Mulher morre esfaqueada em Brejo Grande; marido é suspeito

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/09/2019 às 22:49:00

 

Mais um caso de feminicídio foi registrado no interior do estado, dias depois do anúncio de um aumento expressivo nos registros desse tipo de crime. A vítima, Valdilene Lima Batista, 42 anos, foi encontrada morta na manhã de ontem em sua residência, no povoado Mulata, em Brejo Grande (Baixo São Francisco). O corpo estava na cama onde a vítima dormia e tinha marcas de facadas. Segundo a policia, o principal suspeito do crime é o companheiro dela, Manoel Alonso Santos Batista, que está sendo procurado e já teve sua prisão preventiva pedida pela Polícia Civil.
Segundo as informações iniciais da polícia, o casal vivia aparentemente bem, sem registro público de brigas. Eles tinham quatro filhos adultos, que já foram ouvidos pelo delegado José Luiz Accioly. O relato inicial é de que Manoel e Valdilene teriam jantado juntos antes de ir dormir. Pela manhã, vizinhos encontraram a mulher estava morta e ensangüentada na cama, e o marido não estava na casa. Uma hipótese indica que o suspeito teria tido um surto e atacado a vítima. 
O caso ainda é investigado pela Delegacia de Brejo Grande, que busca esclarecer outros detalhes do crime. Com esta morte, pode subir para 13 o número de assassinatos de mulheres tipificados como feminicídio - quando o crime é motivado pela condição do gênero ou em contexto de violência doméstica - registrados desde o começo deste ano. Em 2018 foram 16 casos, o que representa um acréscimo de mais de 130% em relação ao total de 2017, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que o aumento foi motivado por uma mudança na tipificação destes crimes, que até então eram computados como "homicídios dolosos contra mulheres". 

Mais um caso de feminicídio foi registrado no interior do estado, dias depois do anúncio de um aumento expressivo nos registros desse tipo de crime. A vítima, Valdilene Lima Batista, 42 anos, foi encontrada morta na manhã de ontem em sua residência, no povoado Mulata, em Brejo Grande (Baixo São Francisco). O corpo estava na cama onde a vítima dormia e tinha marcas de facadas. Segundo a policia, o principal suspeito do crime é o companheiro dela, Manoel Alonso Santos Batista, que está sendo procurado e já teve sua prisão preventiva pedida pela Polícia Civil.
Segundo as informações iniciais da polícia, o casal vivia aparentemente bem, sem registro público de brigas. Eles tinham quatro filhos adultos, que já foram ouvidos pelo delegado José Luiz Accioly. O relato inicial é de que Manoel e Valdilene teriam jantado juntos antes de ir dormir. Pela manhã, vizinhos encontraram a mulher estava morta e ensangüentada na cama, e o marido não estava na casa. Uma hipótese indica que o suspeito teria tido um surto e atacado a vítima. 
O caso ainda é investigado pela Delegacia de Brejo Grande, que busca esclarecer outros detalhes do crime. Com esta morte, pode subir para 13 o número de assassinatos de mulheres tipificados como feminicídio - quando o crime é motivado pela condição do gênero ou em contexto de violência doméstica - registrados desde o começo deste ano. Em 2018 foram 16 casos, o que representa um acréscimo de mais de 130% em relação ao total de 2017, segundo dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública. A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que o aumento foi motivado por uma mudança na tipificação destes crimes, que até então eram computados como "homicídios dolosos contra mulheres".