Arrastão a torcedores termina com 54 detidos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A festa acabou com 54 pessoas detidas
A festa acabou com 54 pessoas detidas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/09/2019 às 08:10:00

 

Gabriel Damásio
A festa dos torcedo
res do Confiança 
pelo acesso do time à Série B do Campeonato Brasileiro, entre a tarde e a noite deste domingo, rendeu também alguns transtornos para a Polícia Militar. Quatro adultos e cerca de 50 adolescentes, incluindo muitos que vestiam camisas de torcidas organizadas do clube azulino, foram detidos depois de começarem a fazer um arrastão na Orla da Atalaia (zona sul de Aracaju), onde aconteceu o desfile de um trio elétrico com os jogadores do clube e duas bandas musicais. 
Os vândalos foram contidos por soldados do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), que fizeram o policiamento da região. Os suspeitos detidos foram apreendidos com facas, pedaços de pau, soqueiras, drogas e até um revólver calibre 38 com uma munição, que estava com quatro garotas. Testemunhas e vítimas procuraram a polícia se queixando que os suspeitos tentaram levar carteiras, celulares e outros pertences. 
Segundo o tenente-coronel Eduardo Brandão, comandante do BPTur, parte dos presos estavam na avenida para assaltar torcedores que foram comemorar a conquista azulina. "Alguns pseudo-torcedores foram até a festa do time para furtar, bagunçar e brigar. Aconteceu uma tentativa de arrastão na altura da Cinelândia, onde esses pseudo-torcedores tentaram furtar as pessoas que estavam lá. Aproveitavam-se do anonimato e da quantidade de gente para roubar as pessoas que estavam passeando pelo local. As guarnições do batalhão foram até lá, fizeram a dispersão do tumulto e a contenção desses indivíduos para verificar o que eles fizeram", explicou. 
Vídeos gravados nas redes sociais mostram o momento em que torcedores correm pela Orla ao som de tiros. O comandante do BPTur explicou que o momento registrado nas gravações foi o da dispersão dos torcedores pela polícia, com uso de tiros de balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo, usados para abortar a tentativa de arrastão. Ele ainda negou ter havido brigas entre torcedores, mas admitiu que havia um risco de confronto, por causa da presença de duas torcidas organizadas que, apesar de torcerem para o mesmo time, são rivais e já protagonizaram brigas e trocas de provocações. "Só tinha torcedores do Confiança, mas, infelizmente, esses pseudo-torcedores conseguem brigar entre si até dentro da própria torcida organizada. A gente observa isso direto no Batistão, coisa de quem não tem o que fazer", critica o coronel.
Ainda de acordo com o comandante, a PM não tinha sido informada formalmente sobre a festa de recepção do Confiança dentro do prazo regulamentar de 30 dias, mas conseguiu preparar um esquema de policiamento uma semana antes, a partir de informações apuradas pelo Serviço Reservado (PM-2) e da expectativa criança na cidade em torno do jogo de sábado e da classificação conquistada pela equipe sergipana.  Brandão destacou que toda a área da Orla foi abrangida pelo policiamento preventivo, mesmo com o efetivo de serviço do BPTur e com o apoio de algumas unidades especializadas que foram para a região.
Toda a área foi dispersada por volta das 22h, quando a festa acabou. Os torcedores que foram detidos pela PM foram levados para a sede do BPTur e liberados depois de assinarem termos circunstanciados. Quatro suspeitos foram levados para a Central de Flagrantes, no Santos Dumont (zona norte). Todos foram autuados e devem responder por crimes como porte ilegal de arma, roubo e desordem. 

Gabriel Damásio

A festa dos torcedo res do Confiança  pelo acesso do time à Série B do Campeonato Brasileiro, entre a tarde e a noite deste domingo, rendeu também alguns transtornos para a Polícia Militar. Quatro adultos e cerca de 50 adolescentes, incluindo muitos que vestiam camisas de torcidas organizadas do clube azulino, foram detidos depois de começarem a fazer um arrastão na Orla da Atalaia (zona sul de Aracaju), onde aconteceu o desfile de um trio elétrico com os jogadores do clube e duas bandas musicais. 
Os vândalos foram contidos por soldados do Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), que fizeram o policiamento da região. Os suspeitos detidos foram apreendidos com facas, pedaços de pau, soqueiras, drogas e até um revólver calibre 38 com uma munição, que estava com quatro garotas. Testemunhas e vítimas procuraram a polícia se queixando que os suspeitos tentaram levar carteiras, celulares e outros pertences. 
Segundo o tenente-coronel Eduardo Brandão, comandante do BPTur, parte dos presos estavam na avenida para assaltar torcedores que foram comemorar a conquista azulina. "Alguns pseudo-torcedores foram até a festa do time para furtar, bagunçar e brigar. Aconteceu uma tentativa de arrastão na altura da Cinelândia, onde esses pseudo-torcedores tentaram furtar as pessoas que estavam lá. Aproveitavam-se do anonimato e da quantidade de gente para roubar as pessoas que estavam passeando pelo local. As guarnições do batalhão foram até lá, fizeram a dispersão do tumulto e a contenção desses indivíduos para verificar o que eles fizeram", explicou. 
Vídeos gravados nas redes sociais mostram o momento em que torcedores correm pela Orla ao som de tiros. O comandante do BPTur explicou que o momento registrado nas gravações foi o da dispersão dos torcedores pela polícia, com uso de tiros de balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo, usados para abortar a tentativa de arrastão. Ele ainda negou ter havido brigas entre torcedores, mas admitiu que havia um risco de confronto, por causa da presença de duas torcidas organizadas que, apesar de torcerem para o mesmo time, são rivais e já protagonizaram brigas e trocas de provocações. "Só tinha torcedores do Confiança, mas, infelizmente, esses pseudo-torcedores conseguem brigar entre si até dentro da própria torcida organizada. A gente observa isso direto no Batistão, coisa de quem não tem o que fazer", critica o coronel.
Ainda de acordo com o comandante, a PM não tinha sido informada formalmente sobre a festa de recepção do Confiança dentro do prazo regulamentar de 30 dias, mas conseguiu preparar um esquema de policiamento uma semana antes, a partir de informações apuradas pelo Serviço Reservado (PM-2) e da expectativa criança na cidade em torno do jogo de sábado e da classificação conquistada pela equipe sergipana.  Brandão destacou que toda a área da Orla foi abrangida pelo policiamento preventivo, mesmo com o efetivo de serviço do BPTur e com o apoio de algumas unidades especializadas que foram para a região.
Toda a área foi dispersada por volta das 22h, quando a festa acabou. Os torcedores que foram detidos pela PM foram levados para a sede do BPTur e liberados depois de assinarem termos circunstanciados. Quatro suspeitos foram levados para a Central de Flagrantes, no Santos Dumont (zona norte). Todos foram autuados e devem responder por crimes como porte ilegal de arma, roubo e desordem.