Juventude x Náutico: vale vaga na final

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/09/2019 às 11:48:00

 

Tradicionais no cenário nacional, Juventude e Náutico se desencontraram entre quedas e acessos nos últimos 12 anos, mas finalmente se enfrentarão novamente. Os dois vão disputar uma vaga na final da Série C do Campeonato Brasileiro, a partir das 18 horas deste domingo, quando fazem duelo pela rodada de ida das semifinais, no Alfredo Jaconi.
A última vez em que os dois times se encontraram foi na elite do Brasileirão, em 2007. Depois de um empate por 1 a 1 no Sul, durante o primeiro turno, o Náutico massacrou o Juventude com uma goleada por 4 a 1, no Recife. No mesmo ano, o time gaúcho foi rebaixado para a Série B e iniciou uma sucessão de quedas até cair para a Série D, em 2010.
O Náutico vai decidir em casa porque fez 37 pontos na somatória das fases anteriores, com a melhor campanha entre todos os times, contra 32 do adversário. O jogo da volta estava marcado para o dia 22 de setembro, às 18 horas, mas deve sofrer uma alteração. Isso porque a Polícia Militar pediu que a partida seja realizada em outra data, por causa do show da banda americana Bon Jovi, marcado para o mesmo dia, no estádio do Arruda.
Apesar de o time pernambucano chegar à disputa das semifinais com a melhor campanha, o Juventude chega com o moral elevado depois de ter goleado o Imperatriz por 4 a 1 no jogo do acesso. O Náutico sofreu um pouco mais e subiu com uma vitória nos pênaltis sobre o Paysandu, após empate por 2 a 2 no tempo normal. Resultado ainda sub-júdice.
O técnico Marquinhos Santos ganhou uma série de desfalques no Juventude, após a conquista do acesso. O atacante Bruno Alves foi negociado com o CSA, o atacante Henrique rompeu os ligamentos e o volante Moisés terá que passar por uma operação no joelho em razão de um problema patelar. O jogo marcará a despedida de Renato Cajá, que será emprestado à Ponte Preta até o fim do ano. 
No Náutico, o técnico Gilmar Dal Pozzo terá desfalques importantes no ataque. Thiago e Rafael Oliveira foram vetados pelo departamento médico e estão de fora da partida. Além da dupla titular. Paulinho e Odilávio também não viajaram para Caxias do Sul. Diante das baixas, o treinador considera a possibilidade de utilizar uma formação com três zagueiros.

Tradicionais no cenário nacional, Juventude e Náutico se desencontraram entre quedas e acessos nos últimos 12 anos, mas finalmente se enfrentarão novamente. Os dois vão disputar uma vaga na final da Série C do Campeonato Brasileiro, a partir das 18 horas deste domingo, quando fazem duelo pela rodada de ida das semifinais, no Alfredo Jaconi.
A última vez em que os dois times se encontraram foi na elite do Brasileirão, em 2007. Depois de um empate por 1 a 1 no Sul, durante o primeiro turno, o Náutico massacrou o Juventude com uma goleada por 4 a 1, no Recife. No mesmo ano, o time gaúcho foi rebaixado para a Série B e iniciou uma sucessão de quedas até cair para a Série D, em 2010.
O Náutico vai decidir em casa porque fez 37 pontos na somatória das fases anteriores, com a melhor campanha entre todos os times, contra 32 do adversário. O jogo da volta estava marcado para o dia 22 de setembro, às 18 horas, mas deve sofrer uma alteração. Isso porque a Polícia Militar pediu que a partida seja realizada em outra data, por causa do show da banda americana Bon Jovi, marcado para o mesmo dia, no estádio do Arruda.
Apesar de o time pernambucano chegar à disputa das semifinais com a melhor campanha, o Juventude chega com o moral elevado depois de ter goleado o Imperatriz por 4 a 1 no jogo do acesso. O Náutico sofreu um pouco mais e subiu com uma vitória nos pênaltis sobre o Paysandu, após empate por 2 a 2 no tempo normal. Resultado ainda sub-júdice.
O técnico Marquinhos Santos ganhou uma série de desfalques no Juventude, após a conquista do acesso. O atacante Bruno Alves foi negociado com o CSA, o atacante Henrique rompeu os ligamentos e o volante Moisés terá que passar por uma operação no joelho em razão de um problema patelar. O jogo marcará a despedida de Renato Cajá, que será emprestado à Ponte Preta até o fim do ano. 
No Náutico, o técnico Gilmar Dal Pozzo terá desfalques importantes no ataque. Thiago e Rafael Oliveira foram vetados pelo departamento médico e estão de fora da partida. Além da dupla titular. Paulinho e Odilávio também não viajaram para Caxias do Sul. Diante das baixas, o treinador considera a possibilidade de utilizar uma formação com três zagueiros.