Polícia identifica cinco envolvidos com morte de vigilante

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/09/2019 às 09:23:00

 

Gabriel Damásio
Cinco suspeitos foram 
identificados como 
envolvidos diretos no assassinato do vigilante Mário Sérgio Barboza Santos, encontrado morto em 4 de setembro, dentro de uma escola municipal em Capela (Vale do Cotinguiba). A informação foi confirmada ontem pela Polícia Civil, que divulgou a identidade de dois deles: os ex-presidiários Ivo Cláudio Santos de Jesus, 19 anos, que está foragido; e Emanuel Messias dos Santos França, o 'Neu', 20, que morreu em confronto com policiais da Delegacia de Capela, no final da tarde desta terça-feira.
De acordo com o delegado Wanderson Bastos, responsável pelo caso, os dois suspeitos eram integrantes de uma quadrilha de traficantes que já foi desbaratada na cidade, e foram identificados a partir de outro confronto armado travado por eles em 30 de agosto, com policiais militares que trabalham na nas cidades de Capela e Siriri. "Nós obtivemos um mandado de prisão para esses dois infratores, em face da tentativa de homicídio qualificado contra aos policiais, e quando fomos cumprir esse mandado contra o 'Neu', ele novamente atitou contra a equipe e tivemos que reagir", disse ele. Emanuel chegou a dar entrada no hospital de Capela, onde morreu. Ele estava armado com um revólver calibre 38, que foi apreendido.
O delegado disse ainda que tanto 'Neu' quanto Ivo e os outros três suspeitos, participaram da invasão à escola, que aconteceu durante a madrugada e chocou a população pela violência empregada contra a vítima. De acordo com Wanderson, o crime foi uma vingança do grupo de traficantes. "O entendimento dele é que vigilantes e demais pessoas da cidade estão colaborando com a polícia. Por isso, eles mataram o Mário Sérgio a facadas e deceparam-lhe a mão direita, significando que quem aponta o dedo para os criminosos deveria morrer. E estamos aguardando o laudo cadavérico para confirmar, mas evidências indicam que eles arrancaram a língua do vigilante. Eles queriam passar uma espécie de recado duro aos que colaboram com a polícia" explicou.
Os nomes dos outros três suspeitos foram mantidos em sigilo, mas Wanderson admitiu que dois deles também são ex-presidiários. A polícia confirmou ainda que o grupo foi o autor de um arrombamento acontecido na casa do vigilante, que foi invadida e furtada no dia seguinte ao crime e na mesma madrugada em que o corpo de Mário Sérgio era velado em outro local. "A investigação está em sua fase de conclusão, mas espero que esses criminosos tenham entendido a ação da polícia e percebido que atentar contra a vida de pessoas que colaboram com a polícia pode custar muito caro. O papel da polícia é prender. Se o infrator se entregar, ele vai ficar preso e responder nos termos da lei. Mas se ele empunhar a arma pro policial e não se entregar, vai pro cemitério, porque nenhum policial voltará morto pra casa", avisou Wanderson".  

Gabriel Damásio

Cinco suspeitos foram  identificados como  envolvidos diretos no assassinato do vigilante Mário Sérgio Barboza Santos, encontrado morto em 4 de setembro, dentro de uma escola municipal em Capela (Vale do Cotinguiba). A informação foi confirmada ontem pela Polícia Civil, que divulgou a identidade de dois deles: os ex-presidiários Ivo Cláudio Santos de Jesus, 19 anos, que está foragido; e Emanuel Messias dos Santos França, o 'Neu', 20, que morreu em confronto com policiais da Delegacia de Capela, no final da tarde desta terça-feira.
De acordo com o delegado Wanderson Bastos, responsável pelo caso, os dois suspeitos eram integrantes de uma quadrilha de traficantes que já foi desbaratada na cidade, e foram identificados a partir de outro confronto armado travado por eles em 30 de agosto, com policiais militares que trabalham na nas cidades de Capela e Siriri. "Nós obtivemos um mandado de prisão para esses dois infratores, em face da tentativa de homicídio qualificado contra aos policiais, e quando fomos cumprir esse mandado contra o 'Neu', ele novamente atitou contra a equipe e tivemos que reagir", disse ele. Emanuel chegou a dar entrada no hospital de Capela, onde morreu. Ele estava armado com um revólver calibre 38, que foi apreendido.
O delegado disse ainda que tanto 'Neu' quanto Ivo e os outros três suspeitos, participaram da invasão à escola, que aconteceu durante a madrugada e chocou a população pela violência empregada contra a vítima. De acordo com Wanderson, o crime foi uma vingança do grupo de traficantes. "O entendimento dele é que vigilantes e demais pessoas da cidade estão colaborando com a polícia. Por isso, eles mataram o Mário Sérgio a facadas e deceparam-lhe a mão direita, significando que quem aponta o dedo para os criminosos deveria morrer. E estamos aguardando o laudo cadavérico para confirmar, mas evidências indicam que eles arrancaram a língua do vigilante. Eles queriam passar uma espécie de recado duro aos que colaboram com a polícia" explicou.
Os nomes dos outros três suspeitos foram mantidos em sigilo, mas Wanderson admitiu que dois deles também são ex-presidiários. A polícia confirmou ainda que o grupo foi o autor de um arrombamento acontecido na casa do vigilante, que foi invadida e furtada no dia seguinte ao crime e na mesma madrugada em que o corpo de Mário Sérgio era velado em outro local. "A investigação está em sua fase de conclusão, mas espero que esses criminosos tenham entendido a ação da polícia e percebido que atentar contra a vida de pessoas que colaboram com a polícia pode custar muito caro. O papel da polícia é prender. Se o infrator se entregar, ele vai ficar preso e responder nos termos da lei. Mas se ele empunhar a arma pro policial e não se entregar, vai pro cemitério, porque nenhum policial voltará morto pra casa", avisou Wanderson".