Polícia investiga ameaças contra estudantes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/09/2019 às 08:01:00

 

Peritos do Departamento de Crimes Cibernéticos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), estão investigando de onde partiram as mensagens compartilhadas em grupos de alunos do Instituto Dom Fernando Gomes, ameaçando atentado na manhã de ontem. O conteúdo criminoso começou a ser divulgado no início da tarde do último domingo, 08, quando pais e alunos começaram a buscar a direção da unidade a fim de denunciar o conteúdo. Por precaução, duas viaturas da Polícia Militar foram posicionadas na entrada principal da instituição educacional. Agentes, em outras unidades móveis, realizaram monitoramento nas imediações.
Em um dos áudios a voz masculina com possível identidade não revelada pelo setor de inteligência da Polícia Civil, informava que haveria invasão em uma das salas de aula e que seriam realizados disparos com arma de fogo. Um dos conteúdos compartilhados informava que: "vai ser 'bou, bou, bou' e não quero saber de nada não. Quando eu der a primeira bicuda na porta vai ser 'pá' em todo mundo. Amanhã eu tô aí, [palavrão], e quem ficar com gracinha comigo no passado vai pagar agora. Vai ser bala em todo mundo." A direção da unidade optou por não se manifestar oficialmente sobre o episódio, mas garantiu que está tentando ajudar dentro do possível aos investigadores.
No que se refere a linha de apuração, estudantes chegaram a cogitar a possibilidade de o responsável pelo áudio ser um ex-aluno revoltado com possíveis brincadeiras sofridas pelos colegas. A instituição também não se pronunciou sobre esse cenário. A Polícia Civil informou que não descarta a possibilidade, mas o processo de investigação segue em sigilo e apenas voltará a se pronunciar sobre o assunto quando a corporação possuir fatos reais, de interesse público, e que não prejudiquem o encaminhamento das investigações. O reforço policial nos arredores do colégio deve permanecer por tempo indeterminado.
O Governo do Estado de Sergipe, por meio da Secretaria de Segurança Pública pede que, caso algum popular possua informações sobre a identidade e o possível paradeiro dos suspeitos, entrem em contato com Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), 190, e os denunciem. A SSP garante sigilo absoluto sobre a origem das denúncias. (Milton Alves Júnior)

Peritos do Departamento de Crimes Cibernéticos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE), estão investigando de onde partiram as mensagens compartilhadas em grupos de alunos do Instituto Dom Fernando Gomes, ameaçando atentado na manhã de ontem. O conteúdo criminoso começou a ser divulgado no início da tarde do último domingo, 08, quando pais e alunos começaram a buscar a direção da unidade a fim de denunciar o conteúdo. Por precaução, duas viaturas da Polícia Militar foram posicionadas na entrada principal da instituição educacional. Agentes, em outras unidades móveis, realizaram monitoramento nas imediações.
Em um dos áudios a voz masculina com possível identidade não revelada pelo setor de inteligência da Polícia Civil, informava que haveria invasão em uma das salas de aula e que seriam realizados disparos com arma de fogo. Um dos conteúdos compartilhados informava que: "vai ser 'bou, bou, bou' e não quero saber de nada não. Quando eu der a primeira bicuda na porta vai ser 'pá' em todo mundo. Amanhã eu tô aí, [palavrão], e quem ficar com gracinha comigo no passado vai pagar agora. Vai ser bala em todo mundo." A direção da unidade optou por não se manifestar oficialmente sobre o episódio, mas garantiu que está tentando ajudar dentro do possível aos investigadores.
No que se refere a linha de apuração, estudantes chegaram a cogitar a possibilidade de o responsável pelo áudio ser um ex-aluno revoltado com possíveis brincadeiras sofridas pelos colegas. A instituição também não se pronunciou sobre esse cenário. A Polícia Civil informou que não descarta a possibilidade, mas o processo de investigação segue em sigilo e apenas voltará a se pronunciar sobre o assunto quando a corporação possuir fatos reais, de interesse público, e que não prejudiquem o encaminhamento das investigações. O reforço policial nos arredores do colégio deve permanecer por tempo indeterminado.
O Governo do Estado de Sergipe, por meio da Secretaria de Segurança Pública pede que, caso algum popular possua informações sobre a identidade e o possível paradeiro dos suspeitos, entrem em contato com Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), 190, e os denunciem. A SSP garante sigilo absoluto sobre a origem das denúncias. (Milton Alves Júnior)