STJD coloca Náutico x Paysandu sub-júdice

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/09/2019 às 11:58:00

 

Paulo César Salomão 
Filho, presidente do 
Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), confirmou o recebimento do pedido de impugnação da partida entre Paysandu e Náutico, disputada no último domingo (8), no Recife. Em despacho divulgado no começo da noite desta sexta-feira, Paulo Salomão determina à CBF a não homologação da partida, mas nega o pedido de paralisação da Série C. Ainda não há data marcada para o julgamento no Pleno.
Em resumo, mesmo determinando a não homologação do jogo de volta das quartas de final do Brasileiro nos Aflitos, o Tribunal mantém garantida a realização do primeiro jogo da semifinal entre Timbu e Juventude, que ocorrerá neste domingo, no Rio Grande do Sul. Na visão do presidente do STJD a paralisação da competição resultaria em um dano "demasiadamente acentuado" não apenas aos clubes envolvidos, mas ao campeonato.
O documento ainda dá o prazo de dois dias úteis para o Náutico encaminhar manifestação ao Tribunal. Após isso, a Procuradoria do órgão também terá mais dois dias úteis para se manifestar. Dirigentes do Timbu dizem que estão confiantes em um desfecho favorável.

Paulo César Salomão  Filho, presidente do  Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), confirmou o recebimento do pedido de impugnação da partida entre Paysandu e Náutico, disputada no último domingo (8), no Recife. Em despacho divulgado no começo da noite desta sexta-feira, Paulo Salomão determina à CBF a não homologação da partida, mas nega o pedido de paralisação da Série C. Ainda não há data marcada para o julgamento no Pleno.
Em resumo, mesmo determinando a não homologação do jogo de volta das quartas de final do Brasileiro nos Aflitos, o Tribunal mantém garantida a realização do primeiro jogo da semifinal entre Timbu e Juventude, que ocorrerá neste domingo, no Rio Grande do Sul. Na visão do presidente do STJD a paralisação da competição resultaria em um dano "demasiadamente acentuado" não apenas aos clubes envolvidos, mas ao campeonato.
O documento ainda dá o prazo de dois dias úteis para o Náutico encaminhar manifestação ao Tribunal. Após isso, a Procuradoria do órgão também terá mais dois dias úteis para se manifestar. Dirigentes do Timbu dizem que estão confiantes em um desfecho favorável.