no bairro Grageru.
Foi também pelas mãos dele que o grupo conquistou cinco dos sete títulos existentes no Centro de Criatividade (Arraial Arranca Unha), o Campeonato Brasileiro de Quadrilhas Juninas, organizado pela Rede Globo de Televisão, em 2004, em Natal (RN).
Também em 1995, a Maracangaia já havia se sagrado vice-campeã brasileira, na cidade de Cabo (PE). Outras conquistas renomaram o grupo como os campeonatos da Rua São João, Agamenon Magalhães, Veneza, Santa Maria, Paulo Afonso (BA) e Gonzagão.   
Na Maracangaia, Gilberto foi o responsável pela introdução de músicas regionais que se tornaram hino do grupo na voz do também forrozeiro Coelho dos 8 Baixo (in memmorian), como "Rosinha vai com João", "Pegue aqui na minha mão", "Maracangaia espalha brasa no terreiro", dentre outras canções consagradas.
 "Estamos nos despedindo do maior marcador de quadrilhas Juninas de Sergipe, um homem que soube fazer de sua marcação, de sua responsabilidade cultural, uma escola para os que conviveram com ele e até quem não dançou conosco. A Maracangaia está de luto. Perdemos um ícone da cultura junina e um amigo, sobretudo", diz o jornalista Elton Coelho que foi presidente da quadrilha na década de 1980/90, seguido por Dilson Luiz, Adailton Freitas e outros componentes.

Velório e Sepultamento - Até mesmo seus filhos - Thays, Márcio, Thaísa, Mário e Márcia - foram componentes da quadrilha, tamanha era a dedicação e envolvimento de Gilberto com a dança junina.
Segundo a família do marcador, o corpo de Gilberto Lima estará sendo velado, no Osaf, rua Itaporanga e o  sepultamento deve ocorrer hoje pela manhã, às 9h, no cemitério São João Batista.

 


COMPARTILHAR NAS REDES SOCIAIS